quarta-feira, 15 de maio de 2013

ESCÂNDALO DE ESPIONAGEM DO GOVERNO OBAMA: O FISCO AMERICANO VASCULHOU O FACEBOOK PARA INVESTIGAR A RENDA DE OPOSICIONISTAS

NOVAS REVELAÇÕES SOBRE O ESCÂNDALO DE ESPIONAGEM DO GOVERNO OBAMA: FISCO AMERICANO VASCULHA ATÉ MESMO O FACEBOOK!
Por Aluízio Amorim no site www.aluizioamorim.blogspot.com

Espionagem dos cupinchas de Obama:

Conservadores temiam ser punidos por postagens no Facebook.

A mais recente revelação do escândalo envolvendo o Fisco americano, acusado de perseguir grupos conservadores que tentavam conseguir isenção de impostos, traz um dado alarmante: o órgão equivalente à Receita Federal nos Estados Unidos vasculha até o Facebook de seus contribuintes. Segundo a organização americana de jornalismo investigativo Politico, o Fisco analisou posts de grupos não alinhados ao governo democrata, numa tentativa de limitar as vozes contrárias durante as eleições presidenciais do ano passado - exatamente o período em que aumentaram reclamações contra as revisões feitas pelo órgão.

O Fisco também pediu para saber que livros os conservadores estavam lendo, mostrando que a minuciosa e controversa investigação ultrapassou a busca por dados confidenciais e examinou também as informações pessoais.

O Politico teve acesso a documentos, examinados pelo Fisco em 2012, de 11 membros do Tea Party e de outros grupos conservadores examinaram que mostram que o IRS (Receita Federal dos EUA) queria saber absolutamente tudo sobre eles – até mesmo o que estavam pensando. Eles tinham cópias dos sites, blogs e postagens em redes sociais dos conservadores, que temiam ser punidos por algum tweet ou post no Facebook.

O relatório do inspetor-geral do Tesouro americano divulgado na terça-feira mostra que o próprio Fisco decidiu sobre as questões abusivas a que foram submetidos membros dos grupos conservadores. O documento não conclui que a prática era inapropriada, preferindo dizer que era errado o critério de seleção usado para identificar as organizações que seriam alvo de escrutínio. O texto culpa falhas de gestão no Fisco pela perseguição aos grupos conservadores.

Segundo o relatório, mais da metade dos grupos que foram selecionados para fornecer mais informações tiveram de passar dados “desnecessários”, como o nome de doadores e “o tipo de conversas e discussões de membros e participantes” durante as reuniões da organização. O documento confirma que, ao longo de 18 meses, todos os grupos que tinham “tea party” e “patriotas” eram submetidos a revisões.

Alguns desses conservadores contaram ao Politico que foram exigidos deles “toneladas de informação”. Foram pedidos os currículos dos mais altos membros dos grupos e descrições de suas entrevistas à imprensa. Um deles disse que foi obrigado a dizer até quantos minutos duravam as reuniões do conselho do grupo. Alguns grupos contaram ter desistido da isenção de impostos diante dos questionamentos absurdos. Do site da revista Veja

Nenhum comentário: