quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

12 – DEUS FOI ASSASSINADO POR CRISTO? NÃO! MAS MARX ERA UM ADEPTO DE SATÃ QUE DESEJA A MORTE DE DEUS.

Resultado de imagem para imagens de um assassinato ocultoÉ provável que você já tenha ouvido as frases: Deus está morto; Deus não existe; os judeus mataram Cristo; Cristo não é Deus, mas talvez nunca tenha ouvido a frase de um marxista: Cristo assassinou Deus! O marxista acrescenta: Deus existia no Antigo Testamento, mas aí veio Cristo e disse que era o próprio Deus e, com isso, aquele Deus morreu.

As afirmações de alguns marxistas, especialmente desse que proferiu a frase anterior, induzem a pensar que acreditariam na existência divina antes de Cristo, mas que esse ser divino teria sido assassinado pelos cristãos por que estes acreditam no Cristo como o próprio Deus. Mas não é nada disso. Na verdade, os marxistas não aceitam cristãos por que estes se opõem à idolatria ao ditador existente no estado socialista.

Você pode acreditar de todo o seu coração e de toda sua alma que o cristianismo é uma obra do próprio Deus Pai. Há muitos argumentos neste sentido. Mas de nada adiantam para quem abraçou a religião marxista ou outra religião política que vê no cristianismo um empecilho ao domínio total de algum poder terreno.

Cristo nasceu numa pequena cidade muito longe do centro do Império Romano. Hoje seria como se tivesse nascido numa cidade pobre da África. Quem considera que a palavra falada, hoje, por um homem em Uganda, por exemplo, vá definir o mundo daqui a dois mil anos? Mas Cristo disse palavras nas inóspitas terras do atual Estado de Israel, há dois mil anos, que determinaram a civilização ocidental mais avançada deste século XXI d.C. É por ação de Cristo que a obra do Antigo Testamento permaneceu até hoje e permanecerá para sempre, mas as obras terrenas desaparecerão.

Outro argumento em favor da divindade de Cristo e do poder de sua palavra pelos séculos vindouros é a de que Cristo disse: “Meu reino não é deste mundo”. Os marxistas dizem: “O homem é da terra” ou que “Cristo está no céu e Marx está na terra”. No entanto, Deus disse que tudo aqui na terra é dEle, mas que você pode considerar tudo seu. Em oposição, o profeta Marx disse que tudo aqui na terra é do estado e que nada é seu. 

Qual Deus você prefere? O Deus que vela por você e que só lhe cobrará alguma coisa quando você morrer ou o ditador do estado-deus que o prende e lhe cobra impostos todos os dias de sua vida?

No reino de Cristo, tudo é seu e de Deus, mas no reino do estado marxista, nada é seu e tudo é do estado que lhe tira a vida quando você se atreve a passar perto da filha do ditador marxista. A religião cristã proíbe o aborto por que esse crime mata o bebê e a mãe, mas o estado marxista estimula o aborto dizendo que esse crime é para salvar a vida da mulher. Mentira típica da mente marxista, haja vista que qualquer aborto é sempre mais perigoso à vida da mãe que esperar a hora certa do parto. 

O marxismo marcou o século XIX e o XX depois de Cristo. É engano pensar que Marx só fez ciência, que só escreveu contra o capitalismo, que era apenas um economista ou que sua frase “a religião é o ópio do povo” representa pouco da verdadeira intenção de Marx. 

Marx entrou fundo no campo da filosofia e da religião. Queria destruir a humanidade a começar pelo sustentáculo dela que é Deus. O marxismo mais parece uma religião que uma teoria econômica ou política. Na verdade, é uma religião satânica. Os marxistas querem dominar o mundo, mas a fé em Deus, principalmente a cristã, atrapalha o domínio marxista. Por isso, os marxistas têm ódio ao Cristo e o acusam de assassinar Deus.

Na verdade, Cristo assassinou o estado-deus. Cristo prendeu o diabo, mas esse peçonhento ainda quer matar o povo usando o estado. Mais que isso, o diabo, hoje, é o próprio estado. Só mesmo um monstro revestido dos poderes do estado poderia matar trezentos milhões de pessoas no século XX. Isto sem contar os abortos, infanticídios e mulhericídios que ocorrem atualmente por conta do esquerdismo.

Antes de escrever o livro “O capital”, em 1863, Marx escreveu outros artigos. Por exemplo: a frase "a religião é o ópio do povo" foi escrita em 1843, no artigo "Crítica da Filosofia do Direito de Hegel". O livro “Era Karl Marx um satanista” de Richard Wurmbrand relacionou outras quatro frases atribuídas a Marx:


1-Os vapores infernais elevam-se e enchem meu cérebro até o enlouquecimento e meu coração seja totalmente mudado. Vê esta espada? O príncipe das trevas vendeu-a para mim.

2-Pois ele marca o compasso e dá os sinais. Cada vez mais ousado, eu me entrego à dança da morte.

3-Ergue-se da minha alma tão claro como o ar, tão forte como meus próprios ossos. Contudo meus braços são possuídos de força para agarrar e triturar a humanidade com a força de um furacão.

4-Arruinado, arruinado. Meu tempo esgotou-se. O relógio parou, a casa do pigmeu desmoronou. Breve apertarei a eternidade ao peito e breve bradarei gigantescas maldições sobre a humanidade.


As quatro frases acima são satânicas. O satanismo também é uma religião e o marxismo é uma derivação da religião satanista. Lembre-se do mal que o marxismo fez na Rússia, onde o estado-deus assassinou vinte milhões de russos. Lembre-se também de que os socialistas Hitler e Stalin são responsáveis pela morte de sessenta milhões na segunda guerra. Na China foram setenta milhões. Particularmente na China, se forem contados os abortos, infanticídios ou mulhericídios, o estado marxista eliminou, além dos setenta milhões iniciais, mais duzentos e sessenta milhões de mulheres e cento e quarenta milhões de homens apenas no século XX.

Deus foi assassinado? Não para os cristãos que ainda O tem por intermédio da Santíssima Trindade, mas sim para os esquerdos (ou socialistas) que pensam que aquele Deus Pai do antigo testamento foi assassinado pelos cristãos.

Nenhum comentário: