domingo, 8 de novembro de 2015

A pauta esquerdista das principais revistas semanais do Brasil está levando-as à falência

Escrito por Aluízio Amorim no Blog do Aluizio Amorim às 11/07/2015 06:11:00 AM
Resista ou você se tornará um reles robô biométrico da Smartmatic sob o comando do Lord Mark Malloch-Brown
As principais revistas semanais do Brasil parece que combinaram as pautas das edições deste final de semana. A Época chamou as feministas para editar a revista; a Veja convocou o editor de assuntos hipocondríacos para lançar mais uma dieta milagrosa, enquanto a IstoÉ ressuscitou a tradicional editoria petralha e voltou a ser identificada como Isto Era.

Corre pela internet que a Veja despediu a jornalista Joice Hasselmann. Os blogs sujos estão comemorando. Dia desses também mandou embora o Rodrigo Constantino. Fazendo bem as contas, sobram na Veja o Augusto Nunes, o Reinaldo Azevedo e o Felipe Moura Brasil.

Na Venezuela Hugo Chávez fechou na marra a maior rede de televisão do país, a RCTV para impedir que exercesse o jornalismo de verdade que incomodava o projeto de poder comunista do finado caudilho. Lá, ao contrário do que ocorre no Brasil, a maioria dos jornalistas continua resistindo bravamente ao assalto do Foro de São Paulo.

Outro exemplo eloquente que vem também da Venezuela bolivariana é o caso da TV Globovisión, cujo proprietário, o empresário Guillermo Zuloaga não cedeu aos caprichos da bandalha comunista bolivariana exilando-se para não ser eliminado pela tirania chavista. No final sua família, que continuou operando a empresa, teve que vendê-la na marra para um "boliburguês", ou seja, um empresário que apoia o chavismo como aqueles que por aqui apoiam o lulismo. 

Mas como se pode notar, mesmo debaixo do açoite dos psicopatas bolivarianos, jornalistas e empresários resistiram e ainda continuam a resistir na Venezuela. Muito diferente do Brasil onde os jornalistas e mega empresários aderiram em maioria de corpo, alma e bolso a Lula e seus sequazes.
MAGRELAS  e EMPACADAS 
Quem verificar os sites das principais revistas semanais que vão à bancas neste sábado constatará que tudo o que estou escrevendo neste post é a pura e dura realidade. 

E atenção: o distinto público que costuma ir às bancas - eu particularmente não compro jornais e revistas há pelo menos uma década - verá que as edições dessas publicações semanais boiam como nunca boiaram antes na história deste país. Não dá para conferir o número de acessos das edições online, mas por certo haverá uma retração. Ninguém está a fim - mormente leitores de revistas desse nível - de ler matérias destinadas a aliviar a barra do PT.

Além do mais, notem que todas as revistas sejam elas de informação, lazer, moda e correlatos, estão magrinhas, fininhas. Foram detonadas pela internet e, sobretudo, pelos sites e blogs independentes e também pelas redes sociais. No que tange às denominadas revistas semanais, além da concorrência da internet passaram a perder leitores porque substituíram a informação, as reportagens especiais e os furos jornalísticos, por matérias de amenidades ou ainda calcadas no deletério pensamento politicamente correto. Neste caso tornaram-se os principais veículos de difusão da 'engenharia social'. E tome matérias de "feminismo", "ciclismo", "liberação de drogas entorpecentes" e sobre dietas que proíbem as pessoas de consumirem os alimentos que apreciam. A coisa vai mais ou menos por este caminho: você pode consumir drogas sem qualquer problema, no entanto se acender um cigarro de tabaco ou degustar um foie gras, pode ir para a cadeia.
TARADOS IDEOLÓGICOS
O conjunto da obra tem um só objetivo: a destruição da liberdade individual. Sim, esses andróides do pensamento politicamente correto que tiveram seus cérebros abduzidos pela lavagem cerebral esquerdista nas escolas e universidades já começaram a chegar aos Poderes do estado, à direção de empresas, às cátedras universitárias, à direção de escolas e de todo o sistema educacional e às editorias dos veículos de comunicação. Basta ver as perguntas formuladas na última prova do ENEM. Estamos assistindo a uma idiotização em massa, que passa pelo assertivo discurso bundalelê e pela defesa intransigente da invasão do Ocidente por hordas de islâmicos que desejam destruir a civilização ocidental.

No que se refere aos meios de comunicação essa malta de psicopatas domina as redações de todas as televisões, jornais, revistas há pelo menos uns 100 anos. Todavia, há algumas décadas, ainda havia um contrapeso de jornalistas decentes e competentes. Mas a bandalha comunista conseguiu eliminá-los. 

Exemplo disso é o Olavo de Carvalho, que trabalhou em todos os maiores veículos de comunicação brasileiros até que os comunistas conseguiram empurrá-lo para fora das redações. Como sabem, Olavo vive há mais de uma década nos Estados Unidos sobrevivendo do seu saber com os seus já famosos Seminários de Filosofia que levam os esquerdistas a sofrer ataques histéricos . 
DINAMISMO DA BURRICE
A inteligência sempre foi rara na face da Terra. Entretanto, no século passado, os deficientes mentais não tinham adquirido o dinamismo que se vê neste século. Eles se transformaram naquilo que se pode conceituar como "burros dinâmicos". Se pode ver, por exemplo, rapazes e raparigas completamente tatuados e com adereços, como argolas, pregos e parafusos, inseridos na língua, nas orelhas, narinas e até mesmo nos órgãos genitais. Há uma espécie de auto-imolação. Se são insensíveis à tortura do próprio corpo aceitam como normal, por exemplo, que cristãos sejam degolados por jihadistas no Oriente Médio. Esse modismo completamente idiota faz parte dos preceitos da dita engenharia social.

Talvez seja por isso que esse turbilhão de iniquidades, esses assassinatos filmados e passados em redes de televisão e na internet não mereçam uma só censura da comunidade ocidental. Como também a horda de bandoleiros à solta no Brasil não sofra qualquer objeção nem da grande mídia e nem dos cidadãos e cidadãs, a ponto de se destacar muito pelas redes sociais e blogs quando um grande veículo de mídia publica uma matéria, umazinha só, condenando tais iniquidades. 
Super Interessante: revista do Grupo Abril com reportagem sobre os supostos "benefícios" da erva maldita.
EXALTAÇÃO DO BAGULHO
Tudo começou com uma simples proibição do fumo dentro de aviões. Depois dentro do aeroporto. Depois debaixo da marquise do lado de fora do aeroporto. Depois vieram as marchas da maconha. Depois chegaram os ciclistas nus. Depois as tais "feminazis" masturbando-se com o Crucifixo e sapateando sobre a imagem da padroeira do Brasil e ainda as indefectíveis 'marchas da maconha', que reivindicam a liberação de todos os bagulhos e foram autorizadas, pasmem, pelo STF.

Depois de tudo isso, o índio cocaleiro Evo Morales presenteou o Papa Francisco com uma escultura em que Jesus Cristo está pregado numa cruz formada pela foice e o martelo, o símbolo do comunismo. Ninguém emitiu um só protesto ao ato insólito. Nem mesmo o próprio Papa. Muito menos os jornalistas que dominam as redações dos jornais, rádios e televisões. Afinal, o mimo foi ofertado por um índio que chegou à presidência de uma Nação. A façanha por ele protagonizada e o fato de ser um índio o coloca acima de tudo e de todos. A notícia foi dada como um fato normal. Alguns até comemoraram a 'criatividade' da peça sacrílega.

A guisa de conclusão relembro um fato: durante o regime militar os jornais protestavam contra a censura publicando receitas de bolo na primeira página. Hoje as receitas de bolos, guloseimas ou bebidas alcoólicas estão em destaque nos sites e páginas dos jornalões e revistas. Menos de "foie gras" que é politicamente incorreto. Sem falar que em praticamente todas as edições de sites e publicações impressas aparecem aqueles ramos de maconha verde. Sempre há uma matéria e/ou reportagem exaltado os supostos efeitos benéficos do bagulho. Casais jovens chegam a importar medicamentos a partir da maconha e os ministram aos bebês. Mais do que depressa o Judiciário, por certo algum juiz "alternativo", liberou a panacéia.

Nenhum comentário: