quinta-feira, 19 de setembro de 2013

PELADOS, IDIOTAS E MALVADOS. OU: REBELDES SEM CALÇA


Nesta quarta fatídica, enquanto Celso de Mello emprestava as suas venerandas lentes a uma causa ruim, um grupo de gente quase pelada — uns 30, li em algum lugar — tirava a roupa das imediações do Congresso para pedir o fim do voto secreto. De qualquer voto secreto. Parece que o peladismo não era total, o que já torna essa gente mais, como direi?, “reacionária e atrasada” do que um grupinho que havia na Universidade de Brasília — não sei se ainda ativo. Os rebeldes sem calça já iam se despindo antes mesmo de definir a pauta. Sobre esse modo de protesto, tenho uma sentença definitiva: quem vale a pena não tira a roupa, e quem tira a roupa não vale a pena.

Os pelados desta quarta eram ligados ao site de petição Avaaz, uma organização internacional comandada, no Brasil, pelo petista Pedro Abramovay. Tento de novo: esse patriota achou que esta quarta era um bom dia para pedir o fim do voto secreto. O ponto nervoso de sua agenda estava na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, não no Supremo.

E o que fez a Comissão — não por causa dos pelados, mas porque despida de bom senso? Disse sim ao projeto, já aprovado na Câmara. Se passar no plenário, extingue-se o voto secreto para as cassações de mandato (e isso é bom), mas também para vetos presidenciais e indicação de autoridades pelo Executivo. E isso é estúpido. Aprovado o texto como está, a medida também vale para Câmaras Municipais e Assembleias Legislativas.

Trata-se de um tiro no pé, que alguns dão por cálculo e outros pela forma mais nefasta de reacionarismo que há no mundo: a burrice. Pôr fim ao voto secreto nas cassações de mandato é uma medida saneadora; acabar com esse instrumento em qualquer caso corresponde a cassar uma prerrogativa que existe na maioria dos Poderes Legislativos dos regime democráticos. O PT apoiou a proposta. Terá sido por cálculo ou por burrice? A resposta é fácil.

Mas lá estavam os pelados de Abramovay, de costas para o Supremo, a pedir um Poder Legislativo menos autônomo do que é hoje.

Há causas melhores do que essa para tirar a roupa!

“Mas por que os pelados seriam também malvados, Reinaldo?” Em razão da dupla agressão: ao bom senso e à estética. Desculpem o meu conservadorismo, mas sou de um tempo em cueca e calcinha só eram argumentos nos momentos que antecediam aquilo naquilo, ainda o melhor motivo para se tirar a roupa. Mas não em praça pública.

Tags: Congresso, voto secreto, pelados, sem valor, desvalorização de si mesmo, atitude animalesca, Organização PT, Avaaz, Reinaldo Azevedo, pelado de Abramovay, tirar a roupa

Nenhum comentário: