terça-feira, 11 de agosto de 2015

PT gasta 420 bilhões fazendo festa para petistas e apoiadores, mas reclama que o aumento de salários de 2,4 bilhões dado pela Câmara é pauta bomba. É cinismo e é golpe do PT

Ataque do PT ao Congresso é golpe de estado
Em seu Twitter, elegantemente Eduardo Cunha rebateu o discurso criado pelo marqueteiro João Santana, e reproduzido por toda uma mídia aparelhada com verbas estatais: “a de que o Congresso teria uma pauta-bomba contra o governo”. Na verdade, esse parangolé é truque para esconder o fato de que o PT gasta 420 bilhões por ano com ministérios, onde a “cumpanheirada” faz a festa, para depois choramingar por causa do impacto de R$ 2,4 bilhões por causa de uma lei aprovada pelo Congresso. (Detalhe: com exceção de 3 deputados petistas, todos os outros do partido votaram pela mesma lei)

Cunha afirmou, em seu Twitter (como lembrou o blog Terça Livre): “A tentativa de alguns de me colocar como vilão das contas públicas por retaliação ao governo não tem amparo na realidade dos fatos”.

Disse mais: “Sei bem os riscos que sinais equivocados podem causar na avaliação do grau de investimento do País e não compactuo com isso […] É preciso parar de especular e tratar as coisas com mais seriedade”.

Ele complementa: “Tentar esconder a real situação de fragilidade do governo sem base na Câmara me culpando pelas suas derrotas é querer não enfrentar o problema […] A verdade nua e crua é que não existe base do governo”.

Pois é, ele realmente foi um lorde inglês.

Se quisesse, poderia muito bem dizer que o discursinho anti-Congresso é típico de ditadores desqualificados, e ainda avisar “Transferir culpa para o Congresso das culpas do próprio governo é coisa de tiranos de quinta categoria. Governo este que gasta meio trilhão por ano em ministérios aparelhados. Atacar o Congresso é golpismo dos mais manjados. Todas ditaduras começam com ataques ao Congresso. Foi assim em 1964. O golpe do PT não passará!”.

Nenhum comentário: