segunda-feira, 16 de março de 2015

Com esses governantes, não há esperança

Com esses governantes, não há esperança.
Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Márcio Accioly*
O ex-presidente FHC, a quem se conhece muito carinhosamente como “Boca de Tuba”, concedeu entrevista bastante esclarecedora ao jornal O Estado de S. Paulo, deixando todos os brasileiros felizes por conta de conhecidas posições sempre firmes e determinadas. Com relação ao clima de roubalheira na Presidência, onde a ex-guerrilheira manda e desfaz, sua ex-excelência afirmou que “não é hora de afastar Dilma nem de pactuar”. Todos os seus seguidores acharam “brilhante” tal colocação.
FHC, que dirigiu um dos governos mais corruptos da história do país, é aquele mesmo que diz ter saudade apenas da piscina do Palácio da Alvorada e do helicóptero. Ah!, que fascínio o helicóptero exerce sobre os nossos preclaros “governantes”! Quando foi governador tampão do Distrito Federal, depois do afastamento e prisão de José Roberto Arruda (2010), Rogério Rosso (hoje deputado federal), passou a nutrir verdadeira reverência pelo helicóptero da administração.

Ele não conseguia se deslocar por 500 metros, não fosse a bordo da maquininha. Administrar não era o forte de sua excelência (quando ele saiu do cargo, o mato na Esplanada dos Ministérios passava da altura da cintura de cidadão de estatura mediana), mas como tinha amor pelo espaço aéreo!

Com o ex-presidente Collor era também assim: todos se lembram de sua excelência acima e abaixo num autogiro, à época em que, segundo sua então esposa, exumava corpos para fazer magia e continuar no cargo.

FHC entende que o atual cenário político não oferece saída, mas, mesmo assim, não acredita que Dilma deva sair ou ficar. Em sua opinião, tanto pode ser uma coisa quanto outra, dependendo do que acontecer. Mais claro do que isso, não existe! O partido de sua ex-excelência está cheio de luminares! Mas a maior estrela é ele mesmo. Pudera! As coisas para ele são tão fáceis que chegou a declarar uma vez não saber “que era tão fácil governar o Brasil”. Ninguém entende por que é vaiado aonde vai.

Conhecido também como “O príncipe da sociologia”, FHC possui a vantagem de tudo saber com antecedência. Certa feita, no cafezinho da Câmara, numa conversa informal, um ex-ministro do então presidente Itamar Franco disse que FHC estava na antessala para participar de audiência, quando ele resolveu fazer uma brincadeira.

Como tinha muita intimidade com Itamar, o ministro lhe disse que iria inventar uma história: dizer que determinada figura da República fora apanhado em flagrante pela esposa com uma namorada e agora estava com medo de ser exposto publicamente. Feito isso, caíram na gargalhada quando FHC reagiu dizendo que tinha sido “uma coisa constrangedora” e que ele (FHC) acompanhava a esposa traída quando isso aconteceu. Aí, o ministro retrucou:

“-Não aconteceu, FHC, porque inventei essa história agora!”.

O então senador não perdeu o rebolado:

“-Eu sei que não aconteceu e que é uma brincadeira, por isso que eu também inventei que estava acompanhando a esposa enganada”.

Com FHC é assim: ele nunca perde o ritmo e nunca tem medida ou escrúpulo para nada.

O Brasil está nas mãos desses farsantes, pois quem pauta as atitudes nacionais são as emissoras de televisão, capitaneadas pela Rede Globo. Enquanto as crianças e adolescentes forem “educadas” pelos programas televisivos, jamais teremos saída. E é caso difícil, porque educar leva tempo, anos. Se começar uma mudança a partir de agora, na área educacional, nós só iremos ver resultado daqui a 20 ou 30 anos. A Coreia do Sul conseguiu isso, como a China, mas, o Brasil? Vivemos num país de bandidos!

As reformas estruturais de que o nosso país precisa são graves e profundas, não há como alimentar esperança com as figuras públicas que aí se encontram. Por isso que vai descambar para a violência. Embora isso também não garanta resultado positivo.

*Márcio Accioly é Jornalista.

Nenhum comentário: