quinta-feira, 5 de abril de 2018

SITUAÇÃO MILITAR E CONTROLE DAS FRONTEIRAS BRASILEIRAS

Os traficantes de drogas, os membros de máfias e os terroristas entram livremente no Brasil. Se por acaso forem contidos nos portos e aeroportos, então podem entrar livremente pela fronteira terrestre por que as forças armadas brasileiras falham por falta de recursos e de pessoal na fiscalização de 16.145km da fronteira terrestre nacional.

Os governos comunistas do PSDB e do PT não fizeram nada para proteger as fronteiras. Aliás, fizeram o contrário. Ao invés de aumentar os efetivos dando emprego e profissão aos jovens, preferiram diminuir os efetivos militares.

Isto é, havia uma população de 149,4 milhões em 1990 e um efetivo ativo de 296.334 soldados e oficiais. Em 2016, de uma população de 207,7 milhões havia um efetivo ativo de 228.751 soldados e oficiais. Quer dizer, o Brasil que em 2016 deveria ter um efetivo militar 80% superior ao de 1990 (aproximadamente 540.000) tem um efetivo 45% inferior (menos da metade).

Os dados de 1990 foram retirados da Lei 7.150 de 17 de julho de 1990 e os dados de 2016 foram retirados de exposição do Ministro da Defesa Raul Jungmann (Ex-PCB e atual PPS) em 25/11/2016. Na exposição, o Ministro da Defesa estava junto com o Ministro Aloyzio Nunes (ex-motorista do terrorista Marighella (PSDB)). Vejam quem está controlando os militares!

O Governo Temer, por sua vez, aprovou essa nova Lei de Imigração (Lei 13.445/2017) que escancarou as portas de entrada do pior tipo de migrante, bem como reduziu a metade o efetivo de policiamento das fronteiras terrestres. Além disso, os oficiais reclamam do progressivo e quase total sucateamento dos equipamentos militares.

Outro fato é o número de recrutas incorporados a cada ano ao serviço militar obrigatório. Em 2002, aproximadamente 70 mil jovens de 18 anos eram recrutados para o serviço militar, mas em 2018, o número máximo de recrutas foi fixado em 32.000. Esse número máximo não será atingido por contingenciamento financeiro. O policiamento de fronteira também terá os efetivos reduzidos de aproximadamente 24.000 para 11.000 em 2018.

Quer dizer, os governos comunistas de FHC e seguintes até o atual querem destruir a economia, destruir as forças armadas nacionais e eliminar fronteiras. Isso é exatamente um dos propósitos do Governo Mundial comunista que está em estágio adiantado de implantação no Brasil.

O Partido Conservador pretende aumentar vinte vezes o efetivo das forças armadas. Isso empregará grande maioria dos jovens em idade do serviço militar. Aumentará também em vinte vezes a segurança das fronteiras do Brasil.

Os recursos financeiros necessários a isso viriam do fechamento dos ministérios cabide de empregos como os Ministérios da Cultura, Esporte, Meio Ambiente, Reforma Agrária, Funai e muitos outros dentre os mais de trinta que existem atualmente.

Nenhum comentário: