quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

1 - SOBRE A IGUALDADE DA NATUREZA HUMANA

Resultado de imagem para imagens de igualdade entre pessoasA vida é uma doação divina que é especial no ser humano. O homem é um ser único e, por isso, com diferenças físicas e comportamentais infinitas. No entanto, todos, nós somos iguais por que é da nossa natureza possuir os sete pecados e as sete virtudes da natureza humana. 

É apenas em sua natureza que os homens são iguais desde o nascimento até a morte. Porém, à medida que os dias passam, os indivíduos humanos são influenciados pelos mais variados ambientes e se tornam diferentes a ponto de um considerar-se melhor que outro. 

A mudança é percebida a partir do primeiro dia de vida de cada um. Você muda sua personalidade a cada vez que conhece uma ideia, um objeto, uma pessoa ou que você invente algo novo. No entanto, você não retira de si algum dos sete pecados ou ganha uma das sete virtudes.

Por isso, o indivíduo que mudou de favelado a milionário não pode querer que o filho nasça com as características que foram adquiridas pelo pai ao longo da vida. Da mesma maneira, aquele que matava passarinhos na infância e adolescência, mas que aos cinquenta anos tem horror aos caçadores de animais pode ter filhos que vão ser matadores de animais da mesma maneira que o pai o foi.

A igualdade entre seres humanos nunca foi material, mas derivada do fato de que todo homem nasce com sete pecados e sete virtudes opostas. Defeitos e virtudes que mudam aquele ser que, ao nascer, tinha instintos básicos resumidos como sendo capitalistas. 

O erro dos evolucionistas, progressistas, socialistas, ambientalistas e outros é pretender que a mutabilidade individual e humana torne-se evolução coletiva. Esses indivíduos não conservadores pensam que o estado pode criar um novo homem que viveria mil anos, não precisaria de sexo para se reproduzir e que nunca mais haveria humanos portadores dos pecados originais do recém-nascido.

Discorda-se dessa visão evolucionista, pois é preferível acreditar que o homem foi criado por Deus a acreditar que o homem veio do macaco. O que se deseja é que o estado não interfira na evolução individual, no progresso material ou na fluência da vida e da riqueza.

O ser humano tem livre arbítrio de escolher o caminho de vida a ser trilhado, mas sua natureza não é livre dos pecados que só podem ser perdoados por Deus e nunca pelo estado que é uma máquina que não perdoa, mas assassina àquele que cobiçou a coisa do próximo.

Nenhum comentário: