quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Pobrezinho do marajá cubano, quanta desumanidade com ele: ganha R$ 10 mil limpinhos por mês. Quem no Brasil recebe um salário tão alto?

Mais Médicos e os marajás cubanos.
Por Coronel do Blog CoroneLeaks (Coturno Noturno)
Pobrezinho do marajá cubano, quanta desumanidade com ele: ganha R$ 10 mil limpinhos por mês. Quem no Brasil recebe um salário tão alto?

Não pensem que um médico cubano recebe apenas R$ 10 mil mensais livres de qualquer imposto. Ele também recebe habitação e alimentação da prefeitura da paupérrima cidade do interior do Brasil. Segundo o IBGE, estes dois itens consomem 55,75% da renda do brasileiro. Mas não para por aí. Ele também recebe transporte de graça, que, segundo o mesmo IBGE, consome outros 18,4% do salário em nosso país.

O fato é que para receber R$ 10 mil limpos, como um médico cubano, o trabalhador brasileiro precisaria receber no mínimo R$ 20 mil mensais. Calculem, é fácil. Tirem 27,5% de Imposto de Renda de R$ 20 mil. Sobram R$ 14.500. Descontem INSS, imposto sindical e etc. Agora retirem alimentação, transporte e moradia. O valor ficará bem próximo de R$ 10 mil mensais líquidos, que é o que um marajá cubano recebe.

Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, a contrapartida das prefeituras, como no custeio da hospedagem e da alimentação, pode ficar mais cara do que se a própria prefeitura contratasse um profissional para fazer o mesmo trabalho. 

“Em primeiro lugar, vai ser dada uma bolsa para esse profissional, ele vai para lá, mas, no próprio programa, a prefeitura vai ter que fornecer habitação, alimentação, transporte, segurança. Há municípios – eu já fiz um levantamento – em que a prefeitura vai acabar gastando mais que se tivesse um médico pago por ela”, afirma. “Essa é uma questão que deve ser avaliada. Parece que estamos fazendo aqui o papel do advogado do diabo, mas não é isso. O problema está na chamada estruturação do SUS”.

Sabem qual é o benefício médio da Bolsa Família no Brasil, segundo o IPEA? R$ 152,35. Ou seja: o paciente pobre, o pobre brasileiro que vai ser atendido pelo marajá cubano, tem uma renda 65 vezes menor. Isso é justo? Não é. Até porque em Cuba, este médico nem emprego teria. E se tivesse, não receberia mais do que R$ 200 mensais. E ainda teria alimentação racionada, transporte de péssima qualidade e uma casa em ruínas.

A verdade é que, para cada marajá cubano pago pelos pobres brasileiros, deveriam ser contratados no mínimo dez. Eles sabem pouco e ganham uma fortuna por mês. O Brasil está sustentando a ditadura de Cuba. E a ditadura de Cuba está sustentando a ditadura do PT.

Nenhum comentário: