sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

No governo da Organização PT vale a pena importar produtos dos Estados Unidos e pagar altos impostos que ainda sai mais barato que no mercado brasileiro

SOB O GOVERNO DO PT DO 'BARBA' E DA DILMA, VALE A PENA IMPORTAR PRODUTOS DOS ESTADOS UNIDOS, PAGAR IMPOSTOS E AINDA SAI MAIS BARATO!
Por Aluízio Amorim

Romaria de turistas brasileiros nos Estados Unidos: todos os produtos mais baratos do que no Brasil.
Querem ver a prova de que esses mais de 10 anos de PT no governo é um desastre total para os brasileiros? 
A coisa está assim: importar dos Estados Unidos, pagar todos os imposto mais o frete, ainda é mais barato do que comprar a mesma mercadoria no Brasil.
Acrescente-se a isso outro fato: todos os salários nos Estados Unidos, em todas as faixas, são muito maiores do que no Brasil.
Entretanto, o povo analfabeto funcional esperando sempre uma “boquinha” estatal concedida pelo 'Barba' e sua gente, ou ainda a bolsa família, é incapaz de raciocinar. Continua votando nesse bando de tarados comunistas incompetentes.
Dia desses postei no Instagram a foto de uma exposição de automóveis importados feita num dos shoppings aqui de Florianópolis. Fotografei um Mini Cooper conversível. O preço aqui: R$ 128 mil. 
Logo em seguida, um brasileiro que vive em Londres, e que me segue no Instagram, deu uma curtida na foto e acrescentou: “este mesmo carro custa aqui em Londres R$ 68 mil REAIS!!!.” E notem que Londres sempre esteve entre as cidades mais caras do mundo! Mas agora perde para o Brasil! Oba! Que bacana, né? O Brasil, na economia, desbancou a glamourosa capital londrina como a mais cara do mundo. Os salários, lá, sabe como é, vão um pouco além dos que são pagos no Brasil... 
O Brasil, sob o desgoverno do PT, ganha a fama às avessas. Preços além dos praticados no primeiro mundo e situação de anarquia geral, desindustrialização, importação às pencas da China e zero de desenvolvimento científico e tecnológico. E os salários perdem feio para os países desenvolvidos e verdadeiramente democráticos.
A coisa está tão evidente e chocante que já deu origem até mesmo para que um articulista da esquerdista, mandelista e politicamente correta Folha de S. Paulo escrevesse sobre isso.
Já a editoria de economia do jornal publica abobrinhas, puro lixo jornalístico, tecendo loas ao destrambelhado desgoverno da Dilma. Transcrevo o artigo do Samy Dana, da Folha, em que faz as contas e mostra que vale a pena importar muita coisa dos Estados Unidos. Faz sentido a romaria de turistas brasileiros nas terras do Tio Sam. Leiam:

IMPORTAR PRODUTOS DOS EUA PODE SAIR EM CONTA
Com a chegada das festas, é hora de presentear os familiares ou adquirir algum bem um pouco mais caro e satisfazer desejos pessoais.
Para tanto, alguns brasileiros estão começando a utilizar sites internacionais de importação para aproveitar a diferença de preços, que em alguns casos chega a 100% e ultrapassa qualquer barreira de bom senso.
Os preços praticados no Brasil são tão altos que, às vezes, comprar mercadorias por tais vias sai mais barato do que adquiri-las internamente, mesmo com todos os impostos sobre os importados.
O cálculo do valor tributado ocorre em três níveis: até US$ 50, as encomendas são isentas de impostos; entre US$ 50 e US$ 500, a cobrança é de até 60% de impostos, além do ICMS; para compras entre US$ 500 e US$ 3.000, além dos impostos e ICMS, é paga uma taxa extra de importação de R$150.
Na primeira categoria, enquadram-se livros, discos, acessórios e outros bens menores. Comprá-los no exterior não é tão vantajoso, sendo mais eficiente, muitas vezes, comprar aqui, já que o prazo de entrega é menor.
Para as demais, a importação pode ser interessante, apesar dos prazos de entrega mais longos. Suponhamos o famoso caso do novo console da Sony, o Playstation 4, que chegou ao Brasil por nada menos do que R$4.000, mas pode ser encontrado em sites dos Estados Unidos por US$ 450, equivalentes a R$ 1.062 (dólar a R$ 2,36).
O frete dos EUA para a cidade de São Paulo é de US$ 100. O valor do produto, incluindo frete, ICMS paulista (18%) e a taxa de importação, atingiria R$ 2.395,46, aproximadamente 40% mais barato do que o nacional. Do site da Folha de S. Paulo

Nenhum comentário: