quinta-feira, 8 de agosto de 2013

GOVERNO DO PT PODE TRANSFORMAR NOSSO PAÍS NUM CUBABRASIL DA MESMA MANEIRA QUE A VENEZUELA VIROU CUBAZUELA. Veja o que ocorreu na Venezuela

SUPREMA CORTE DA VENEZUELA NEGA RECURSO DA OPOSIÇÃO, CONVALIDA FRAUDE ELEITORAL E ACIONA O MINISTÉRIO PÚBLICO PARA INVESTIGAR E PUNIR O CANDIDATO OPOSICIONISTA CAPRILES!

O que acaba de ocorrer na Venezuela é algo inaudito e serve de exemplo para os cidadãos brasileiros neste momento assediados pelo governo do Lula e da Dilma, que agora com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pressiona o Congresso e a população brasileira a aceitar uma reforma política de interesse exclusivo do PT que quer se eternizar no poder e implantar no Brasil o "socialismo do século XXI", eufemismo para designar um regime comunista do tipo cubano.

O processo é parecido com o que aconteceu na Venezuela, onde Estado de Direito Democrático foi para o lixo entrando em vigência um regime ditatorial comunista. O ditador é o filhote de Chávez, Nicolás Maduro que para chegar ao poder rasgou a própria constituição escrita e aprovada pelos próprios chavistas. Maduro se apossou do poder como vice-presidente enquanto Chávez sumiu em Cuba, onde foi se tratar. Até hoje ninguém viu o cadáver e nem se sabe onde está sepultado.

Entretanto, o vice-presidente na Venezuela não é eleito, mas nomeado pelo presidente. Assim, conforme a Constituição o presidente da Assembléia Nacional (deputados) teria de assumir provisoriamente a presidência marcando imediatamente as eleições. Mas nem isso ocorreu. Maduro se adonou simplesmente do poder para em seguida concorrer ao pleito enquanto Hugo Chávez desaparecia em Havana.

A eleição é contestada de forma veemente pela oposição, já que há inúmeros fatos concretos de ocorrência de fraudes que incluem o voto de eleitores falecidos, voto assistido, ameaças de grupos armados, enfim, uma coisa vergonhosa e para a qual a comunidade internacional fechou os olhos. Isto quer dizer que as Nações democráticas - ou consideradas como tal - simplesmente deram as costas para o povo venezuelano esbulhados no seus direitos de forma truculenta pelos comuno-fascistas bolivarianos.

Face a essa brutal ação da ditadura chavista, a Mesa de Unidade Democrática (MUD) que reúne todos os partidos de oposição, tendo à frente o candidato Henrique Capriles, interpôs recurso pleiteando a anulação da eleição junto à Suprema Corte de Justiça.

Decorridos quase cinco meses da interposição desse recurso, a Suprema Corte finalmente se pronunciou nesta quarta-feira negando-se a conhecer as denúncias contidas no recurso, denegando-o portanto, e ainda remeteu os autos para o Ministério Público para que processe - pasmem - Henrique Capriles, sob acusação de atacar o tribunal dentre outras barbaridades.

Capriles, de autor do recurso, passará, provavelmente, a ser o réu em ação e sujeito a uma investigação que visa processá-lo criminalmente. Tudo nos moldes do que ocorria na ex-URSS e ocorre em Cuba, Coréia do Norte e demais repúblicas comunistas que utilizam a justiça e o direito para massacrar a oposição, até que não reste mais nenhuma dissidência.

No vídeo acima a Globovisión, das poucas emissoras que ainda se arrisca a fazer algumas matérias mais contundentes, entrevista um professor de Direito Constitucional. Mas como se depreende das respostas desse jurista, o Estado de Direito Democrático já não existe mais na Venezuela.

O desmonte das instituições democráticas começou há 14 anos, quando o tiranete Hugo Chávez assumiu o poder jurando que respeitaria a Constituição. Mas não demorou muito já estava ele fazendo um "reforma política", como quer o PT agora no Brasil com o apoio e anuência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), completamente aparelhada pelos esbirros do PT. Chávez fechou o Senado e criou uma Assembléia Nacional de deputados controlada pelo chavismo. E mesmo nas últimas eleições legislativas Chávez promulgou uma lei que alterou o coeficiente eleitoral de forma a evitar que a maioria da Assembléia fosse controlada pela Oposição. Na realidade, a vitória foi da Oposição, mas também aí os oposicionistas foram esmagados.

O finado tiranete Hugo Chávez, como coronel Exército, também tratou de aparelhar as Forças Armadas, que por incrível que pareça, também são suspeitas de envolvimento com o narco-tráfico operado pelos terroristas das FARC que integram também o esquerdista Foro de São Paulo, fundado por Lula e Fidel Castro em 1990, e que esteve reunido no Brasil na última semana num hotel em São Paulo. Esse foro é quem formula as estratégias políticas na América Latina tendo por objetivo a implantação de regimes comunistas em todo o continente latino-americano.

À Oposição venezuelana resta agora recorrer às instâncias internacionais num processo complicado e democrado e que não terá resultado prático, o de não deixar que a fraude eleitoral caia no esquecimento.

Mas as entidades internacionais, como a OEA também estão completamente aparelhadas. A ONU também é outra organização internacional vinculada ao movimento esquerdista internacional, enquanto o Mercosul é presidido pela Venezuela!

ATENÇÃO! PT TENTA FAZER O MESMO NO BRASIL! REFORMA POLÍTICA, PLEBISCITO E REFERENDO SÃO TUDO GOLPE COMUNISTA DO PT!
Concluindo: é por esses motivos todos que acabo de expor neste rápido artigo, que o Congresso brasileiro não pode, sob hipótese nenhuma, levar adiante a propalada reforma política proposta pelo PT, já que é golpe no estilo da Venezuela sem tirar nem por. Além disso os eleitores brasileiros não deverão subscrever nenhum documento pleiteando tais reformas. É um golpe do PT! Repito: é o primeiro passo do golpe comunista como ocorreu na Venezuela, onde está em vigência uma ditadura sanguinária e corrupta.
Transcrevo a seguir reportagem do jornal El Nacional no original em espanhol a notícia informando que o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela denegou o recurso e ainda por cima acionou o Ministério Público para investigar e processar o candidato oposicionista Henrique Capriles. Leiam:

EN ESPAÑOL LA NOTÍCIA DE "EL NACIONAL" - Además de rechazar las impugnaciones de los resultados de las elecciones presidenciales del 14 de abril, la Sala Constitucional del Tribunal Supremo de Justicia impuso una multa de 100 unidades tributarias (10.700 bolívares) a Henrique Capriles Radonski y remitió copia del fallo al Ministerio Público para que se determine si el demandante incurrió en delito a través de sus expresiones contra el máximo tribunal del país.

“En vista de la gravedad de las ofensas y términos irrespetuosos que el demandante vertió en su escrito, esta Sala Constitucional estima necesario remitir al Ministerio Público, como titular de la acción penal, copia certificada del presente fallo y del escrito presentado por la parte actora, con el objeto de que realice un análisis detallado de dichos documentos e inicie las investigaciones que estime necesarias a fin de determinar la responsabilidad penal a que haya lugar”, indica la sentencia dictada ayer.
Aunque en el fallo de la Sala Constitucional no se precisan las expresiones que considera ofensivas e irrespetuosas, dedica varias páginas a rechazar las dudas sobre su imparcialidad: “No sólo la representación actora incurrió en la mencionada falta a la majestad del Poder Judicial al que, paradójicamente, acudió en su defensa, sino que en diversas oportunidades y a través de distintos medios ha acusado expresa y radicalmente a la judicatura y, en particular, a esta Sala Constitucional, como un órgano completamente parcializado y llegó incluso a afirmar que este máximo juzgado obedecía la línea del partido de gobierno”.
La Sala Constitucional afirma que Capriles Radonski actuó de mala fe: “No se acude a los tribunales con el ánimo de resolver una disputa, sino para acusar al árbitro por no someterse a sus designios y voluntades”. Considera que las descalificaciones del Poder Judicial trivializan el debate democrático y minan la credibilidad de las instituciones.
El máximo tribunal se adelantó a señalar que lo dicho por Capriles Radonski en el libelo de su demanda no corresponde al ejercicio de la libertad de expresión. Por el contrario, sugirió que los hechos constituyen el delito de vilipendio y citó la controversial sentencia 1942, dictada el 15 de junio de 2003, la cual establece el sentido y alcance de ese delito: “Denigrar públicamente a las instituciones del Estado puede tener como fin el debilitamiento y desprestigio de estas, para así lograr un desacato colectivo a lo que ellas –conforme a la ley– deban obrar o cumplir”.
Ramón José Medina, uno de los apoderados de Capriles, dijo que la criminalización de la expresión es un manido artificio del Gobierno. Aseguró que el debate sobre el presunto fraude electoral y el control oficialista de de todos los poderes públicos proseguirá en instancias internacionales.Lamentó que, en vez de permitir el debate jurídico de cada una de las irregularidades denunciadas, el TSJ validó de un plumazo los resultados del 14A.
“Además –agregó el dirigente de la MUD– la Sala Constitucional incurrió en ultra petita, pues decretó la legitimidad de Maduro, a pesar de que no le correspondía. La legitimidad no se decreta, sino se gana mediante elecciones limpias y la aceptación popular del gobernante”.
El dato
Vía Twitter, Capriles manifestó sus primeras reacciones: “Nos multan por decir y defender la verdad. ¡Honor que nos hacen! ¡Hemos desenmascarado a esas instituciones y el pueblo hará que cambien! Inadmisible es la falta de justicia es nuestro país, más de 50 venezolanos asesinados cada día, la corrupción del Gobierno”. Do site do jornal El Nacional
Tags: Venezuela, Cubazuela, Suprema Corte, Capriles, corte eleitoral da ditadura, Brasil, Aluízio Amorim, governo do PT, ditadura socialista, ditadura do PT

Nenhum comentário: