quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Manifesto do Partido Conservador

Manifesto do Partido Conservador
Autor Navarro
O manifesto comunista escrito por Marx e Engels em 1848 começa assim: Um espectro ronda a Europa – o espectro do comunismo. (ver aqui p. 5) 

Era a mais pura verdade: O comunismo ou o socialismo era e ainda é um espectro horrendo, perigoso e brutal que ronda a natureza humana. Instalou-se na Rússia em 1917 e na Alemanha em 1933. O resultado da instalação do socialismo nos dois países foi sessenta milhões de mortos só no período de 1917 a 1945. O objetivo principal dos socialistas que iniciaram a segunda guerra mundial era matar seres humanos de qualquer dos lados. Antes da segunda guerra, o chefe dos esquerdistas (Stalin) já havia assassinado 20(vinte) milhões de compatriotas russos e Hitler (o subchefe) já matava judeus (na verdade, alemães) aos milhares. Não importava de que lado estava o morto. O importante para os psicopatas esquerdistas é que morressem muitos filhos de Deus. De preferência todos mortos.

Este Manifesto Conservador imita o Manifesto Comunista não por falta de criatividade, mas para desmascarar aquela ode à loucura, ode à morte ou à extinção do ser humano. Portanto, iniciamos o manifesto com a primeira e única verdade daquele libelo marxista, um inequívoco incentivo à morte:

Um espectro ronda o Brasil: o espectro do socialismo.

A ditadura petista da Organização PT tem, em todos os jornais de São Paulo, do Rio e das outras capitais estaduais, chefes de redação amestrados no esquerdismo sanguinário contra cristãos e contra honestos trabalhadores sempre capitalistas. 

Esse espectro que tomou conta do Brasil é tão forte, tão dominante, tão totalitário que não há nenhum partido que se diga capitalista ou conservador. O medo é extremo. O terror é imenso. Todo político tem medo de defender o livre mercado. Todo político mede as palavras para não cair na sanha destruidora de reputações instalada nos jornais e nos blogs esquerdistas pagos pelo governo totalitário socialista da Organização PT.

É tempo de defender a liberdade, a vida, os bons valores e a verdade opondo este manifesto contra a miséria material e espiritual imposta pelos partidos igualitários, esquerdistas, totalitários e eliminadores da vida na face da terra.

Com esse fim, um grupo de conservadores, de capitalistas, de seres humanos que pensam sobre a continuidade da vida e da liberdade reuniu-se e lançou este manifesto:

Da luta do trabalhador capitalista contra o explorador socialista

A história de todas as sociedades que existiram até hoje é uma história de luta de um indivíduo pelo próprio pedaço de terra, pelo próprio carro, pelo fruto do próprio trabalho, ou seja, do ser humano proprietário do corpo que ocupa, das coisas que usa ou de suas propriedades e de seu capital. São capitalistas por natureza definida em uma única criação divina e, sendo assim, sempre manterão a mesma natureza humana. Isto é, não há evolução espiritual porque a natureza humana é imutável. 

Os que não se acham frutos da criação divina são crias de macaco ou darwinistas. Isto é, negam a criação divina em nome de uma evolução imaginária, coletiva e igualitária que tornaria o ser humano alguém que viveria mil anos e que não se reproduziria por meio do sexo. É evidente que não acreditam em Deus, mas sonham com um futuro grandioso semelhante a um paraíso na terra que, quando implantado, torna-se um inferno pior que a sociedade da Coreia do Norte, onde o súdito do deus Kim é obrigado a chorar em praça pública sob pena de morrer trabalhando como escravo em campo de concentração.

Não existe ser humano socialista porque não há quem abdique de seus direitos, de seu trabalho ou de suas propriedades em prol de um estado socialista liderado por sociopatas que se dizem representantes dos pobres. Na verdade, o candidato a cargo eletivo que se diz socialista é um usurpador desonesto que assim se define para viver à custa do trabalho alheio. 

Os esquerdistas defendem o socialismo para serem parasitas, sanguessugas e exploradores dos trabalhadores e não para serem iguais aos outros. Se fossem socialistas, antes de serem dirigentes de uma chamada classe operária, transfeririam seus bens ao usufruto dos mais pobres e trabalhariam de graça o resto da vida. Na verdade, socialistas são vagabundos que cobiçam o fruto do trabalho alheio. Socialistas são os verdadeiros vilões da sociedade.

O capitalismo não é exploração, mas sim troca de produtos e de trabalho entre seres livres. Nenhum homem livre ou capitalista aceita receber menos do que vale o produto do próprio trabalho. Exploração do trabalho alheio é aquela praticada pelo governo socialista que proíbe a livre iniciativa e impõe trabalho por salários aviltantes aos seus súditos.

Vejam o exemplo dos médicos cubanos: Recebem US$ 35,00 (trinta e cinco) dólares por mês do governo socialista cubano, mas o governo da Organização PT paga US$ 5.000,00 dólares por mês ao governo cubano proprietário dos militantes travestidos de médicos importados de Cuba. Isso sim é brutal exploração do ser humano. Isso sim é trabalho escravo imposto pelo representante do demônio instalado na ditadura cubana. O povo brasileiro não quer ser como os escravos cubanos. O povo brasileiro não quer ser escravo dos donos da Organização PT.

Sobre o constante progresso do homem conservador

A descoberta das Américas, o mercado das Índias Orientais, a multiplicação dos meios de troca e das mercadorias aceleraram a evolução material do homem capitalista. O feudalismo foi substituído pela manufatura industrial, o sistema de corporações medievais pela divisão internacional do trabalho, o homem evoluiu para trabalhar nas grandes indústrias e houve progresso individual do homem capitalista que conquistou o poder político de tal maneira que o governo atual deveria ser apenas um facilitador das relações humanas, jamais um estado totalitário como querem os socialistas.

Os socialistas, onde conquistaram o poder, destruíram todas as relações patrimoniais e idílicas. Todos os laços que uniam o homem à vida e à liberdade foram esmagados sem piedade para não deixar subsistir outro vínculo entre os homens senão a frieza controlada por autoritários agentes de governo. 

O socialismo acabou com o fervor religioso, com o entusiasmo cavalheiresco, fez da dignidade pessoal uma simples troca por cargos no governo, substituiu a liberdade duramente conquistada pela ditadura de um homem só. Numa palavra, o socialismo transformou a mulher cubana em geradora de fetos para exportação, transformou o coreano do norte em chorão de praça pública e adorador do deus Kim, tornou o venezuelano um escravo do colombiano Maduro e quer transformar o brasileiro num idiota.

O homem conservador deu ao médico, ao jurista, ao padre, ao poeta e a cada um do povo o seu devido valor. Garantiu ao homem e à mulher o seu legítimo direito de propriedade. Mas o socialista quer retirar a dignidade de todos.

O homem capitalista demonstrou, pela primeira vez, o que pode realizar a atividade humana, criou maravilhas que ultrapassam de longe as pirâmides do Egito, os aquedutos romanos, as catedrais góticas e realizou expedições que deixaram na sombra as invasões e as cruzadas. Mas o invejoso anjo decaído inventou o socialismo para dizer que o progresso do homem capitalista é ruim.

O homem conservador convive com a necessária transformação dos instrumentos de produção e, por conseguinte, das relações de produção. Nessa relação harmônica, o trabalhador capitalista invadiu o mundo inteiro porque necessita trabalhar por toda a parte, estabelecer relações produtivas por todo o mundo e produzir serviços ao semelhante. Quem não quer que frutifique a solidariedade é o ganancioso socialista.

Para trabalhar em todo mercado mundial, o homem capitalista deu um caráter cosmopolita à produção e ao consumo de todos os países. Para grande desespero dos socialistas, o homem capitalista era e é a descrição do ser humano divinamente criado que predomina em todas as partes do globo. Surgem necessidades novas que reclamam satisfação por produtos das regiões e climas mais longínquos e lá vai o homem capitalista trabalhar para solucionar um novo problema.

Em virtude do rápido aperfeiçoamento dos instrumentos de produção e do constante progresso dos meios de comunicação, o homem capitalista arrasta na corrente da civilização todas as nações, até as mais bárbaras. Os baixos preços das suas mercadorias constituem artilharia pesada que derruba todas as muralhas da China e faz capitular os bárbaros mais fanaticamente hostis aos estrangeiros e torna o mundo mais rico, mais livre e mais feliz. 


O homem capitalista criou cidades enormes; aumentou prodigiosamente a população das cidades em comparação com a do campo, subtraindo uma grande parte da população ao embrutecimento da vida rural e, contra todo esse progresso, o socialista filho do anjo decaído, de novo, ficou com ódio da criação divina.

O homem conservador contemporâneo criou forças produtivas mais abundantes e mais grandiosas que todas as gerações passadas tomadas em conjunto. A domesticação das forças da natureza, as máquinas, a aplicação da química à indústria e à agricultura, a navegação a vapor, os caminhos de ferro, os telégrafos elétricos, a internet, a regularização dos rios - populações inteiras brotando da terra - qual dos séculos passados suspeitaria que semelhantes forças produtivas dormitassem no seio do trabalho social? Isso tudo foi construído pelo homem capitalista, presente desde sempre na natureza, mas o socialista quer destruir e atrasar todas essas forças sociais capitalistas.

As relações feudais de propriedade deixaram de corresponder às forças produtivas e travavam a produção em vez de fazê-la progredir. Era preciso quebrar essas cadeias e elas foram quebradas pelo homem capitalista. Em seu lugar estabeleceu-se a livre concorrência, com uma constituição social e política apropriada.

O aparecimento do socialista como o joio no meio do trigo ou como assassino
À medida que o homem conservador progride materialmente, toda a sociedade se desenvolve e melhora as condições de vida do mais pobre e, de novo, o socialista filho do anjo decaído odeia o progresso conquistado com o trabalho de todos, menos o dele.

Progresso que foi possibilitado pela liderança naturalmente dada ao ser humano mais engenhoso, mais trabalhador, mais solidário e mais prestativo. O homem conservador é bom e ama famílias bem constituídas desde o tataravô até o tataraneto de uma maneira que a concorrência e as flutuações de mercado são enfrentadas por cooperação familiar e fraternal.

O emprego crescente das máquinas e a divisão do trabalho provocaram conflitos de trabalho que foram explorados pelos socialistas como armas de um conflito fabricado: o conflito de classes. Marx percebeu os conflitos de trabalho e se aproveitou para descrever o processo produtivo capitalista como odioso. Mais uma mentira para produzir conflitos entre trabalhadores. Na verdade, toda e qualquer produção é em benefício de todos, é para satisfazer necessidades humanas, tanto supérfluas quanto indispensáveis e todas, absolutamente todas, as produções são frutos da colaboração entre seres humanos sempre capitalistas.

Mas o anjo decaído, aquele que caiu do céu, aquele que quer exterminar o ser humano criado por Deus, está sempre em espreita. Ele adora explorar nossos defeitos naturais para nos matar. Perceba que dentro das leis, da moral e da religião há preconceitos que os socialistas exploram numa permanente luta diabólica pelo poder. O socialista acusa o conservador pelos defeitos forjados e carregados por ele próprio.

Você, cristão, já deve ter ouvido a parábola do joio no meio do trigo:
  • Um homem semeou trigo em seu campo, mas de noite veio o inimigo e semeou o joio que apareceu um pouco antes da colheita. Devemos tirar o joio agora, perguntaram a Cristo. Ele respondeu: Não, porque ao tirar o joio vocês poderiam arrancar com ele o trigo. Deixem que cresçam juntos até a colheita. Então direis aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e o amarrem em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro (Mateus 13, 24-30).
Brasileiro, homem sempre capitalista, trabalhador e lutador pelo pão de cada dia, perceba que o socialista, diante do natural conflito derivado da evolução material, começou a quebrar máquinas, incendiar fábricas e a formar associações na perspectiva de eventuais rebeliões. Queria tomar o poder e ser o dono dos meios de produção por intermédio do roubo e não do trabalho honesto. E, quanto mais há progresso na indústria, no comércio e nas trocas entre homens capitalistas, mais aumenta o número de socialistas destruidores do tecido social.

O socialista insufla a luta de trabalhador contra o trabalhador. Formula as fases de uma guerra civil mais ou menos oculta e a desenvolve no seio da sociedade existente até ao momento em que a guerra se transforma numa revolução aberta e o trabalhador começa a lutar contra si mesmo dando oportunidade ao socialista de tomar o poder e implantar a ditadura dos psicopatas stalinistas, nazistas, castristas, maoístas ou de todos os ditadores socialistas.

Assim, o desenvolvimento da grande indústria produz socialistas (assassinos, mas não coveiros por que estes trabalham) que representam o maior perigo à sobrevivência do ser humano. A única coisa que podemos fazer contra esse joio no meio do trigo é reconhecê-los como aqueles que não trabalham em prol do próximo, mas sim em função de uma tomada de poder. Uma vez reconhecidos, não devemos votar neles.

É fácil reconhecê-los: são aqueles que discursam contra o lucro, contra o capital, contra a propriedade, produzem crises de confiança, desestimulam a produção e dizem que as crises são capitalistas, mas a verdade nua e crua é a crise provocada pelo socialismo existente em qualquer estado que não valorize a propriedade como base da produção social. No mundo de hoje praticamente não há sociedades predominantemente capitalistas, mas sim predominantemente socialistas responsáveis pelas crises de produção da Grécia, de Portugal, da Espanha, da Itália, da França, da Cubazuela etc.

Homem conservador lembre-se de mais uma coisa: Nós deixamos o socialista crescer como joio em nosso meio. Porém, somos filhos de Deus e, por isso, devemos deixar aqueles que não acreditam na criação divina, como na parábola cristã, viver livremente até o dia da morte e julgamento por Deus. Problema é que o deixamos viver, mas ele quer nos matar agora mesmo e sem nenhuma contemplação. Portanto, não se esqueça de que o socialista no poder não o deixará viver como nós o deixamos. 

Não vote no socialista para ser membro do governo porque o socialista no poder mata sem piedade da mesma maneira que o socialista Stalin matou vinte milhões de russos ou da mesma maneira que o socialista Mao Tsé-tung eliminou setenta milhões de chineses. Lembre-se de que o socialista no poder nos assassina igual ao socialista Hitler incinerou seis milhões de filhos de Deus depois de tê-los classificado como judeus ou como animais subumanos. Não se esqueça de que Hitler era um socialista com pouquíssimas diferenças do Lula socialista petista. 

O homem conservador é tu lutando por tua vida e o comunista é o teu falso amigo ou: O capitalista conservador nos costumes e liberal na economia

O conservador quer conservar a própria liberdade, mas para isso precisa garantir a liberdade do próximo. Portanto, o capitalista é conservador de tu, de tua liberdade, de tua vida, de tua propriedade, do teu corpo e da tua família. O capitalista é tu mesmo te garantindo ou lutando por ti mesmo ou por tua liberdade. Jamais deixe a luta por teus direitos nas mãos de um socialista. Nas mãos dele tu serás traído e morto, perderá tuas coisas, tua liberdade, tua propriedade e tua paz.

Ser conservador significa ocupar posição pessoal e social na produção. O teu capital é fruto do teu trabalho e o capital social é a soma do trabalho de todos em prol de ti mesmo, haja vista que a soma de todas as riquezas é a soma da riqueza do país e, conseqüentemente, reverte em teu benefício. Quanto mais concorrência mais abundância de produção de coisas em nosso benefício por menores preços. 

O capital (vossas coisas, vosso corpo, vossas propriedades, vossa sabedoria) é um produto pessoal e também coletivo, haja vista que quanto mais vós trocais vossos pertences, mais a atividade conjunta de todos os membros da sociedade aumenta e, conseqüentemente, mais aumenta a riqueza social. Não deis ao socialista poder sobre vossos capitais, pois ele exterminará vós e toda a sociedade. Os socialistas têm a capacidade de transformar o Brasil numa Cuba em menos de vinte anos.

O conservador, por sua própria natureza, preserva nossa liberdade, nossos costumes, nosso comércio, nossos negócios, nossa propriedade e nossa vida. Por isso ele é conservador nos costumes e liberal na economia, haja vista que a concorrência econômica só ocorre com conservação das mesmas regras de competição pelo oferecimento do melhor serviço ao próximo que, por uma única criação divina, tende a ser fiel, honesto, livre e continuará a ter aquela natureza humana que não muda com a passagem do tempo. A única coisa que muda é a riqueza material que é aumentada pela concorrência capitalista.

O socialista é um exterminador do futuro de qualquer vida material ou espiritual

Qual é a posição dos socialistas em relação ao conjunto dos trabalhadores?
Os socialistas formam partidos distintos com interesse em se apropriar da produção dos trabalhadores. Comunistas querem acabar com a propriedade dos outros e conservar um poder maligno sobre o corpo e sobre a vida de todos.

Eles têm interesse em destruir nossa família, nossas propriedades, nossos direitos, nossa vida espiritual e física. Proclamam inúmeros princípios especiais com os quais querem modelar a sociedade, tais como o homossexualismo, o ambientalismo, o animismo, o igualitarismo e a valorização da vida animal em detrimento da vida humana. Para o ambientalista ou melancia socialista mais valem dois pássaros voando que uma vida humana.

O objetivo imediato dos socialistas é a conquista do poder político. As concepções teóricas dos socialista não se baseiam de modo algum em idéias e princípios inventados ou descobertos por este ou aquele reformador do mundo. O que caracteriza o comunismo/socialismo é a abolição da propriedade em geral e a busca incessante do poder pelo poder de destruir a totalidade da vida e das associações humanas. 

A religião cristã afirma que o paraíso está no céu e o cristão não se subordina ao estado-deus que afirma ser o deus do paraíso terrestre. Por isso, cristãos sempre foram perseguidos pelos imperadores romanos e são perseguidos pelos ditadores atuais, principalmente pelos socialistas. Vejam o caso do ditador da Coreia do Norte: Obrigou todos a chorarem em praça pública em pranto pelo deus Kim. Logo, o socialista quer exterminar vosso futuro exterminando vosso corpo físico e vossa vida espiritual.

Homem Conservador: O fruto do teu trabalho é somente teu e só será do socialista vagabundo se tu quiseres
Na sociedade capitalista criada por Deus, tu és livre porque dominas o teu presente e porque tudo que conquistaste com teu trabalho te pertence por um desígnio divino. 

Na sociedade socialista criada por um adepto de Satã, o agente do ditador comunista diz que o estado-deus garante o teu sustento e que tu não precisas trabalhar, mas em compensação o ditador domina o teu presente, o teu futuro e tu és um escravo. 

O socialista quer escravizar todo ser humano e transformar o progresso sempre capitalista em atraso igual ao de Cuba, da Coreia do Norte e da Venezuela. O socialista quer acabar com vossa personalidade, com vossa liberdade e com vosso progresso material obtido com muito trabalho.

É o sistema capitalista vigente desde que Deus criou o ser humano que lhe obriga a comer o pão com o suor do teu rosto, mas que te dá liberdade de comprar, de vender e de ser justo ou arbitrário. No sistema socialista, só o ditador socialista é rico, poderoso, sempre arbitrário e nunca justo. Não sejas escravo de ninguém, muito menos daquele que se pensa cria de macaco.

As bases da família e da educação capitalista

Em que base assenta a família atual, a família conservadora? Na confiança, na honestidade, na fidelidade e no cumprimento dos contratos entre qualquer ser humano. A família plenamente desenvolvida existe para todo trabalhador capitalista e é base das relações de produção entre seres humanos sempre capitalistas. 

A família só não existe para o vagabundo socialista desejoso de possuir tudo que foi conquistado pelo trabalhador honesto. O socialista quer destruir a família que é o principal sustento material e espiritual de qualquer ser humano. A família nunca desaparecerá em qualquer estado capitalista de verdade.

Marx e Engels, socialistas autores do manifesto comunista, confessam o crime de separar o pai do filho em função do desejo de escravizar o filho do próximo. Eles confessam também o desejo de destruir os vínculos da educação familiar trocando-as pela educação coletiva em função da doutrinação das crianças no sistema inumano inventado por quem se diz darwinista. 

O trabalhador conservador ama seu filho como a si mesmo e jamais transformaria crianças em simples artigo de comércio como faz o estado socialista cubano que carrega mães grávidas para os hospitais, aborta seus filhos, separa órgãos e os exporta como qualquer mercadoria. 

O trabalhador capitalista sacrifica-se por sua família porque sabe que nenhum órgão estatal lhe dará o conforto físico e espiritual depois de um dia estafante de trabalho em troca do pão de cada dia, mas o mentiroso socialista quer que todos, homens, mulheres e crianças, fiquem confinados em um galpão público trabalhando em prol do estado totalitário. 

Os socialistas querem a destruição da família para criar a oposição entre a comunidade dos homens e a comunidade das mulheres. Ambas as comunidades ficariam descomprometidas com seus filhos que seriam escravizados e doutrinados em galpões separados das comunidades masculinas e femininas. O resultado disso seria a extinção da raça humana, como quer o rabudo.

As bases do estado conservador

O ser humano criado por Deus tem direitos naturais independentemente da existência do estado. Nenhum direito do homem depende do estado. O estado é apenas um mal necessário porque há filhos do anjo decaído que se infiltram entre os filhos de Deus com o objetivo de mentir, roubar, matar e agir contra a sociedade capitalista que precisa, justamente pela existência daqueles que se dizem socialistas, de um estado pacificador de conflitos entre seres humanos sempre diferentes entre si. Nesse sentido, o estado capitalista é o estado mínimo porque nada construtivo vem do estado, esse monstro que hoje se travestiu de salvador da raça humana, mas é seu algoz.

Os trabalhadores têm nacionalidade sim, assim como têm direitos naturais de vida, de liberdade, de propriedade, de constituir família, de exercer um papel social, de conquistar o poder político (que no estado capitalista é mínimo), de ser feliz e, acima de tudo, de acreditar no paraíso celeste que é o único verdadeiro em oposição ao estado socialista que promete o inexistente paraíso terrestre semelhante àquele da Coreia do Norte onde todo homem foi transformado em chorão de praça pública. Se não quiser chorar em praça pública, será preso e levado para campo de concentração onde trabalhará de graça até morrer pelo deus Kim.

O isolamento nacional e os antagonismos entre os povos desaparecem de dia para dia com o desenvolvimento material do homem capitalista, com a liberdade de comércio, com o mercado mundial, com a uniformidade da produção industrial e com as condições de existência natural que lhe correspondem.

Mas o socialista no poder, objetivando destruir o ser humano, promove guerra entre estados que é a mesma guerra que promove entre seres humanos visando escravizá-los em nome das mais diversas mentiras.

O socialista convencido pela própria soberba de que é o deus de si próprio e dos outros, ou por estudada maldade, declara que há exploração do homem pelo homem e propõe abolição das fronteiras entre estados dizendo que assim cessariam a exploração e a hostilidade entre nações.

É outra grande mentira que o socialista, ideólogo, darwinista e filho do rabudo prega todo dia nos jornais do mundo inteiro. O objetivo é a criação do governo mundial em curso. Se o estado mínimo precisa ter algum recurso é só para combater às tentativas de socialismo internacional promovidas pelos dirigentes do governo mundial.

É necessário que o trabalhador conservador saiba que o socialista recebe dinheiro da Fundação Rockfeller, da Fundação Ford, do Bill Gates e de outros seres humanos gananciosos desejosos de dominar o mundo por intermédio de algum monopólio prometido por algum socialista que se deseja o deus do governo mundial socialista (Ouça aqui o que é o governo mundial). Reaja contra isso! Estude! Informe-se! Não deixe os que se dizem socialistas escravizá-lo.

A religião do homem conservador

Marx, o principal redator do manifesto comunista, era um anticristão, mais que isso, era um satanista. Antes de escrever o manifesto comunista, um brado de gigantescas maldições contra a humanidade, escreveu isto:
  • 1-Os vapores infernais elevam-se e enchem meu cérebro até o enlouquecimento e meu coração seja totalmente mudado. Vê esta espada? O príncipe das trevas vendeu-a para mim.
  • 2-Pois ele marca o compasso e dá os sinais. Cada vez mais ousado, eu me entrego à dança da morte.
  • 3-Ergue-se da minha alma tão claro como o ar, tão forte como meus próprios ossos. Contudo meus braços são possuídos de força para agarrar e triturar a humanidade com a força de um furacão.
  • 4-Arruinado, arruinado. Meu tempo esgotou-se. O relógio parou, a casa do pigmeu desmoronou. Breve apertarei a eternidade ao peito e breve bradarei gigantescas maldições sobre a humanidade. (Veja aqui).

Sim, não é necessária uma grande perspicácia para compreender que as idéias, concepções e as noções dos homens, numa palavra, a sua consciência, mudam com toda a mudança sobrevinda nas suas condições de vida, nas suas relações sociais e na sua existência social, mas isso não quer dizer que o homem deixará de ser capitalista.

Sim, a história das idéias demonstra que a produção intelectual se transforma com a produção material, mas as idéias dominantes em qualquer época não foram sempre idéias de uma suposta classe dominante. Cristo venceu todo o império romano sem nunca ter pertencido a algum grupo social dominante. 

Sim, quando se fala de idéias que revolucionam toda uma sociedade, exprime-se apenas o fato de que no seio da velha sociedade se formaram os elementos de uma sociedade nova, mas isso nunca significa eliminação da propriedade como condição de existência, muito menos de mudança do capitalismo para o socialismo.

Sim, quando o mundo antigo estava no seu declínio, as velhas religiões foram vencidas pela religião cristã e sim também quando no século XVIII, o homem capitalista, sempre adepto da livre concorrência e da cooperação, venceu o feudalismo, mas esse fatos não significam que o homem capitalista travou uma luta de morte contra o cristianismo para restaurar as antigas religiões anticristãs que acompanham o socialista. Ao contrário, o homem capitalista, cristão por excelência, sofre o combate maligno e mortífero das religiões e culturas atrasadas da antiguidade. Quem acompanha o socialista é justamente o paganismo  existente antes de Cristo.

Sem dúvida, pode-se dizer que o homem conservador é a descrição do homem cristão e que a religião, a moral, a filosofia, a política e o direito mantiveram-se constantes no meio das transformações que lhe são subjacentes, mas o socialista filho do anjo decaído quer criar nova verdade, nova religião, nova moral e um novo sistema político em que ele seja dono do homem capitalista que seria transformado em escravo da máquina estatal. Só que esse novo homem socialista seria o retorno às misérias, às injustiças e às desvalorizações da mulher existentes antes de Cristo.

Mas então o muçulmano (islamista) não é capitalista? Conclusão errada porque todo ser humano é capitalista, mas a religião muçulmana impõe uma ditadura ao seu súdito e o homem capitalista só progride com liberdade dada por Deus e o estado não dá liberdade a ninguém. Portanto, a religião do homem capitalista é a cristã e o islamista é um capitalista submetido a uma ditadura.

Recusamos enfaticamente que a história de todas as sociedades que existiram até hoje seja a história dos antagonismos de classes ou da exploração de uma parte da sociedade pela outra, haja vista que a luta pela vida é uma questão individual em que, de vez em quando, um líder aflora e mobiliza a cooperação de outros para lutar contra uma injustiça ou até mesmo para praticar uma injustiça. Mas essa não é a regra cristã que prega a paz, a liberdade, a verdade e a vida em abundância.

O manifesto conservador é pela conservação da vida, da liberdade, da propriedade e da religião cristã. O oposto manifesto comunista explicitamente declara ser uma ruptura radical com as relações de propriedade tradicionais, com o cristianismo e com a liberdade tradicionais e, acrescentamos: é uma proposta satânica de extinção do ser humano.

Propostas do Manifesto do Partido Conservador

O homem conservador luta pelos direitos naturais do ser humano. Luta pelo direito de propriedade, de liberdade e de vida em abundância, o que é muito diferente de impor direitos ditos humanos tipo homossexualismo, abortismo, igualitarismo e outras medidas totalitárias ao gosto dos socialistas. 

O homem conservador deve perceber o inimigo socialista vivendo em nosso meio. Deve perceber que o inimigo usa da democracia e da liberdade capitalistas para tomar o poder. Uma vez no poder ele nos arranca pouco a pouco todas as nossas coisas, agride nossos costumes e tradições, centraliza todos os instrumentos de produção nas mãos do Estado, isto é, expropria nossas coisas e propriedades e as coloca nas mãos do ditador socialista. Por isso, cada vez que o inimigo socialista toma o poder escorre sangue de nossas vidas.

O autor principal do manifesto comunista diz que a tomada de poder seria por uma violação despótica do direito de propriedade e das relações de produção e depois por medidas que do ponto de vista econômico pareceriam insuficientes e insustentáveis, mas que, no decurso do movimento ultrapassar-se-iam a si mesmas e seriam indispensáveis como meio de transformar radicalmente todo o modo de produção. Essa é a cartilha que a Organização PT segue religiosamente desde 1980.

Este manifesto conservador é muito mais que apenas oposição ao manifesto comunista. Defendemos a conservação da liberdade, da vida, dos bons valores e do cristianismo. Porém, em relação às medidas explicitamente citadas no manifesto comunista opomos outras medidas, conforme quadro a seguir:
Imposições do manifesto comunista(ver aqui p. 42-43)
Propostas do manifesto conservador
1-Expropriação da propriedade da terra e afetação da renda da terra às despesas do Estado
1-Garantia de direito de propriedade sob todos os aspectos
2- Imposto fortemente progressivo
2-Imposto não progressivo. Apenas um imposto sobre a movimentação financeira
3- Abolição do direito de herança
3-Garantia do direito de herança
4- Confiscação da propriedade de todos os emigrados e sediciosos
4-Brasileiros e estrangeiros, residentes ou não, terão propriedades garantidas no Brasil
5-Centralização do crédito nas mãos do Estado, por meio de um Banco nacional, com capital do Estado e monopólio exclusivo
5-Bancos privados controlados por um banco central independente
6- Centralização nas mãos do Estado de todos os meios de transporte
6-Meios de transporte privados e públicos e livres de qualquer centralização
7- Multiplicação das empresas fabris pertencentes ao Estado e dos instrumentos de produção, arroteamento dos terrenos incultos e melhoramento das terras cultivadas, segundo um plano se conjunto
7-Nenhuma empresa e nenhum instrumento de produção pertencente ao estado, sem interferência na produção capitalista
8- Trabalho obrigatório para todos; organização de exércitos industriais,
8-Trabalho para quem quiser trabalhar. Exército para prender bandidos e nos defender dos estados totalitários
9- Combinação da agricultura e da indústria; medidas tendentes a fazer desaparecer gradualmente o antagonismo entre a cidade e o campo
9-Não existe antagonismo entre capitalistas e também não existe entre a cidade e o campo. As trocas capitalistas são livres da origem da produção
10- Educação pública e gratuita de todas as crianças; abolição do trabalho das crianças nas fábricas tal como hoje se pratica. Combinação da educação com a produção material etc.
10-Educação sem doutrinação socialista e predominantemente privada

Marx revelou no manifesto comunista a verdadeira natureza do governo socialista:
  • O poder político, para falar com propriedade, é a violência organizada de uma classe dominante que destrói pela violência as antigas relações de produção, que suprime ao mesmo tempo estas relações de produção e as condições para a existência do antagonismo das classes em geral, e, portanto, a sua própria dominação como classe((ver aqui p. 43-44).

É a pura descrição dos governos totalitários implantados em Cuba, Coreia do Norte, União Soviética e China onde desapareceu a liberdade, desapareceu a propriedade, desapareceu a esperança e a vida gradativamente esvanece. Logicamente, os antagonismos não existem mais por que: Quem seria opositor ao ditador socialista?

Nenhum comentário: