sábado, 27 de dezembro de 2014

3-Inferno: Há lugar reservado para muitos da CNBB. Ou: Aqueles que hão de vir

A novela Dom Tomás Balduíno no Inferno, uma novela piedosa escrita por Frei Clemente Rojão OAAO é digna de constar entre as mais belas literaturas da língua portuguesa. Digo isso não só pelo excelente domínio da língua, mas pelo texto interessante a religiosos e políticos, desinformados ou não.
A novela foi dividida em cinco capítulos que publico neste blog nos dias 25/26/27/28 e 29/12/2014. A licença está escrita no texto original.

CAPÍTULO III
Aqueles que hão de vir

Continuando seu caminho nas planícies infernais, Dom Tomás Balduíno viu uma casa sendo construída por alguns demônios no meio do nada. Como o caminho passava por ela, viu uma placa escrita a sangue: "Aqui fica P. Casaldáliga" 
- Caro Asmodeu...

- Diga, Reverendíssima - o Demônio havia recuperado o bom humor

- Quanto tempo nós estamos andando? Para mim pareceu uma eternidade

- Nós andamos oitenta e sete anos, cinco meses, quatro dias e dezesseis horas. Quer os minutos?

- Opa, então aqui vou achar mais um colega! Aqui vocês puseram Dom Pedro Casaldáliga, meu glorioso colega do episcopado! Quero falar com ele!

- Não, Dom Pedro Casaldáliga não morreu ainda.

- Como não morreu? Se já se passaram oitenta e sete anos!

- Ai, pelo escarro sombrio de Lilith! Como posso ter de ensinar teologia a um bispo dominicano! Lá em cima, na terra, só se passaram cinco horas após sua morte. O Inferno não é atemporal? O tempo aqui não corre, ora voa ou se arrasta. O relógio aqui é relativo, tudo depende do tormento. 

- Então estão me fazendo andar assim só para me fazer sofrer?

- Bem, o senhor está no Inferno pelas suas opções, portanto em vida Vossa Reverendíssima já deveria ter cogitado que suas opções o levariam a isto! Não adianta reclamar se está caminhando muito tempo pelas rochas ardentes... Era para o senhor estar na glória, se não tivesse trocado seu carisma de bispo santo pelo carisma de insuflador da revolta fundiária. 

- Então só se passaram cinco horas desde minha morte?
- Sim, Dom Tomás Balduíno, e seu cadáver mal esfriou. Daqui eu vejo (porque tanto estou aqui como na Terra promovendo a ideologia de gênero, já que sou o demônio da destruição das famílias, como o Santo Tobias bem provou!) que estão tecendo elegias e louvores ao senhor, Dom Tomás Balduíno. Estão dizendo que o senhor era mais santo que Santo Antônio, mais bispo que São Borromeu, mais apóstolo que São Paulo, mais coluna que São Pedro, mais doutor que o Santo Aquinate, mais ortodoxo que Santo Atanásio, mais lutador que São Tiago! Só não te chamaram de conservador porque ai já seria ofensa! Ah, eu vejo um belo artigo na Folha Infernal, digo, Folha de "São" Paulo sendo escrito sobre o senhor neste exato instante. Que belas palavras! Vossa Reverendíssima verdadeiramente sentir-se-á tocada ao ler. 

- Sim, eu fui um homem muito bom! Um santo vivo! Penso que se Deus me condenou, ele só pode estar a favor dos poderosos e opressores!

Mas Asmodeu prosseguiu olhando para o alto, descrevendo a cena:

- Vejo muitos choros e lágrimas por Vossa Reverendíssima. A maioria apenas ouviu falar bem do senhor pelos poderosos do mundo e os donos dos microfones. Poucos realmente conheciam suas obras, ou ligavam os pontos para entender todo o mal que o senhor fez, Dom Tomás Balduíno, e como fostes um fariseu tremendo, ou sequer conheciam bem a fé católica para entenderem o quanto te desviastes. É como Jerusalém chorando o ímpio rei Joaquim... Também Herodes Antipas, morto roído por vermes, teve muito choro e lamento.

- Ah, eu sei que fiz um ótimo trabalho!

- Se eu não fosse um demônio, eu ficaria com pena dos índios. Eles passaram a história sendo enganados por vendedores de espelhinhos e miçangas, e são enganados de novo. Ó povo triste que chora achando que perdeu um amigo! Ah, mas teu Conselho Indigenista Missionário foi o maior dos opressores, este grande sindicato de lobby indígena para a Fundação Ford e outros tantos senhores internacionais! Quantos índios batizaram? Quase nenhum! Muito pelo contrário, clama aos céus o sangue dos pobres curumins enterrados vivos em cerimônias pagãs bárbaras, dignas da ira do Deus Altíssimo, dignas dos velhos adoradores do Moloc cananeu, que vossos missionários nunca impediram! Ah, os índios de antigamente eram felizes porque tinham os jesuítas, aqueles dos bons! Hoje em dia tem o senhor, dominicano! Que coisa! Mas os jesuítas dos bons tempos batizavam e fundavam colégios de missionários. Já este dominicano aqui não evangeliza, e faz os índios duplamente merecedores do Inferno. José de Anchieta fundou um Colégio missionário e está na glória. Dom Tomás Balduíno fundou um Conselho Missionário e está no Inferno. Justo. Muito justo.
- É... eu sempre protegi os pobres e os oprimidos dos poderosos. - replicou Dom Tomás com seu orgulho asinino, mas Asmodeu ficou furioso:

- Quando afinal o senhor bispo vai parar com este auto-engano??? Já não basta o fogo infernal corroendo suas entranhas? Que oprimidos? O senhor é mais amigo dos poderosos que Herodes! Nem Herodes era tão amigo de Sejano e Tibério César quanto o senhor bispo de Dilma Rousseff e Lula!!! Nem o ímpio Caifás era tão chegado aos levitas quanto o senhor era benquisto na CNBB!!! Que oprimidos? O senhor era um velho sibarita leviano e heterodoxo, amigo dos donos do poder! Um velho lambe-saco de políticos e cardeais empedernidos, este foi Dom Tomás Balduíno! E hipócrita, porque estes donos do poder lá estão há mais de uma década e os verdadeiros pobres da terra apenas conseguiram migalhas!!! Os ricos epulões dos Ministérios de Brasília, do Conselho Indigenista Missionário, do MST financiado com dinheiro público estão cada vez mais gordos e ricos. E os pobres Lázaros, não bastavam morrerem pobres, ainda foram ensinados a beijar as mãos que não os ajudavam! 
- Veja bem...

- "Veja bem" é bunda do bode de ouro da maçonaria!!! Sem contar que o senhor pediu votos para Dilma, ela que é defensora entusiástica do aborto e em todo seu governo só fez promover o assassinato de crianças no ventre da mãe. Só isto já seria suficiente para te trazer para cá não só uma vez, mas sete vezes!!! Estes poderosos, na terra, estão tecendo seus elogios agora, o senhor que tanto contribuiu à causa deles! Agora me vem posar de defensor dos pobres??? 

Mas Dom Tomás, impermeável à lógica, ficou calado pensativo ai deu um pulo:

- Peraí! Um pouco da doutrina católica eu sabia! Esta construção feita para receber Dom Pedro Casaldáliga está irregular! Você só pode afirmar que alguém está condenado depois da morte! Sendo assim, tudo isto aqui não é real, tudo é um sonho!

- Ok, Dom Tomás, você me pegou. Eu não sou Asmodeu. Eu sou São Gabriel e de fato tudo isto é um sonho mandado pelo Deus Altíssimo para sua conversão. O senhor vai acordar na UTI nesse exato instante, completamente lúcido, ainda que gravemente doente. Deus em sua misericórdia vai lhe dar exatas oito horas mais vida para que o senhor se arrependa de seus pecados, chame um sacerdote santo e se confesse completamente. Ai, quando o senhor se for, um pouquinho de Purgatório e estará na glória, junto da Rainha do Rosário e São Domingos!

- Ó, louvado seja Deus! Obrigado Senhor, obrigado, Senhor! Sim, eu vou me emendar! - mas acrescentou a parte - Ainda que particularmente não tenha visto nada de errado com minha vida...

- Te Deum laudamus, hein?

- Graças a Deus! Graças a Deus!

- Eu vou te dar um tapinha no rosto e o senhor vai acordar. Lembre-se: Pentiti cangia vita, è l´ultimo momento! 

- Pois não! Eu me arrependo! Eu me arrependo de tudo e mais um pouco!

E Asmodeu deu um violento murro em Dom Tomás com a potência de uma bomba de cem megatons que o fez rolar cinquenta mil quilômetros pelas pedras afiadas e cair em cima de um espinheiro. O bispo se levantou gritando ainda zonzo:

- ENFERMEIRA! ENFERMEIRA! Chamem um padre! Eu quero me confessar!

Asmodeu voou até lá e estendeu a mão.

- Levante-se, Dom Tomás Balduíno.

- PADRE? 
- Não sou padre não, o senhor está no Inferno e eu sei que o senhor bispo não estava com arrependimento perfeito, só estava dizendo que estava porque tinha medo deste fogo. Muito bem, a contrição imperfeita, a atrição, só serve para confissão sacramental em vida. Aqui o buraco é mais embaixo. Aliás, o senhor está nele! O senhor teve noventa e um anos de vida, era tempo suficiente para se santificar umas cem vezes, no mínimo, São Domingos Sávio e Santo Estanislau Kostka tiveram muito menos e foram grandes santos.

- Você me enganou????? Foi tudo uma brincadeira de demônios?

Asmodeu soltou uma gargalhada tão perversa que seu eco durou mil anos:

- O SENHOR ESTÁ NO INFERNO!!! ESTÁ RECLAMANDO DO QUÊ???

- Que crueldade!!! Que formidável e atroz crueldade demoníaca! Seu patife mentiroso!

- Obrigado pelo elogio.

- Deus não vê estas coisas?
- Dom Tomás, o senhor está no Inferno!!! Quer reclamar, vá chorar no colo do bispo! Há vários por aqui, especialmente da sua geração. Vai reclamar que está sendo atormentado no Inferno? Ora, mas a regra é clara! É logico que o Senhor no sermão da Montanha não poderia descrever as sutilezas dos tormentos e disse que tudo é "fogo e verme" genérico, mas eu te garanto que nós, anjos caídos, sabemos colocar um salzinho neste fogo! Acredite, Dom Tomás, ter de te aturar também faz parte do meu castigo de demônio. Nós demônios somos castigados também. Nós tentamos e depois castigamos, mas somos a todo momento castigados. Eu estou aqui e estou na terra, junto de Belial escrevendo cartilhas ensinando gayzismo para a juventude, fornecendo lubrificantes para sexo anal e camisinhas na porta de escolas, mas estou também sendo consumido pelo fogo que não se acaba. Tudo foi cuidadosamente explicado pelos Evangelhos e comentados pelos santos doutores. 

- Então me explique aquela construção reservada para Dom Pedro Casaldáliga???

- Simples. Ele tem mais um tempinho lá em cima. Se continuar com suas obras, vem para cá. Se mudar de vida e escapar de nós, ora, trocamos a tabuleta e colocamos outro lá. 
- Mas você, Asmodeu, sendo espírito atemporal já sabe se ele se condenou ou não.

- Sim, mas nem tudo me é dado te contar. Além do mais, sua condenação ou salvação não acrescentariam um grama de alívio ao teu castigo, Dom Tomás.

- Posso rezar por ele?

- Deus não ouve ninguém daqui. Se o senhor estivesse no Purgatório ou no Paraíso, sem dúvida. Mas aqui do Inferno não. Qual parte do "vocês quem entram percam toda a esperança" o ilustre bispo não entendeu?

- Deixe-me ir à terra um instante, para que eu os avise deste tormento então!

- Dom Tomás Balduíno, os bispos do Brasil tiveram João Paulo II e Bento XVI. Se eles não os ouviram, nem que um dos mortos ressuscite eles o ouviriam. Agora, andiamo via di qua!

Nenhum comentário: