sexta-feira, 29 de abril de 2016

A razão de todos os problemas de Cuba e dos cubanos são conseqüências da ditadura que rege o país. A falta de direitos, as penúrias econômicas e discriminação, assim como o exílio e a emigração, são produtos do sistema socialista

Escrito por Pedro Corzo* no site Mídia Sem Máscara

cuba

A nação cubana leva décadas em franca deterioração. Seus filhos são os que devem restaurá-la.
É uma demanda que se ouve em Cuba desde há décadas, porém que lamentavelmente não foi atendida pela maioria dos ilhéus que reclamam a governos estrangeiros, os direitos e oportunidades que possivelmente não foram capazes de exigir em seu país.

Há situações particularmente complexas para ser analisadas, principalmente quando estão envolvidos inúmeros fatores, interesses contrapostos e estimativas pessoais que podem estar influenciados pela subjetividade.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

A abordagem Cristã deleita-se na abundância e glorifica a Deus pelos avanços tecnológicos e pela sabedoria prática que produz uma abundância sem precedentes de riqueza. O espírito comunista, ao contrário, é o da escassez e da extinção do ser humano

O espírito comunista: espírito de escassez



Fidel Castro. Foto: Roberto Chile/Telesur


Fidel Castro apareceu em público recentemente, e deu uma palestra no 7º Congresso do partido comunista na Cuba. Muito pode ser dito a respeito do desarticulado e vago discurso dele. Hoje, vou me limitar a alguns comentários sobre o espírito que assombrou a sua palestra. Aparentemente, ele invocou o “espírito comunista”. Assim foi o manchete no site de Telsurtv.net. Para a esquerda totalmente desvinculada da realidade, o espírito comunista representa uma marcha de progresso rumo à perfeição, cheia de lealdade e unidade. No mundo real, a realidade na qual vivem as vítimas do comunismo, o espirito de comunismo é uma fantasma de violência, opressão, sofrimento, e escassez. Especialmente escassez.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Veja retratos dos últimos dias do governo da organização PT que implantou a verdadeira cultura socialista de governar

Primeira-dama do Turismo é o retrato dos últimos dias do governo Dilma e do PT
Há coisas que viram, não tem jeito, retrato de uma época. Em si, não têm nenhuma implicação prática, mas acabam servindo como expressão de um tempo por seu simbolismo
Escrito por: Reinaldo Azevedo 26/04/2016 às 3:45 no Blog do Reinaldo na Veja
Milena com o marido. Alessandro Teixeira, no gabinete do Ministério do Turismo
Há coisas que viram, não tem jeito, retrato de uma época. Em si, não têm nenhuma implicação prática, mas acabam servindo como expressão de um tempo por seu simbolismo. Suetônio (70 d.C.-141 d.C.) não retratou a vida dos Doze Césares dando relevo a sua medidas administrativas. Os hábitos, manias, obsessões e temperamento é que compõem a riqueza da obra. O que se faz lá é narrar uma mentalidade.


O país foi, vamos dizer assim, sacudido nesta segunda-feira por uma série de fotografias que Milena Teixeira, mulher do novo ministro do Turismo, Alessandro Teixeira, postou em sua página no Facebook, onde ela ainda assina Milena Santos — não sei se nome artístico ou de registro —, com uma foto, já na abertura, em trajes sumários. As outras todas se destinam a expor o que uma antiga música chamaria sua “saúde civil”, com tecidos que aderem à pele com uma impressionante eloquência.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

O socialismo pretende a escravização da mulher, a destruição da família, o roubo da masculinidade e o extermínio do ser humano

“A masculinidade roubada”
Escrito por Alberto Mansueti*, abril 20, 2016, no site Política Reformada
Faz mais de 25 anos, um quarto de século, que o mundo viu a queda do Muro de Berlim, e em seguida o colapso do império soviético. Os desorientados decretaram “o fim do socialismo”; porém, não foi assim.

Em “A origem da família, da propriedade privada e do Estado”, publicado em 1884, ano seguinte à morte de Marx (1883), Friedrich Engels mostrou aos marxistas que o capitalismo está estritamente ligado à família. Portanto, para destruir o capitalismo, é necessário destruir a família.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Veja por que o superdotado é um discriminado esquecido.

Um discriminado esquecido
Escrito por Péricles Capanema*, 19/4/2016, no site Agência Boa Imprensa
O Brasil, seguindo tendência mundial, tem ativamente promovido políticas públicas chamadas via de regra de discriminação positiva; as ações afirmativas (outro nome) visam diminuir desvantagens relativas. Há leis favorecendo idosos, crianças, mulheres, negros, pobres, estudantes, portadores de deficiências físicas, entre eles os cegos, surdos e cadeirantes. Quando sensatas as normas e razoável sua aplicação, nada a objetar, têm efeitos benéficos.

No dia a dia, quem não gosta de ser atendido em sua inferioridade? Qualquer um de nós apresenta desvantagens, depende até da hora. E, normal, todos acham bom os outros levarem em conta tal situação. Entre eles, o Poder Público. Mas não falo apenas de leis e programas sociais, tenho muito em vista bons hábitos sociais. Em essência, a aplicação da caridade entre os homens.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

JOVENS QUE PROCURAM A POLÍTICA: ONDE POUSAR A ESPERANÇA?

ONDE POUSAR A ESPERANÇA?
Escrito por Percival Puggina* em 15.04.2016 no Blog Puggina.org - Conservadores e liberais
É muito comum que jovens com interesse na política, percebendo a necessidade de participarem mais efetivamente na vida local, regional e nacional, consultem minhas barbas brancas sobre o partido ao qual deveriam filiar-se. Eu me angustio diante dessa pergunta. Como dizer o que devo sem desestimular o idealismo daquela alma juvenil? Quem ingressa na política com ideais no coração, princípios e valores impressos na consciência e ideias na cabeça levará um imediato choque de realidade. A política não poupa esses sentimentos.

DEPUTADOS APROVARAM O IMPEACHMENT DA ORGANIZAÇÃO PT, MAS AMARELARAM. Veja o resultado da votação por Estado.

ESTADO                                              VOTO SIM           VOTO NÃO/ABST/AUS       % NÃO
Acre                                                             4                                 4                                   50,00%
Amapá                                                         3                                 5                                   62,50%
Pará                                                            10                                7                                   41,18%

Tocantins                                                      6                                2                                   25,00%
Rondônia                                                      8                                0                                    0,00%
Amazonas                                                    8                                 0                                    0,00%
Roraima                                                       7                                 1                                    12,50%

Rio Grande do Sul                                      22                                9                                    29,03%
Santa Catarina                                             14                                2                                    12,50%
Paraná                                                         26                                4                                    13,33%

Mato Grosso do Sul                                     5                                3                                    37,50%
Mato Grosso                                                6                                2                                    25,00%
Goiás                                                          16                                1                                      5,88%
Distrito Federal                                             7                                1                                    12,50%
Minas Gerais                                               41                              12                                   22,64%
São Paulo                                                    57                              13                                   18,57%

Rio de Janeiro                                             34                              12                                    26,09%
Espírito Santo                                               8                                2                                    20,00%
Bahia                                                           15                              24                                   61,54%
Alagoas                                                         5                                3                                   37,50%

Sergipe                                                          6                                2                                   25,00%
Pernambuco                                                 19                               7                                    26,92%
Paraíba                                                           9                               3                                    25,00%
Rio Grande do Norte                                     7                               1                                    12,50%

Ceará                                                             9                              13                                   59,09%
Piauí                                                              5                                5                                   50,00%
Maranhão                                                    10                               8                                    44,44%

BRASIL                                                    367                           146                                  28,46%

domingo, 17 de abril de 2016

Não fique em casa contando voto. Vá às ruas hoje, 17/4/2016, a partir das 14h. Ou: Por que devemos contestar a expectativa de negação da política de Constantino?

Por que devemos contestar a expectativa de negação da política de Constantino?
Nós últimos tempos, devemos reconhecer em Rodrigo Constantino um lutador pela democracia. Muito mais do que fazia no passado (e ele sempre lutou pela democracia), andou usando terminologias politicamente adultas recentemente. Assertivo, fez potentes ataques ao petismo. Exatamente por isso é desanimador vê-lo escrever o texto abaixo, intitulado “Quero voltar a ser eu mesmo”:
“Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro. Quando se olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você.” – Nietzsche 

Algumas pessoas que me conhecem há tempos estranham meu comportamento recente nas redes sociais. Não me reconhecem no tom mais agressivo, em algumas postagens com termos mais chulos ou mesmo xingamentos. Entendo a crítica, e vou além: concordo com ela!

sábado, 16 de abril de 2016

LANÇAMENTO DO LIVRO A HIDRA VERMELHA DE CARLOS AZAMBUJA 16/4 EM SÃO PAULO E 23/04 EM CURITIBA

Escrito por Heitor de Paola e publicado no Mídia Sem Máscara

Toda a gama de aspectos referentes ao Movimento Comunista Internacional e suas ramificações ao longo de 53 capítulos. Da história às organizações, da filosofia ao jornalismo – nada ficou de fora e acaba-se a leitura do livro com anseios de mais conhecimento.

Confira no vídeo as datas e locais das palestras de lançamento.



sexta-feira, 15 de abril de 2016

O liberalismo econômico é adotado pelos conservadores, mas o liberalismo teológico ou guerra cultural é ateu ou comunista

Liberalismo é uma palavra polissêmica: tem vários significados ou acepções. Na Europa e América do Norte, liberalism (em inglês) equivale às esquerdas, ao socialismo. Designa os promotores de governos intervencionistas e limitantes, de mercados interditados, isto é, limitados, e de propriedade coletiva ou estatal.

Em nossa América Latina, todavia, “liberalismo” pode significar exatamente o contrário, sobretudo quando seguida do adjetivo “clássico”: designa os partidários de governos limitados a umas poucas funções próprias muito específicas quanto ao livre mercado e à propriedade privada.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

A PARÁBOLA CACÓFAGO INSENSATO

Escrito por Neemias Félix e publicado no Mídia Sem Máscara, 13 ABRIL 2016 
rp

O sábio e vetusto Nephele Bardo contou também esta parábola.

Certo homem que habitava o pequeno Reino das Bananas tinha o esquisito hábito de comer excremento. Cacofagia é o nome que se dá a esse tipo de hábito. 

Apesar de estranho, o hábito desse homem até que era bem tolerado pela maioria das pessoas. É verdade que alguns o reprovavam por essa prática. Uns diziam que era antinatural; outros, que era doentia; outros mais, que era um grave pecado, uma verdadeira abominação contra o próprio Deus. O cacófago, entretanto, continuava com a sua prática, na maioria das vezes em lugares esconsos ou até no interior da sua própria casa. Assim a vida continuava sem grandes conflitos naquele país.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

O Nazismo era tão socialista quanto o PT e tão ambientalista quanto a Marina Silva. Se o PT sair agora e entrar a Marina socialista e ambientalista teremos o que no Brasil?

Escrito por Luis Dufaur, quarta-feira, 13 de abril de 2016, no site; Verde: a cor nova do comunismo

Walter Darre, ministro de Agricultura de Hitler, ecologista, promoveu o "retorno à terra"

Johann von Thunen (1785-1850), economista e geógrafo alemão, autor do livro “O Estado Isolado” foi considerado o mentor intelectual dos Nacional Socialistas alemães e dos comunistas alemães-orientais do pós-guerra. 

Os ecologistas ainda o citam hoje em dia.

terça-feira, 12 de abril de 2016

Ouça o áudio vazado do Vice-Presidente Michel Temer. O discurso dele é muito superior aos discursos da Dilma

Oito pontos onde o áudio de Temer mostra como ele é incrivelmente superior a Dilma.
Nunca fui um grande fã de Temer. Jamais o coloquei como opção política. Em vários momentos, inclusive, o repudiei, especialmente pelo longo período em que o PMDB fez parte do covil do PT.

Porém, o áudio vazado nesta segunda, 11/04, em que Temer ensaiava um discurso para a ocasião em que o impeachment fosse aprovado foi surpreendente em todos os sentidos. Positivamente, para Temer.

Mas oito pontos em essencial fazem a diferença em favor de Temer, na comparação com Dilma:

domingo, 10 de abril de 2016

MARINA SILVA: Cinco motivos para não votar na criatura

Escrito por George Mazza Matos*. Publicado no Mídia Sem Máscara
ml

Seguindo a cartilha ideológica da esquerda, Marina Silva e a Rede Sustentabilidade promovem a destruição da família brasileira, através do fomento da Ideologia de Gênero.


Os últimos meses têm sido de turbulência política no Brasil. Nestes momentos de agitação e indefinições gerais é comum surgirem discursos e expoentes políticos, antes adormecidos, mas agora como única e exclusiva alternativa para o caos que se presencia. No cenário político da atualidade, onde os principais partidos e seus mais importantes quadros com acesso ao poder tentam se evadir dos noticiários policiais, antiga figura política busca a aproximação dos holofotes. Seu nome: Marina Silva. Embora considerada por alguns cientistas políticos como a via alternativa (à esquerda) para pôr ordem ao caos, há vários motivos para não depositarmos nossas minguadas esperanças nesta via, pois esta opção de saída engrossará o caldo caótico conjuntural.

O Partido Rede, fundado por Marina Silva, é umbilicalmente um partido de esquerda. Embora tentando se posicionar com neutralidade política e se definindo como um partido de centro-esquerda, a Rede Sustentabilidade é, na verdade, um partido de extrema esquerda [1]. O Partido Rede não pode ser enquadrado senão como esquerda, em uma de suas vertentes extremistas, que é a esquerda ambientalista. Ser de esquerda, e da esquerda ambientalista, se coloca como o primeiro motivo para a total rejeição popular desta via alternativa. A sociedade brasileira encontra-se exausta de tantos anos da esquerda no poder, desde a era PSDB-PT.

De modo incoerente, não obstante se declarando como ambientalista e guerreira do desenvolvimento sustentável, Marina Silva praticamente silenciou [2] ante uma das maiores tragédias ambientais ocorridas no Brasil. Sob a alegação de “não se promover em face da tragédia” ocorrida na cidade de Mariana, em Minas Gerais, o que praticou Marina foi a velha e carcomida politicagem esquerdista: fugir do confronto direto. Não se teve conhecimento de nenhuma ação, representação, reclamação, protesto ou petição da Rede Sustentabilidade ou de Marina Silva em contraponto à tragédia de Mariana. O Partido, intitulado defensor ambientalista de fauna e flora indefesas, emitiu mísera Nota de Repúdio [3] em face da gigantesca catástrofe ocorrida em Minas Gerais. Uma mera Nota de Repúdio é atitude desconsiderável para um Partido que se denomina como defensor ambiental.

O que o Partido Rede e Marina Silva não esclarecem ao eleitor é que se nomear como ambientalista, principalmente quando se origina das ideias esquerda, é vestir a camisa do ambientalismo contra o agronegócio. Assim, para estes falsos ambientalistas, o que realmente importa não é defender a Fauna e a Flora brasileiras, mas sim, enfraquecer o capitalismo sustentado na agricultura de negócio, hoje um dos maiores geradores de riqueza no Brasil [4]. As receitas com agricultura em larga escala representaram quase 25% do PIB brasileiro em 2015 [4], sendo um importante marco na geração de riqueza para o país. No entanto, para Marina Silva e sua Rede Sustentabilidade, o agronegócio destrói as florestas brasileiras, devendo ser combatido. Enfraquecido o agronegócio, diminuem-se as exportações de commodities, esvaziando-se ainda mais as riquezas em nosso país. Incoerentemente, é isto o que pretende a esquerda-ambientalista. Desse modo, empobrecer e fragilizar ainda mais nossas receitas deve ser considerado como o segundo motivo para não assentar nossa confiança em um Partido Político que enfraquecerá nossa economia ao combater a agricultura geradora de receitas ao país, sob o falso manto da defesa de nossa riqueza ambiental.

O terceiro motivo para não desperdiçarmos nosso voto nessa insurgente esquerda ambientalista é a estreita relação entre Marina Silva e o Partido dos Trabalhadores, por mais de 30 anos. Como influente e ativa militante do Partido dos Trabalhadores, Marina Silva, se eleita ao cargo máximo do Executivo, irá aprofundar e ampliar as iniciativas encabeçadas pelo PT. Situando-se como ambientalista, a vertente esquerdista da Rede Sustentabilidade é ainda mais vermelha que as bases petistas. A Rede Sustentabilidade incorpora as ideologias da esquerda tradicional, revolucionária, subversiva. Escolher a Rede Sustentabilidade como sucessão do Partido dos Trabalhadores é escavar as raízes da esquerda, encontrando seu mais notório extremismo.

Ao encontrar com a base do projeto da esquerda-ambientalista, o brasileiro se deparará com o aprofundamento vertiginoso do casos social, político, econômico, ético e moral. Desse modo, o quarto motivo para a não guinada à esquerda extremista é claro: evitar o mal maior. Se aceito for o entroncamento à esquerda ambientalista, corre-se o risco de um avigoramento negativo da anarquia Bakuniana [6] que se apresenta no país, atualmente padecendo de esquizofrenia social. Assim, deve-se rejeitar, incondicionalmente, qualquer possibilidade de alçarmos ao poder mais um Partido de Esquerda, principalmente de linha ideológica ainda mais radical.

Por último, mas não menos importante, não podemos coadunar como opção salvadora um Partido que, declaradamente, afronta a sociedade brasileira. Seguindo a cartilha ideológica da esquerda, Marina Silva e a Rede Sustentabilidade promovem a destruição da família brasileira, através do fomento da Ideologia de Gênero. Em recente manifesto, ideologicamente com uso de gênero [7], o partido político de Marina se fez adepta de ideologia que motiva a sexualização de nossas indefesas crianças através da educação sobre sexualidade nos primeiros anos escolares. Este único motivo seria o suficiente para se repensar qualquer possibilidade de voto em Marina e em qualquer político filiado à Rede. Porém, juntando-se aos quatro motivos anteriores, este quinto motivo é esclarecedor da veemente repulsa ao Partido Rede, a Marina e seus partidários. Não podemos permitir que tal político seja alçado ao cargo máximo do Executivo. Se assim o fizermos, teremos “saudades” da era petista.

Assim, pelos critérios acima expostos, Marina Silva deve ser sumariamente rejeitada como sinal de expoente político assegurador da normalidade em nosso país ou como renovadora de nossas esperanças.

Tal qual na matemática, onde o expoente é sempre colocado à direita do número, é à direita conservadora ou liberal que a sociedade brasileira deve encontrar seu expoente político.

Não há outra saída.

Referências:


quinta-feira, 7 de abril de 2016

PROPOSTA DE NOVAS ELEIÇÕES VISA AO GOLPE - NOVAS ELEIÇÕES GERAIS É GOLPE DAS ESQUERDAS

Escrito por Paulo Eneas*, 7/4/2016, no Mídia Sem Máscara
O impeachment da ainda presidente Dilma está se tornando uma realidade. Uma realidade política da qual nenhum dos atores políticos pode fugir, exceto por um golpe de estado contra a democracia já fragilizada e contra o que ainda resta de resquício de normalidade institucional que não tenha sido desmantelada pela delinquência petista que se apossou do estado brasileiro. E uma das facetas desse golpe que o petismo e seus aliados na esquerda e junto aos segmentos mais fisiológicos e corruptos da classe política estão planejando atende pelo nome sedutor de "novas eleições".

quarta-feira, 6 de abril de 2016

LIVRO: Proposta de constituição de um novo país chamado Brasil

Colegas:
Depois de dois anos de trabalho, finalmente, concluí o livro que agora lhes apresento com o título: Proposta de Constituição de um novo país chamado Brasil. Um e-book gratuito de 1180 páginas consta do endereço eletrônico: www.partidoconservador.org.br/livro/navarroHTML/codigos_index.html Uma versão impressa com 120 páginas está a venda (R$ 20,00) nas Livrarias Curitiba nos endereços abaixo, bem como no sítio eletrônico da Livraria Curitiba.

1 - Shopping Palladium (Piso L2, loja 2047)
Endereço: Avenida Presidente Kennedy nº. 4121 - Portão, Curitiba CEP: 80610-010, Telefone: (41) 3330-6777

2 -Boca Maldita
Endereço: Avenida Luiz Xavier n°.78 – Centro, Curitiba, CEP: 80020-020, Telefone: (41) 3330-5130

3 - Shopping Estação (Loja 1108)
Endereço: Av. Sete de Setembro n°. 2775 - Centro, Curitiba, CEP: 80230-010, Telefone: (41) 3330-5118

4 - ParkShoppingBarigüi (Loja T17)
Endereço: Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza nº. 600 - Mossunguê, Curitiba, CEP: 81200-100, Telefone: (41) 3330-5165

5 - Shopping Curitiba (Piso L1, loja 126)
Endereço: Rua Brigadeiro Franco n°. 2300 – Batel, Curitiba, CEP: 80250-030, Telefone: (41) 3330-5183

Edson NAVARRO Tasso

Movimento Brasil Livre pede o impeachment do Ministro Marco Aurélio do STF

Movimento Brasil Livre pede o impeachment de Marco Aurélio. Faz muito bem!
Escrito por Reinaldo Azevedo no Blog do Reinaldo na Veja
Que Renan Calheiros ouça o próprio ministro, então, e mande já instalar a comissão, ora essa! O homem passou dos limites e fere dispositivos da Lei 1.079, que o expõem, sim, ao impedimento.
O Movimento Brasil Livre decidiu entrar nesta quarta com um pedido de impeachment de Marco Aurélio Mello, ministro do Supremo. Faz muito bem! Acho mesmo que é o caso. Como já escrevi aqui, é evidente que o ministro foi além de seus limites numa série de atitudes, todas elas incompatíveis com o cargo.

Vamos ver: o Inciso II do Artigo 52 da Constituição define que cabe ao Senado “processar e julgar os Ministros do Supremo Tribunal Federal, os membros do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, o Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral da União nos crimes de responsabilidade.” Assim, a denúncia tem de ser feita ao Senado.

E quais são os crimes de responsabilidade de um ministro do Supremo? Eles estão definidos no Artigo 39 da Lei 1.079 — aquela do impeachment —, a saber:

terça-feira, 5 de abril de 2016

A vida de qualquer ser humano – são ou doente, velho ou novo – é digníssima e irrenunciável, desde o instante da concepção e até ao momento da morte natural

Escrito por Padre Gonçalo Portocarrero de Almada, 4/4/2016, no Mídia Sem Máscara

A eutanásia presta-se à imoral exploração de uma situação de desespero, quer por familiares e amigos interessados em abreviar essa vida, quer pelas instituições sanitárias, cuja gestão economicista favoreceria a eliminação dos doentes terminais e dos idosos mais pobres.

e
Os subscritores do manifesto a favor da eutanásia afirmam-se “unidos na valorização privilegiada do direito à liberdade” e, como tal, defensores da “despenalização e regulamentação da morte assistida”, que entendem ser “uma expressão concreta dos direitos individuais à autonomia, à liberdade religiosa e à liberdade de convicção e consciência, direitos inscritos na Constituição”.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

AS EMPRESAS ESTATAIS SÃO TUMORES DE ESTIMAÇÃO

TUMORES DE ESTIMAÇÃO
Escrito por Péricles Capanema, 4 de abril de 2016, no site Agência Boa Imprensa 
Tumores de estimação
Pivô do mensalão, ex-deputado federal e presidente do PTB (a partir de 14 de abril) Roberto Jefferson, agora livre, concedeu entrevista ao “Estado de S. Paulo”. Falou o óbvio: “Quem financia partido são as estatais. Se queremos país moderno, vamos ter que fazer privatização, porque não vai permitir a concentração da corrupção. A estatal é a semente da corrupção no Brasil. Partidos disputam cargos nas estatais para seu financiamento. O que vão assaltar nos seis meses enquanto durar o impeachment é uma loucura”.

domingo, 3 de abril de 2016

Perceba as possibilidades do impeachment da Dilma. Confira no Mapa do Impeachment a seguir

Escrito por Aluízio Amorim no Blog do Aluzio, sábado, abril 02, 2016
'MAPA DO IMPEACHMENT' REVELA OS VAGABUNDOS DO CONGRESSO QUE SE VENDEM PARA O PT
Não adianta Lula e seus sequazes espernearem. O Mapa do Impeachment, site criado pelo movimento Vem Pra Rua mostra que cresce no Congresso Nacional a tendência pró-impeachment da Dilma. 

E agora, com esta ferramenta, os eleitores poderão saber quem são os vagabundos do Senado e da Câmara dos Deputados que por trás dos panos estão se vendendo para o PT. 

Cliquem AQUI para conferir o Mapa do Impeachment e compartilhem este post amplamente nas redes sociais.

Desta vez todos os brasileiros saberão quem são os traidores da Pátria, que se vendem como Judas.

Tags: Mapa do impeachment, Vem Pra Rua, deputados a favor ou contra o impeachment, possibilidades do impeachment, Aluízio Amorim

sexta-feira, 1 de abril de 2016

O BRASIL EM HISTÓRICA ENCRUZILHADA

O BRASIL EM HISTÓRICA ENCRUZILHADA
Escrito por Paulo Roberto Campos, 2 de abril de 2016 e publicado no site Agência Boa Imprensa
O BRASIL EM HISTÓRICA ENCRUZILHADA
Com o título em epígrafe, foi lançado no dia 27 de março último pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira um muito oportuno manifesto à Nação. Ele não trata apenas da tremenda crise que deixou o País à deriva — devido à aplicação de um projeto comuno-bolivariano do governo lulopetista —, mas versa também sobre a conjuntura que eventualmente nos aguarda devido à essa crise sem precedentes.

Petismo sem PT
O BRASIL EM HISTÓRICA ENCRUZILHADA


Em relação ao período “pós-PT” — com impeachment ou não da presidente Dilma Rousseff — o manifesto oferece subsídios para um sadio debate e levanta algumas possíveis soluções e hipóteses. Uma das hipóteses seria o perigo de o País naufragar em mãos de aventureiros ou de um governo que não se apresentaria como petista, mas que continuaria com o mesmo estratagema do PT. Popularmente falando, seria “trocar seis por meia-dúzia” ou “ficar tudo como dantes no quartel de Abrantes”.

Hipótese que se realizaria, por exemplo, com a implantação de um “sistema melancia” (verde por fora e vermelho por dentro), meio ecologista, meio petista. Um regime “comuno-miserabilista” como aquele que arruinou a infeliz Cuba e no qual afunda a vizinha Venezuela, onde o governo bolivariano debilitou as autênticas tradições cristãs consubstanciadas na instituição da família e no direito de propriedade.

O BRASIL EM HISTÓRICA ENCRUZILHADA
No Brasil, contribuiu para o atual estado de coisas a chamada “esquerda católica” (como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e os “teólogos da libertação”), iludindo o povo católico a respeito do PT, exaltando-o e abençoado-o como se fosse uma espécie de “partido salvador do trabalhador oprimido”. Assim, no fundo, o clero esquerdista colabora para a “cubanização” ou “venezuelização” do País.

“Quero meu País de volta”
Entretanto, é exatamente isto que o povo brasileiro rejeita. A prova são os recentes e monumentais protestos que transcorreram ordeiros e pacíficos em todo território nacional. Milhões de brasileiros manifestaram-se indignados contra os erros que serpenteiam, espalhados sobretudo pelo PT. Muitos manifestantes bradaram “O Brasil não é Venezuela” ou “Quero meu País de volta”. Eles não suportam mais ver o Brasil desfigurado por ideologias marxistas, diametralmente opostas aos grandes valores de seu glorioso passado.

O BRASIL EM HISTÓRICA ENCRUZILHADA
Peçamos ao Cristo Redentor que não permita que a serpente infernal continue afligindo o povo brasileiro, ou enganando-o e conduzindo-o para falsas “soluções”. Mas o Divino Redentor deseja nossa contribuição: não ficarmos de braços cruzados face às investidas venenosas da víbora marxista. Para isso, recomendo atenta leitura do mencionado manifesto, que se encontra disponível no seguinte link:


O BRASIL EM HISTÓRICA ENCRUZILHADA

Tags: histórica encruzilhada, Brasil em histórica encruzilhada, Paulo Roberto Campos