sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Mais um esquema do Foro de São Paulo: Maduro, o tiranete da Venezuela, enviará bandidos a Cuba para serem transformados em agentes comunistas. É o programa "mais bandidos"

Milícias chavistas agora contarão com mais bandidos treinados em Cuba
A matéria que segue abaixo é do site do jornal O Globo. O texto é feito com base no noticiário de agências internacionais. Pretensamente imparcial, a matéria na verdade leva água ao moinho do comunismo chavista. 
O que na verdade deve ocorrer é a transformação de bandidos em militantes do comunismo, já que em Cuba, deverão passar por uma lavagem cerebral. Isto quer dizer que não deixarão de ser bandidos, já que ao serem transformados em bate-paus do chavismo, passarão a constituir-se em bandidos a serviço da ditadura comunista do caricato tiranente Nicolás Maduro, o filhote de Chávez. É uma versão muito louca do Programa Mais Médicos. Desta feita será o 'Programa Mais Bandidos'.
Entretanto, O Globo segue o que afirmou Lula, quando disse que na Venezuela há “democracia até demais”. Os semoventes da redação de O Globo jamais qualificam de ditadura a quadrilha que tomou conta da Venezuela.
Depois que esses comunistas chegaram ao poder na América Latina, o continente virou uma base operacional de bandoleiros e terroristas de todos os tipos. E vejam que a matéria de O Globo é um primor do pensamento politicamente correto. Só falta dizer que os bandidos são bandidos por causa da ‘exploração capitalista’. Leiam:
A Venezuela vai exportar delinquentes para Cuba, com o objetivo de capacitá-los e tirá-los da criminalidade, e depois pretende trazê-los de volta, revelou nesta quarta-feira a vice-ministra de Seguridade e Cidadania de Venezuela, Wandolay Martínez. A ideia faz parte dos planos do presidente Nicolás Maduro para tratar da alta taxa de criminalidade do país. Em 2012 houve um salto de 14% na taxa de homicídio, chegando a 16 mil. Isso significa que, para cada 100 mil venezuelanos, 54 morreram assassinados.
- Em novembro vamos enviar um grupo de jovens venezuelanos que cometeram delitos menos graves e que entregaram suas armas. Como incentivo, foi dado a eles uma ida a Cuba para serem capacitados em cursos de formação e para que depois voltem a Venezuela e trabalhem legalmente - disse Wandolay ao canal VTV.
O plano de Maduro começou no início do ano e tenta convencer jovens infratores a mudar de vida, além de colocar um reforço de efetivo de 12 mil soldados nas ruas.
A vice-ministra não disse quantos jovens venezuelanos serão enviados a Cuba, mas afirmou que o governo não quer promover a impunidade com esse tipo de incentivos.
- Os jovens sabem que cometeram delitos, mas, mesmo entregando as armas, devem assumir a responsabilidade.
No dia 25 de agosto alguns depoimentos desses jovens infratores foram mostrados na televisão pelo vice-ministro do Interior, José Rangel.
“Aqui há um criminoso puro. Somos criminosos. Tomamos esse caminho não porque quisemos” dizia um suposto jovem enquanto outro era mais explícito ao pedir ajuda: “Ajudem porque nossos corpos estão esperando por ajuda”.
O vice-ministro também disse que conversou com com membros de 280 grupos criminosos, dos quais participam um total de 10 mil pessoas. Ele disse que as conversas foram autorizadas por Maduro e que começaram no início deste ano para trataram do desarmamento voluntário dos criminosos. Do site de O Globo

Nenhum comentário: