sábado, 27 de abril de 2013

SOBRE O ERRO DE ALGUNS ECONOMISTAS

Sobre o erro dos economistas
Escrito por Bruno Salama* e Lucas Mendes* e postado por ORDEMLIVRE (site www.ordemlivre.org) em 18/04/2013.

A liberdade individual é o valor supremo no pensamento hayekiano, e o estado de liberdade é aquele em que cada um pode usar seu conhecimento com vistas a atingir seus propósitos; o grande algoz da liberdade é o oportunismo.

Nem só aos juristas cabe a responsabilidade pelo desvirtuamento das democracias liberais. Hayek advertiu que muitas das ideias que governam as ações políticas no mundo são concepções equivocadas da realidade. De modo especial, observa o quão danoso é o fato de as ideias econômicas que orientam os juristas serem geralmente falsas. Exemplos dessas concepções incluiriam a crença de que a revolução industrial prejudicou a qualidade de vida dos operários em prol do enriquecimento dos industriais; ou a crença de que o livre mercado tende necessariamente à instabilidade e a colapsos financeiros, que arrasam a vida de muitos trabalhadores e empresários.

Mas ao contrário do que escreveu Marx em O Capital, o nível de vida das famílias operárias no capitalismo nascente não diminuiu, mas aumentou de forma inédita; e o livre mercado é instável e gerador de colapsos econômicos arrasadores, dirá Hayek, somente quando o Banco Central, através de seus mecanismos específicos, injeta moeda-papel no sistema econômico de modo artificial, sinalizando aos agentes que há mais poupança/capital para investimento do que realmente existente. Em síntese, “fábulas” formuladas por economistas teriam contaminado os juristas e filósofos do direito. Quando combinadas com o apelo construtivista para a “necessidade” de se planejar a economia e redesenhar a ordem social, diversas fábulas econômicas teriam subvertido tanto a política pública quanto o direito.


Oportunismo: o algoz da liberdde
Liberalismo e sociedade de princípios
Dois inimigos da ordem livre e um só expediente: o oportunismo
Se o mercado é imperfeito, o planejamento não é a solução
A sociedade e suas contingências
O papel do profissional do direito numa ordem livre
Sobre o erro dos economistas
O oportunismo retira do governo a confiabilidade de decidir sobre o mercado


* Bruno Salama é mestre e doutor em Direito pela UC Berkeley e professor da Fundação Getúlio Vargas – SP. Lucas Mendes é economista e mestre em Filosofia pela Universidade de Santa Maria.

** Publicado originalmente no OrdemLivre.org em 07/12/2009.

Nenhum comentário: