domingo, 16 de junho de 2013

BRASIL DO PIBINHO, da maquiagem nas contas, do dólar disparando, da inflação em alta, da invasão de propriedades rurais, da perda de valor da Petrobrás, da lambança do bolsa família É O BRASIL REAL, mas Dilma diz que informar isso a você é terrorismo informativo. O que você acha?

Dilma: cobertura da crise econômica é "terrorismo informativo".
Por Coronel do Blog no blog CoroneLeaks (Coturno Noturno)
Em discurso no Complexo Esportivo da Rocinha para o anúncio de obras era três favelas do Rio, a presidente Dilma Rousseff afirmou ontem que há "estardalhaço e terrorismo informativo" sobre a situação econômica do País. No mesmo evento, atacou indiretamente a oposição ao dizer que "não se fazia obra para as comunidades mais pobres" no Brasil até 2003, início do governo Lula.

Foi o terceiro dia consecutivo em que Dilma volta suas declarações para críticos da política econômica. Na quinta-feira, em Curitiba, tratou-os como "vendedores do caos", Um dia antes, em Brasília, havia comparado a oposição ao Velho do Restelo, personagem de Luís de Camões na obra Os Lusíadas considerado um pessimista.

Ontem, Dilma preferiu passar ao largo dos protestos contra o custo do transporte público em várias capitais do País e voltar seu discurso ao noticiário sobre a retomada inflacionária. "Nós jamais deixaremos que a inflação volte. Hoje ela está sob controle, ontem ela estava e continuará sob controle", discursou. E fez um pedido: "Peço a vocês que não deem ouvidos a esses que jogam sempre d o quanto pior, melhor. Críticas, todo mundo tem de ter a humildade de aceitar. Mas terrorismo, não".

A presidente afirmou que, em meio à crise econômica que "talvez seja a mais grave desde 1929" o Brasil apresenta hoje "a menor taxa de desemprego do mundo". "Vocês têm visto na imprensa muita gente falando que o Brasil passa por um momento de dificuldades. Interessa a eles criar essa ideia", discursou Dilma para uma plateia de políticos e, principalmente, moradores da Rocinha. "Não só o Brasil não está numa situação difícil como é um país extremamente sólido. Temos uma das menores relações entre dívida líquida e PIB. Não gastamos mais do que possuímos. Somos sérios em relação à política fiscal."(Estadão)

A presidente acha que criticar um PIB de 0,6% é terrorismo. Assim como é terrorismo informar a maquiagem nas contas públicas, com o superavit primário sendo reduzido à metade. Terrorismo também é a imprensa mostrar que um dólar disparando, devido a perda da confiança na economia do país, o mesmo acontecendo com os investimentos. Ainda perguntar a presidente se é terrorismo informativo divulgar que o governo bate cabeças em tudo: na articulação política, na solução de crises como a indígena, na perda de valor das principais empresas estatais, na péssima gestão da Bolsa Família. E a inflação em 6,5%, no topo da meta e disparando, seria terrorismo informativo? É, a Velha do Castelo está cada vez mais caduca.

Nenhum comentário: