sábado, 31 de janeiro de 2015

Padre Pio e a Confissão

Autor: Dom Dimond, OSB
Tradução: Carlos Wolkartt
“Tens cantado um hino a Satanás, enquanto

Jesus, em Seu amor ardente, deslocou a cabeça por ti”

João XX, 21-23: “Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. Tendo dito estas palavras, soprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos”.

No Evangelho de João, vemos o poder de perdoar os pecados sendo conferido por Jesus Cristo sobre os Apóstolos. O poder de perdoar os pecados conferido sobre os sacerdotes validamente ordenados por um bispo seria um papel proeminente na vida e nos milagres de Padre Pio. De 1918 a 1923, Padre Pio ouvia confissões de quinze a dezenove horas, todos os dias. Nos anos 1940 e 1950, geralmente ouvia confissões por menos tempo diário, entre cinco a oito horas.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO: UM CADÁVER NO PODER

Escrito por Olavo de Carvalho* e publicado no site Mídia Sem Máscara

Intelectualmente e teologicamente, a TL está morta há três décadas. Mas ela nunca foi um movimento intelectual e teológico. Foi e é um movimento político adornado por pretextos teológicos artificiosos e de uma leviandade sem par.

Volto à análise da Teologia da Libertação.

Se a coisa e até o nome que a designa vieram prontos da KGB, isso não quer dizer que seus pais adotivos, Gutierrez, Boff e Frei Betto, não tenham tido nenhum mérito na sua disseminação pelo mundo. Ao contrário, eles desempenharam um papel crucial nas vitórias da TL e no mistério da sua longa sobrevivência.

Os três, mas principalmente os dois brasileiros, atuaram sempre e simultaneamente em dois planos. De um lado, produzindo artificiosas argumentações teológicas para uso do clero, dos intelectuais e da Curia romana. De outro lado, espalhando sermões e discursos populares e devotando-se intensamente à criação da rede de militância que se notabilizaria com o nome de “comunidades eclesiais de base” e viria a constituir a semente do Partido dos Trabalhadores. “Base” é aliás o termo técnico usado tradicionalmente nos partidos comunistas para designar a militância, distinguindo-a dos líderes. Sua adoção pela TL não foi mera coincidência. Quando os pastores se transformaram em comissários políticos, o rebanho tinha mesmo de tornar-se “base”.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Advogado de Youssef diz que seu cliente serviu a um projeto de poder liderado pelo PT e não era chefe de nada. Querem saber? Ele está falando a verdade! Ou: Faz sentido Kátia Rabello estar presa, e José Dirceu, no conforto do lar?

Escrito por Reinaldo Azevedo no Blog do Reinaldo na Veja.
Temos de estar preparados para a possibilidade de pessoas que cometeram crimes, como os empreiteiros ou o doleiro Alberto Youssef, dizerem a verdade. E isso não os torna inocentes. Apenas põe as coisas nos seus devidos termos. Se qualquer um dos presos da Operação Lava-Jato afirmar que a lei da gravidade existe, serei obrigado a concordar. Nem precisarão insistir que o quadrado da hipotenusa é igual à soma dos quadrados dos catetos porque, ora vejam!, é mesmo. É algo que se pode verificar empiricamente. Nem é preciso recorrer à abstração do gato de Schrödinger, que explica — ou complica — a mecânica quântica. Não entendeu esse papo de gato? Pesquise lá. É fascinante. O que estou dizendo é que pessoas pelas quais não nutrimos grande admiração moral podem falar a verdade.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

UM FILME ESPETACULAR: O JUIZ

Título: O Juiz
Diretor: David Dobkin
Elenco: Robert Downey Jr, Roberto Duvall e Vera Formiga
Escrito por Nivaldo Cordeiro e publicado no site Nivaldo Cordeiro: Um espectador engajado

Há tempos eu esperava o lançamento do filme de David Dobkin, o Juiz, cuja crítica eu havia lido em sites internacionais. O tema me atraiu de imediato, mas também o elenco poderoso. Eu sou fã de carteirinha do Robert Duvall, que não costuma aceitar roteiros banais e agora me certifiquei porque Robert Downey Jr. é o ator mais bem pago de Hollywood. Grande roteiro estrelado por um elenco extraordinário.

Não é apenas mais uma história envolvendo a Justiça e o Tribunal do Júri, embora não deixe de ser. O drama é entre pai e filho, por um acaso o pai juiz e o filho advogado. Um juiz reto que, por circunstância, ao fim da vida comete um crime de homicídio, pelo qual acaba condenado. Mas o instigante é que é contada a história de vida dos dois homens e assim questões substantivas sobre a existência são postas para reflexão. Ver a vida em retrospectiva, a de cada um, é sempre uma opção de pensar a história do que poderia ter sido se as decisões erradas não tivessem sido tomadas. E também de como enfrentar as questões tendo em vista o que poderia ter sido.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

MARAVILHAS INCONTÁVEIS: Eu tenho a grande sorte de viver em uma sociedade que encoraja as pessoas verdadeiramente criativas a dividir os frutos de sua criatividade comigo

Escrito por Donald J. Boudreaux* e publicado por Ivan Lima às 10:09 AM no Blog Libertatum

*Donald J. Boudreaux é o diretor do departamento de economia da Universidade George Mason.

Em um passeio recente por um bairro rico de San Francisco que ostenta casas absolutamente espetaculares, fiz o que qualquer pessoa normal faria nessa circunstância: pensei comigo, “o que eu poderia fazer para ganhar dinheiro suficiente para comprar uma casa dessas?” Meus pensamentos continuaram: “para ser tão rico assim, eu preciso produzir alguma coisa pela qual muitas pessoas pagariam um valor mais alto que meu custo para produzi-lo. OK! Ótimo! Eu identifiquei a fórmula geral. Agora, tudo que preciso fazer é pensar em um produto, algo que as pessoas pagassem um preço mais alto que meu custo de produção”.
“O que eu posso produzir?... O que eu posso produzir?... Que ideia posso ter que seja criativa o suficiente para me trazer uma fortuna?... O que eu posso produzir?... Pense Don: pense, pense, PENSE!”

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A marcha das panelas na Venezuela, as cabeças vazias da oposição democrática e o avanço do Foro de São Paulo

Escrito por Aluízio Amorim no Blog do Aluízio Amorim
Milhares de pessoas saíram às ruas neste sábado novamente na Venezuela para protestar contra a tirania comunista bolivariana de Nicolás Maduro e seus sequazes. Se olharmos como atenção para as fotografias e vídeos da Marcha das Panelas Vazias que ocorreu em Caracas e em mais algumas cidades venezuelanas, veremos que se parecem com as últimas manifestações de oposição que ocorreram no Brasil. Da mesma forma, essas passeatas também se parecem com aquelas havidas recentemente na Argentina e até mesmo em Paris após o atentado do terror islâmico que, aliás, continua degolando cidadãos ocidentais enquanto os chefes de Estado das nações democráticas fazem que não vêem.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Afirmar que 2014 foi o ano mais quente do século é mais uma fraude dos jornalistas ambientalistas. Querem vender notícias escondendo a verdade

Escrito por Luis Dufaur às 05:30, domingo, 25 de janeiro de 2015, no Blog Verde: a cor nova do comunismo

O total a pagar no supermercado deu R$ 20,01. Paguei com uma nota de vinte e o caixa ignorou o 0,01. Perguntei-me se com esse centavo eu não teria batido meu recorde de riqueza. Evidentemente, um centavinho é irrelevante. 

Mas, indaguei a mim mesmo se continuando a acumular um centavo anualmente chegaria a ficar mais rico que Bill Gates. Mas esse centavo somado a muitos outros não mudarão em nada minha existência. 

Ninguém ache que eu estava ficando louco. Na verdade, eu estava raciocinando como ‘aquecimentista’, pois acabava de ler num envelhecido jornal paulista noticia originada na Agência Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA) de que a temperatura global da Terra bateu em 2014 o recorde desde que as temperaturas globais começaram a ser registradas, em 1880. 

Outros jornais e revistas publicaram matérias análogas. Passo um véu sobre eles para poupá-los da vergonha que exponho a seguir.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Banditismo, política revolucionária e o papel da polícia - Uma entrevista com Olavo de Carvalho

Escrito por Sinpol-DF*, publicado no site do Sinpol e no Mídia Sem Máscara
O filósofo Olavo de Carvalho é certamente o mais comentado intelectual brasileiro da atualidade. É autor de vários livros, dentre os quais O Jardim das Aflições, O Imbecil Coletivo, O Futuro do Pensamento Brasileiro, entre outros. Além de ser fundador e editor-chefe do website de media watch e opinião Mídia Sem Máscara, escreve para o jornal Diário do Comércio, de São Paulo. Também ministra aulas online em seu Seminário de Filosofia (www.seminariodefilosofia.org) e preside o The Inter-American Institute (http://theinteramerican.org), de cujas atividades participam grandes nomes da intelectualidade dos EUA e da América Latina.

Olavo prontamente se dispôs a dar seu parecer ao Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) sobre questões relacionadas à política brasileira, a gestão da segurança pública, o trabalho das polícias, desarmamento e a criminalização da atividade policial no cenário cultural.

Sinpol-DF: Segundo as estatísticas do Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2013, cerca de 490 policias foram mortos no Brasil. De 2009 para cá, o número chega a 1.170 policiais. O número total de homicídios no país ultrapassa os 50 mil. São números alarmantes que indicam um estado de guerra civil não declarada. Porém, ao noticiar tais estatísticas, a imprensa deu destaque às mortes de civis provocadas por confronto com as forças policiais, para concluir que a polícia brasileira “mata muito”. O senhor concorda?

R: Pelo menos, desde os anos 60 do século passado, a esquerda internacional e nacional não esconde seu propósito de utilizar o banditismo como arma de guerra revolucionária para a conquista do poder total.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Devemos lutar contra meios-termos fraudulentos, recusar a comparação maliciosa (casamento gay), denunciar a má-fé da comparação, processar os exploradores de mulheres e excomungar os sodomitas

Qualquer pessoa que tenha um mínimo de experiência política entende a estratégia de fazer “avançar” determinada agenda ideológica mediante um emprego trivial de dialética hegeliana. Consiste, basicamente, em forçar um meio-termo mediante a introdução, no cenário político, de uma posição propositalmente extremada. Assim, do embate entre a tese (o status quo) e a antítese (a nova proposta), emerge uma síntese que não chega a ser exatamente a novidade, mas tampouco continua sendo a situação anterior. Como a antítese era artificialmente extremada e nunca fora realmente levada a sério mesmo, os seus propagadores ficam felizes com qualquer espaço que consigam ganhar – para quem não tinha nada, o que vier é lucro. No extremo oposto, como a situação anteriormente estabelecida era de verdade, empírica e factual, qualquer espaço que ela perca é uma perda verdadeira. O emprego sistemático dessa estratégia simples – impondo antíteses sucessivamente mais alucinadas às sínteses (tornadas teses) que se forem conquistando – é capaz de conduzir, com bastante eficácia, os rumos de uma sociedade para uma direção que ela, em princípio, não estaria jamais disposta a tomar.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Cleaners - "limpadores" - são os católicos com uma concepção errada de Igreja, que julgam que se deve defender tudo o que o papa diz, mesmo quando agride o senso da fé dos fiéis e o próprio magistério da Igreja

Escrito por Frei Clemente Rojão OAAO/ no site Frei Rojão
Muitos me perguntam o que é "Cleaner". Abaixo descrevo o Cleaner ideal. Não existe um cleaner ideal, mas diversos estágios desta - parafraseando nosso papa Francisco sentando o relho na Cúria Romana - "doença espiritual".

Cleaners - "limpadores" - são os católicos com uma concepção errada de Igreja, que julgam que se deve defender tudo o que o papa diz, mesmo quando agride o senso da fé dos fiéis e o próprio magistério da Igreja, mesmo que fale de improviso e num ambiente hostil da imprensa mundana. Cleaners se dedicam a piruetas mentais para defender tudo o que é dito e feito, mesmo que isto exija duplipensar a maneira orwelliana de 1984. Os Cleaners seguem a máxima de Groucho Marx "Você vai ter coragem de deixar de acreditar em mim para acreditar no que dizem seus olhos???"

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Membro do governo da Argentina diz que o promotor suicidou-se, mas a arma não era dele, não havia pólvora na mão, a empregada dele tinha ordens de comprar alimentos no supermercado e o promotor era judeu que abomina o suicídio

Escrito por Reinaldo Azevedo e publicado no Blog do Reinaldo na Veja:

O jornal Clarín publicou um texto em que aponta cinco questões sem resposta que cercam a morte do promotor Alberto Nisman, que acusava a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, de acobertar a participação do Irã em atentados contra a comunidade judaica no país. Nisman, divorciado e com duas filhas, deveria apresentar nesta segunda, no Congresso, as provas que dizia ter, mas apareceu morto, em seu apartamento, com um tiro na cabeça, disparado por uma arma calibre 22, num aparente suicídio. Às questões levantadas pelo jornal, acrescento algumas outras.

O que se passou entre a tarde de sábado e a manhã de domingo? E um tal Diego
Pessoas das relações de Nisman e jornalistas tiveram contato com ele durante a tarde de sábado, inclusive Waldo Wolff, vice-presidente da DAIA (Delegação de Associações Israelitas Argentinas). Ele exibiu uma foto que o promotor lhe enviou no sábado, às 18h27. Na tarde do mesmo dia, um tal Diego Lagomarsino, especialista em informática e suposto colaborador de Nisman, disse ter levado ao promotor, a pedido deste, a pistola Bersa, calibre .22, de onde saiu o tiro que o matou. Nota: Lagormarsino se apresentou espontaneamente à polícia.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Uma Igreja Universal faz sessões de oração para fechar o cabaré ao lado. O cabaré pegou fogo. A Dona entrou com processo contra a Igreja alegando que o fogo fora provocado pelas orações. A Igreja nega que as orações tenham sido eficientes. Quem tem mais fé: a dona do cabaré ou o dono da Igreja?

Cabaré processa a Igreja Universal...essa é boa
MULTIPLICANDO AS 30 MOEDAS DE PRATA

Escrito por Ademir Penteado e publicado no Blog DefesaHetero em 20/01/2015
Judas Iscariotes traiu Jesus e recebeu como paga trinta moedas de prata. No Evangelho de Lucas capítulo 12, versículos 8 e 9, Jesus faz algumas admoestações aos discípulos: “Digo-vos ainda: todo aquele que me confessar diante dos homens, também o filho do Homem o confessará diante dos anjos de Deus; mas o que me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus.” .

Não consigo entender de outra maneira o fato daqueles que se dizem cristãos professarem com a boca uma coisa e nas atitudes demonstrarem outra. O mundo não suporta mais pessoas que apenas falam, precisa ver atitude, pois, não é certo o adágio popular que uma atitude vale mais do que mil palavras? Não basta mais dizer-se que é, é necessário mostrar que é.

Quando que um crente, um cristão, nega Jesus? Quando se diz uma coisa e vive outra. Pelos frutos é que se confirma o que alguém propaga de si. Para mim, e penso que não estou só nisso, quando aquele que se diz filho de Deus, nascido de novo, não vive dentro dos princípios bíblicos, nos fundamentos do cristianismo, ele está traindo uma causa, está traindo Jesus. Longe de nós sermos perfeitos, mas coerência e ética cristã não podem nos faltar.

Recebi, por e-mail, uma notícia assim expressada: “Cabaré processa a Igreja Universal.” Conta a história de uma senhora, no Ceará, que estava expandindo as atividades do seu cabaré. Em resposta, a igreja iniciou uma forte campanha para bloquear a expansão, com sessões de oração, de manhã, à tarde e à noite. Uma semana antes da inauguração da parte expandida, um raio atingiu o cabaré queimando as instalações elétricas, provocando um incêndio que danificou grande parte do prédio.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Pena de morte: por que não?

Escrito por Editor do Blog Mr X
Dilma declarou-se "indignada" com a execução de um traficante brasileiro na Indonésia. Talvez o PT tenha ficado tão acostumado a defender criminosos e larápios, que já não mede esforços até em tentar ajudar até bandidos presos no exterior e sujeitos a outra legislação.

Já o povo brasileiro não aguenta mais crime e vê na Indonésia um exemplo a ser seguido. Afinal, o máximo que um criminoso pode pegar no Brasil são 30 anos de cadeia, sendo normalmente bem menos.

Os esquerdistas argumentam contra a pena de morte dizendo que "o Estado não pode adotar a barbárie como política." (Curiosamente, Cuba parece ser uma exceção: para o esquerdista, Cuba pode tudo).

Nunca entendi direito esse raciocínio. O poder público não pode matar, depois de um julgamento e o direito à defesa, mas os criminosos podem, sem qualquer limite?

domingo, 18 de janeiro de 2015

CONTROLE DA IMPRENSA: As desculpas esfarrapadas do PT para esconder que quer censurar a mídia. Vamos desmascará-las, uma a uma…

Que vergonha alheia dos petistas. Para tentar esconder suas intenções de censurar a mídia, criaram um banner para ser distribuído pela Internet, onde querem “esclarecer as coisas”. Quebrei essa peça de propaganda em seis pedaços, avaliados a seguir:
Oba! Uma lupa? Este é um dos símbolos já usados por este blog. Será que teremos uma abordagem verdadeira analítica sobre o tema? Como diria o ceguinho esperançoso, veremos…

sábado, 17 de janeiro de 2015

A mentalidade da esquerda e seus estragos sobre os mais pobres

Escrito por Thomas Sowell*, quarta-feira, 7 de janeiro de 2015, no site IMB - Instituto Ludwig von Mises Brasil 
Quando adolescentes criminosos e assassinos são rotulados de "jovens problemáticos" por pessoas que se identificam como sendo de esquerda, isso nos diz mais sobre a mentalidade da própria esquerda do que sobre esses criminosos violentos propriamente ditos.

Raramente há alguma evidência de que os criminosos sejam meramente 'problemáticos', e frequentemente abundam evidências de que eles na realidade estão apenas se divertindo enormemente ao cometer seus atos criminosos sobre terceiros.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Islamismo: Método de conquista de poder disfarçado de religião política que contabiliza 270 milhões de cadáveres em 1400 anos. O marxismo também é uma religião política que liquidou números semelhantes de seres humanos

Islã: 270 milhões de cadáveres em 1400 anos
Escrito por FRONTPAGE MAGAZINE em 22 SETEMBRO 2010 no site Mídia Sem Máscara
Não importa o quanto se seja simpático com um golpista, ele vai se aproveitar da pessoa. Não há acordo com a ética dualista. Em resumo, a política, ética e lógica islâmicas não podem fazer parte de nossa civilização. O Islã não se deixa assimilar, ele domina. Não existe nunca esta história de "conviver" com o Islã.
Entrevista realizada pela Frontpage Magazine a Bill Warner, diretor do Centro para o Estudo do Islã Político (CSPI). O objetivo do CSPI é ensinar a doutrina do Islã através de seus livros e ele já produziu uma série com este enfoque. O sr. Warner não escreveu a série do CSPI, mas atua como agente para o grupo de estudiosos que são os autores.

FP: Bill Warner, bem-vindo à Frontpage Magazine.
Warner: Obrigado, Jamie, por esta oportunidade.

FP: Fale-nos sobre o Centro para o Estudo do Islã Político.
Warner: O Centro para o Estudo do Islã Político é um grupo de estudiosos dedicados ao estudo científico dos textos fundamentais do Islã - Corão, Sira (vida de Maomé) e Hadith (tradições sobre Maomé). Há duas áreas para se estudar no Islã, sua doutrina e sua história, ou, na visão do CSPI - a teoria e seus resultados. Nós estudamos a história para ver os resultados práticos ou experimentais da doutrina.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Devemos nos indignar de fato contra a censura de mídia realizada pela organização PT

Governo anuncia corte de verbas à Rede Globo e Editora Abril. Ou: mais uma vitória simbólica do governo na luta pela censura de mídia.
Escrito por LUCIANOHENRIQUE on 7 DE JANEIRO DE 2015 no Ceticismo Político

Vi com satisfação que vários blogs, colunistas e políticos de oposição tem começado a dar a devida prioridade para a questão da censura de mídia. Este é o ponto mais importante da guerra política atualmente.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

A liberdade de expressão e os seus limites

Escrito por Jorge Ferraz (admin) 14/01/2015

Um leitor do Deus lo Vult! deixou, aqui, o seguinte comentário:
Sobre a liberdade de ofender e escarnecer, como se pode definir que alguém foi ofendido ou escarnecido se os pontos de vista são tão diferentes? Essa batalha que deve ocorrer no âmbito civil e com critérios muito claros. Pois muitos do movimento gay também consideram ofensivo que representantes das igrejas apareçam na TV bradando que os homossexuais são pecadores, pode-se evocar a liberdade de expressão nesse caso ou estamos diante de um outro limite para a liberdade de expressão?

Penso que o assunto merece um post à parte.

Antes de qualquer coisa, o problema, a nível teórico, se resolve de maneira muitíssimo simples: a rigor, a única liberdade que existe é «a liberdade fundamentada sobre a verdade» (Paulo VI, Mensagem para o 9º dia mundial das comunicações sociais, 19 de abril de 1975). A fórmula de Pio XII (Miranda Prorsus, Parte Geral, “Liberdade de Difusão”), por sua vez, é bastante intuitiva e pode nos ser muito útil nesta seara:
[A] verdadeira liberdade consiste no uso regrado da difusão daqueles valores que ajudam ao aperfeiçoamento do homem.

A realidade é que vivemos em países socialistas. Ou: Você é comunista e não sabia

Escrito por Alberto Mansueti* e publicado no site Mídia Sem Máscara

A realidade é que vivemos em países socialistas.
Façamos um pequeno “teste político” com dez “políticas públicas” ou ações do governo, das quais sempre se fala em todos os países. Você tem de marcar se está de acordo ou não com cada uma destas dez idéias ou medidas. Você pode responder e depois perguntar a seus familiares e amigos. Comecemos:

1.“Reforma agrária”, ou seja, a luta contra o latifúndio: a grande propriedade rural;

2.“Imposto progressivo”, ou seja, quem ganha mais paga uma porcentagem maior de imposto;

3.“Imposto sobre heranças”, para se ter mais igualdade de oportunidades;

4.Nacionalização de grandes empresas estrangeiras, e o confisco de propriedades privadas, visando o bem comum;

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Como falar ao coração do povo. É difícil, mas devemos fazê-lo

Alinhando o discurso: como “falar ao coração” não é tão simples quanto parece
A leitura de David Horowitz deve ocorrer por camadas. Leitura e treino, depois mais leitura e mais treino, com ainda mais leitura e ainda mais treino. Isso por que o autor, embora brilhante, tem por hábito dar explicações gerais para seus métodos. O que nos leva a fazer algumas reconstruções e adaptações, além de muitos testes.

Como exemplo, Horowitz escreveu A Arte da Guerra Política para assessores de campanha. Mas estávamos em 2000, quando a Internet ainda não havia se tornado tão importante. A ação política, por causa dessa revolução digital, hoje é muito mais descentralizada. Logo, se o conhecimento ali não for adaptado para todos os formadores de opinião em geral, nos daremos mal. Por isso, adapto todo esse material para ser usado por formadores de opinião. Assim, se você tiver um blog pode aplicar os princípios. Se apenas gosta de escrever na Internet, também. Caso queira organizar manifestações, vale o mesmo. Até por que falamos de seis princípios básicos, que podem ser usados em vários níveis.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

O marxismo deve ser igualado ao nazismo em termos de criminalização? Como tratar este problema ético?

Escrito por LUCIANOHENRIQUE on 6 DE JANEIRO DE 2015 e publicado no site Ceticismo Político
Entra ano, sai ano, e surge a discussão sobre se o comunismo deve ser criminalizado tanto quanto se faz atualmente com o nazismo. Alguns dizem que o comunismo deve ser criminalizado. Outros dizem que o melhor é deixar pra lá.

A título de didatismo, vamos definir os dois grupos como criminalizadores e apaziguadores.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Sete dicas para rotular seus oponentes

Aquele que gosta ou pratica a política deve ler os artigos do excelente Luciano Henrique. Leia, por exemplo, o artigo: 7 dicas para rotular seus oponentes
De acordo com o princípio 3 da arte da guerra política (“o agressor geralmente prevalece”), um diferencial é saber rotular o seu oponente da maneira mais adequada. Aqui vão algumas diretrizes para que suas rotulagens funcionem a contento.

1. Considere os outros princípios da guerra política

Os princípios, neste caso, são os que você já deve conhecer se frequenta este blog há algum tempo: política é guerra de posição, que é conquistada através de símbolos de medo e esperança, e com a vitória ficando do lado do povo.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Leia sobre uma corrupção mais importante do que a da Petrobras. Ou: Censura de mídia for dummies da ditadura da organização PT

Censura de mídia for dummies
Escrito por LUCIANOHENRIQUE on 6 DE JANEIRO DE 2015 no Ceticismo Político

É de estarrecer como muitos republicanos não se indignam suficientemente ao serem afrontados com provocações que tirariam até mesmo niilistas de sangue frio de suas zonas de conforto.

Talvez pelas prioridades para protesto escolhidas nos últimos meses (onde se falou muito em “anulação de eleições”, “impeachment de Dilma” e, nos piores casos, em “intervenção militar”), os fronts mais importantes de batalha muitas vezes foram esquecidos.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

O atentado na França: O renascer das instituições inspiradas no cristianismo é o único antídoto contra a barbárie islâmica

Escrito por Nivaldo Cordeiro em 08/01/2015 no site: Nivaldo Cordeiro - Um espectador engajado
Guardadas as devidas proporções, em face dos números dos mortos, o atentado ocorrido ontem em Paris é da mesma natureza do que aquele que derrubou as Torres Gêmeas. É a prova de que o terrorismo islâmico continua ativo em toda parte. Mesmo nos EUA tivemos alguns episódios de franco-atiradores mortais. A novidade é que o fato ocorreu na França, país que tem demonstrado grande simpatia pelos militantes da causa islâmica em várias oportunidades. Em 1995, a mesma Paris já tinha sido objeto de um atentado a uma estação de metrô, que deixou muitos mortos, mas parece que tudo se apagou da memória. Fiquei indignado com a morosidade registrada pela polícia francesa para reagir. As imagens do policial assassinado friamente parecem revelar que ele nem portava arma de defesa pessoal. Presa fácil, galinha morta.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

O islamismo é cristofóbico e violento, mas jornalistas da Globo falam em islamofobia de cristão. É muita ignorância ou é desinformação proposital. Leia os Mapas do Islã do Frei Rojão e perceba que não há espaço para o pacifismo islâmico

Frei Clemente Rojão OAAO/ no site Frei Rojão

O Triunfo dos Porcos ensina de maneira notável como o Islamismo divide o mundo. E nós, no Brasil, estamos onde? No Dar-Al-Suhl, provavelmente. Lembro, com alerta, que Portugal é Dar-Al-Islam. O Dar-Al-Islam é toda aquela região que já foi dominada por muçulmanos. São Tiago MM, rogai por nós!
***
O Islão (qualquer que seja a corrente) alimenta uma ideia de superioridade moral que fundamenta uma visão essencialmente tripartida do mundo. O mundo, visto da perspectiva muçulmana, mapeia-se de uma forma simples e eficaz: (há outras divisões menores, mas que não tocam na coerência do mapa maior)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Graça Foster, a "laranja" da Dilma na Petrobras, atuou na criação da empresa "laranja" que desviou bilhões de gasoduto

Escrito por Coronel do Blog do Coronel 

(O Globo, hoje) A atual presidente da Petrobras, Graça Foster, atuou diretamente no processo de implementação da rede de gasodutos Gasene, que liga o Sudeste ao Nordeste, e que, segundo auditoria sigilosa do Tribunal de Contas da União (TCU), teve superfaturamento de mais de 1.800% em um de seus principais trechos. A investigação do tribunal foi revelada pelo GLOBO.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Quem poupa o lobo condena as ovelhas. Ou: A quem interessa desarmar ou acabar com nossas polícias estaduais

"Quem poupa o lobo condena as ovelhas"

Lembrem-se de repetir esta frase de maneira enigmática quando alguém vier mui hipocritamente criticando nossas polícias.

Não se esqueçam que a democracia brasileira só respira porque o PT ainda não tem força militar: As polícias militares estão nas mãos dos governos dos estados e os militares resistem a eles em silêncio heroico. A polícia federal é um pouco diferente: Ela não é uma força "militar" porque é polícia judiciária e ainda tem bastiões de honra para resistir o jogo sujo do PT. Quanto à Força Nacional de Segurança o sistema federativo impede que ela seja uma força policial efetiva, mas temos que prestar atenção nela.

domingo, 4 de janeiro de 2015

História e identidade do Partido Conservador - PACO - no Brasil

Autor: Navarro
História do Partido Conservador no Brasil
De 1500 a 1822, período do Brasil Colônia de Portugal, o poder não era disputado por facções políticas, mas sim pelas armas ou pela colonização. Quem gostava do poder acercava-se do imperador de Portugal. 

Sendo assim, logo após a declaração da independência em 1822, os liberais e os conservadores aproximaram-se do poder exercido pelo imperador Pedro I. Com a abdicação deste, os adoradores do poder instalaram o período regencial. Primeiro houve a regência trina (três dirigentes de 1831 a 1834) e depois as regências unas do Padre Feijó (1834-1837) e de Pedro de Araújo Lima (1837-1840).