domingo, 11 de dezembro de 2016

SE A PETROBRÁS FOSSE EMPRESA PRIVADA, NADA DISSO TERIA OCORRIDO

Se a Petrobrás fosse privada, nada disso teria acontecido
Escrito por Luciano Ayan no Ceticismo Político em 11 de dezembro de 2016
É curioso como se fala tão pouco em desestatização da Petrobrás numa época em que o Brasil se vê horrorizado com um dos maiores escândalos de corrupção do mundo. Fala-se muito em “luta contra a corrupção”, mas pouco se comenta a respeito do que levou a corrupção a tal patamar.

Bastaria uma folheada no magistral livro “A Maldição do Petróleo”, de Michael Ross. O autor mostra que, à exceção da Noruega, todos os países com petrolíferas estatais monopolistas destruíram suas nações com autoritarismo e corrupção.

Não há nada de muito espantoso nisso. Uma vez que o fornecimento de petróleo não é uma atividade que deveria ficar nas mãos do estado e ainda pode fornecer uma alta lucratividade – que setores estatais como saúde, segurança e educação não geram -, vai sobrar muita grana nas mãos dos políticos. Desde os tempos de Lord Acton já sabemos que se o poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente.

A existência de estatais desnecessárias como a Petrobrás sempre serviu a isso: alimentar a corrupção. Mas ficamos brincando de riscar fósforo perto de um tonel de gasolina por muito tempo. Pois no início de 2003, começava, com Lula, um governo bolivariano, que salivou ao visualizar a Petrobrás e toda a grana que dela saía. Eles tinham um projeto de poder totalitário em mãos para nos transformar em uma Venezuela. Para isso, precisavam da grana da Petrobrás para bancar a corrupção, que envolveria diversos partidos. Em resumo: a Petrobrás sempre foi fonte de corrupção, mas com o início do governo petista ela foi levada a um nível jamais visto para tentar nos transformar em escravos de uma ditadura miserável.

O resultado de não termos estatizado a Petrobrás está aí: ela serviu para alimentar um escândalo de corrupção inédito e que ajudou – junto com o crime fiscal de Dilma – a destruir intencionalmente nossa economia.

Com certeza, se a Petrobrás não fosse estatal, estaríamos hoje pagando no máximo R$ 2,00 pelo litro de gasolina. Mas o que recebemos ao longo dos anos foi uma gasolina caríssima. Faça as contas de tudo que você já gastou em combustível em sua vida e calcule os danos que a estatização te causou. Mas você vai ficar ainda mais revoltado quando perceber os custos indiretos por causa de nosso altíssimo preço da gasolina. Só um exemplo: produtos são transportados, mas para isso é preciso de… gasolina. Quer dizer: com uma gasolina pela metade do preço, seu custo de vida seria muito mais baixo.

E ainda assim continuamos a falar de luta contra a corrupção sem falar em desestatizar a Petrobrás. Ou seja, não nos livramos da maldição do Petróleo. Mas todo o escândalo de corrupção da Lava Jato não teria existido se a Petrobrás fosse privada.

Nenhum comentário: