segunda-feira, 21 de abril de 2014

Veja 7 minutos de luta entre povo desarmado e soldados-paramilitares do ditador Maduro, o colombiano que manda e massacra na Venezuela

VENEZUELA CONTINUA EM CLIMA DE PRÉ-GUERRA CIVIL COM ESCASSEZ E ANARQUIA. CIVIS LUTAM CONTRA POLICIAIS E PARAMILITARES DO TIRANETE NICOLÁS MADURO.
Escrito por Aluízio Amorim e publicado no Blog do Aluízio Amorim

Veja AQUI o vídeo da guerra civil na Venezuela

O vídeo acima reporta cenas ocorridas na noite deste domingo em Chacao, cidade da área metropolitana de Caracas, quando se vê manifestantes encurralando a polícia a paus, pedras e coquetéis molotov. São cenas que a grande mídia escamoteia dando uma idéia de que está tudo voltando ao normal na Venezuela, o que é uma deslavada mentira.

Quem acompanha o noticiário internacional apenas por meio de veículos da grande mídia tem a impressão que a crise na Venezuela arrefeceu e que o tiranete Nicolás Maduro conseguiu controlar tudo depois da malfadada reunião no Palácio Miraflores, destinada ao “diálogo”, que contou coma presença da Oposição.

Entretanto, a verdade é que nada mudou na Venezuela. Nem um milímetro. A população continua sob o assédio da polícia e dos ‘coletivos’, bandos armados paramilitares que foram instituídos já durante o reinado do defunto caudilho Hugo Chávez, com assessoria cubana.

Além do terrorismo de Estado os venezuelanos continuam enfrentando a escassez de alimentos, uma estratégia antiga dos comunistas para anular a participação política dos cidadãos que passam a viver o dia a dia correndo atrás dos alimentos. Isto acontecia na ex-URSS e na ex-Alemanha oriental, e ocorre há meio século em Cuba e também na Coréia do Norte.

De fato não existe diálogo de paz coisa nenhuma e ficou muito claro que a decisão do líder oposicionista Henrique Capriles, de participar daquela reunião no Palácio Miraflores, foi um desastre total, já que legitimou o mandato do tiranete Nicolás Maduro.

Capriles foi àquela reunião sem impor qualquer condição. Nem mesmo exigiu que Leopoldo López, considerado atualmente como o maior líder oposicionista venezuelano, fosse libertado. López continua preso há mais de dois meses sem julgamento. E ainda há mais três prefeitos oposicionistas também encarcerados nas masmorras da política política do regime. Estão presos justamente porque se negaram a ceder aos caprichos do psicopata Nicolás Maduro que não hesita em prender e assassinar. Maduro é um assassino sanguinário que foi treinado na juventude em Cuba. É homem de confiança de Fidel Castro e seu irmão Raúl.

As notícias procedentes da Venezuela atualmente circulam apenas pelas redes sociais, particularmente pelo Twitter, onde chovem dezenas de denúncias, fotos, vídeos e textos reportando o fato de que a situação no país continua a mesma, isto é, a violência impera. Inconformados com o terror, a fome, insegurança e a miséria impostos pelos psicopatas teleguiados de Havana os venezuelanos continuam nas ruas.

Anunciam também pelo twitter que durante esta semana deverão ocorrer protestos em todo o país contra lei editada pelo tiranete Nicolás Maduro, que determina a doutrinação comunista nas escolas, abrangendo desde o pré-escolar à universidade. Maduro transformou-se num ditador depois que a Assembléia Nacional lhe conferiu poderes para legislar por decreto. 

Apesar de tudo isso, a grande imprensa internacional continua tratando Nicolás Maduro como “presidente”, quando na verdade é um ditador comunista. A Venezuela já vive uma situação anárquica de pré-guerra civil.

Nenhum comentário: