quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Exclusivo! Já está disponível na internet o "Museu Vítima dos Comunistas". Ou: Veja vídeo informando que José Genoíno delatou seus companheiros de guerrilha

Republico aqui neste blog o trabalho do Aluízio Amorim divulgando o Museu "Vítimas dos Comunistas". 
Assista ao vídeo relatando a maneira que o José Genoíno foi capturado e como delatou seus companheiros de luta armada na Guerrilha do Araguaia. AQUI
Acaba de aparecer na internet um site denominado Museu Vítimas dos Comunistas. É claro que iniciativas como esta serão simplesmente ignoradas pela grande mídia, toda ela - as exceções são raras - controlada pela patrulha ideológica que atua nas redações dos veículos de comunicação.
Depois que os jornalistas começaram a ser formados pelos cursos de jornalismo esse controle aumentou, já que boa parte da nova safra de jornalistas, todas sob severo controle de uma malta de idiotas, já sai dessas faculdades de cabeça feita já que ao longo do curso são submetidos a uma lavagem cerebral criminosa.
Estabelece-se, desta forma espécie de um “círculo de ferro" comunista que garroteia as redações de forma a elidir os fatos para apresentar aos leitores e telespectadores as versões desses fatos. E essas versões correspondem aos interesses do movimento comunista internacional sendo as engrenagens que movimentam a diabólica máquina do denominado “marxismo cultural”, promovendo a lavagem cerebral em massa e transformando cada cidadão num robô que repete ad nauseam que “Lula é um grande líder”, que comunismo acabou e que o Foro de São Paulo é teoria conspiratória.
Transcrevo após este vídeo o texto de apresentação do Museu das Vítimas dos Comunistas. Leiam e compartilhem nas redes sociais. As pessoas precisam saber a verdade dos fatos. E não deixe de ver este vídeo com o depoimento do Tenente Coronel Lício Augusto Maciel, que capturou José Genoino então guerrilheiro. O grupo a que pertenceu Genoíno esquartejou um jovem por se opor ao comunismo e colaborar com as autoridades militares, conforme revela com detalhes o Tenente Coronel Lício. Este vídeo faz parte do acervo do site Museu das Vítimas dos Comunistas reportando parte da Sessão Solene em homenagem aos militares que morreram na guerrilha do Araguaia. O ato teve lugar na Câmara dos Deputados em 26 de junho de 2005.
Vídeo AQUI
********
“O comunismo não é a fraternidade; é a invasão do ódio entre as classes. Não é a reconciliação dos homens; é a sua exterminação mútua. Não arvora a bandeira do evangelho, bane Deus das almas e das reivindicações populares. Não dá trégua à ordem. Não conhece a liberdade cristã. Dissolveria a sociedade. Extinguiria a religião. Desumanaria a humanidade. Everteria, subverteria, inverteria a obra do Criador” (Rui Barbosa)

“O comunismo é um dogmatismo sem sistema. Se o que há de lixo moral e mental em todos os cérebros pudesse ser varrido e reunido e com ele se formar uma figura gigantesca, tal seria a figura do comunismo, inimigo supremo da liberdade e da humanidade, como o é tudo o que dorme nos baixos instintos que se escondem em cada um deles.” (Fernando Pessoa)

“A religião é o ópio do povo.” (Karl Marx)


Aqui o visitante se defronta com fatos e fotos registrados na História como atrocidades perpetradas pelas tentativas e êxitos na implantação da doutrina marxista-leninista no mundo a partir da União Soviética desde a Revolução de 1917.
Revolução que teve início com a tomada do poder pela força, efetivada por operários e camponeses que derrubaram a autocracia russa, o governo provisório e expropriaram campos, fábricas e demais locais de trabalho. Luta armada que durou de 1918 a 1921. O Partido Bolchevique, liderado por Vladimir Lenin e Leon Trotski, se transformou na única força política dominadora. Formado um poderoso exército que subjugou a classe operária e os demais partidos, ao mesmo tempo que adotou o comunismo e daí lançada a semente do ódio.
Ao longo da História, milhões de pessoas foram vítimas de sucessivos governos russos totalitários ao se impor ao cidadão um novo modo vida pela força, pela coação, pelo terrorismo. A era stalinista foi das mais cruéis na esteira da repressão. 
Ditadura do proletariado. Simples rótulo, ilusão de que o trabalhador está no topo da administração e os ditadores, chefetes e pelegos e se locupletam.
A expansão sanguinária percorreu países dos vários continentes semeando a morte, a usurpação da liberdade de pensamento, da organização social e política, do direito à propriedade, à educação, de ir e vir, e de professar a religião de acordo com a vontade do cidadão. A perseguição aos religiosos e a derrubada das igrejas era a “glória” comunista. 
Venha conferir e contribuir de forma voluntária com depoimentos de quem foi vítima dos comunistas, teve algum parente mutilado, assassinado por esses terroristas. Cadastre-se e envie fotos, comentários e vídeos.
O Museu Vítimas dos Comunistas tem caráter cultural e é mantido por um grupo de brasileiros fiéis à democracia, à liberdade, à família e à Pátria.Do site Museu Vítimas dos Comunistas - clique no link para visitar o museu.

Nenhum comentário: