quinta-feira, 23 de abril de 2015

A QUESTÃO AMBIENTAL

          O homem não é responsável pelo clima global. Antes da ação humana sobre o meio ambiente prevalece a ação do mar com setenta por cento da área terrestre. Antes do mar prevalece o volume do planeta que é mais de dez mil vezes maior do que o volume do mar ou do influenciado pelo homem. E ainda se tem que considerar a ação da Lua e do Sol que seguramente anulam qualquer influência humana sobre o clima global.
          Raciocinem: A superfície da terra é 70% de água e 30% de terra. Da parte que é terra, a ação humana ocupa menos de 50%. Destes 15% ocupados pelo ser humano, as áreas urbanas são apenas 5%. Daí que o ambientalista considera que essa ocupação de 1% da superfície terrestre determina o clima do planeta. Você pensa que isso é possível? 
          Em termos de volume, se for considerado 5km acima e 5km abaixo da superfície terrestre, ver-se-á que o homem usa menos de um milésimo do volume terrestre. Daí que a conclusão lógica é a de que o meio ambiente não é influenciado pelo ser humano.
         A ação humana poderia, no máximo, influenciar micro climas, mas nem isso ocorre. Veja o caso da capital do Peru, Lima, onze milhões de habitantes, que está na beira do mar, próxima do Trópico do Equador, que deveria ter clima semelhante ao do Recife, mas tem temperatura média anual de quinze graus centígrados, está sempre com umidade de 98%, mas nunca chove. Portanto, a legislação ambiental exclusivamente municipal é a mais adequada, mesmo que pouco se possa fazer pelo ambiente local.
          Ambientalistas consideram-se o centro do mundo. Acham que Deus morreu e se Deus morreu então a solução do meio ambiente é deles. A partir dessa soberba propõem uma solução para o “problema ambiental”. Sabe qual é a solução proposta? Exterminar cinco dos sete bilhões de habitantes do planeta. Ambientalistas são piores que marxistas e todos querem centralizar o poder em Brasília.
          Por isso, o município deve ser valorizado e as questões ambientais devem ser decididas pelos munícipes. O ambientalista é como melancia: socialista por dentro e panteísta por fora. Gosta do poder centralizado para impor medidas autoritárias. Mas, definitivamente, o homem não é responsável pelo clima global.
          Por isso, na Constituição do novo país chamado Brasil, a questão ambiental é tratada da seguinte maneira:
         Art. 8º - Compete exclusivamente aos municípios:
I - legislar sobre meio ambiente e assuntos de interesse local;
II – instituir, arrecadar e fiscalizar os tributos de sua competência;
III – urbanização das cidades;
§ 1º – A legislação sobre meio ambiente aprovada pelo município não deve ser restritiva ao agronegócio, à construção de edificações ou estradas ou ao fornecimento de energia ao mercado;
§ 2º - A legislação ambiental não poderá impedir a exploração dos recursos naturais, a qual só poderá ser onerada por impostos proporcionais.
Escrito por Navarro, Editor do Blog
Leia a seguir o texto de Uma Nova Constituição para o Brasil

Nenhum comentário: