quinta-feira, 28 de março de 2013

OS MILIONÁRIOS RUSSOS SÃO ORIUNDOS DA KGB. FICARAM RICOS PELA KGB E MORRERAM PELA KGB. ASSIM FOI O CASO DE BORIS BEREZOVSKY

O capitalismo russo e a morte de Boris Berezovsky
Escrito por Jeffrey Nyquist e publicado no site www.midiasemmascara.org

Agentes da KGB foram feitos bilionários porque a Rússia precisava de bilionários da mesma forma que uma agência de modelos precisa de modelos.

Eu estava no meio de uma entrevista com o ex-oficial da KGB Konstantin Preobrazhenskiy quando soubemos da notícia de que o "oligarca" e magnata russo Boris Berezovsky havia morrido. Não pude resistir em perguntar ao Sr. Preobrazhenskiy sobre o que ele achava da vida de Berezovsky; a resposta acabou se tornando um fascinante discurso sobre a natureza do capitalismo russo. Para contextualizar o leitor, Konstantin Georgiyevich Preobrazhenskiy trabalhou como espião da KGB no Japão entre 1980 e 1985, foi o conselheiro de Leonid Zaitsev, chefe do Diretório "T" de Inteligência Técnica no Primeiro Diretório Chefe da KGB para assuntos sobre China, Japão e Coreia.

Quis saber dele como os bilionários da Rússia fizeram suas fortunas. A resposta não foi algo que muitos esperavam ouvir. "Até onde eu sei", respondeu Preobrazhenskiy, "Berezovsky nunca se esforçou para esconder o fato de ele ser um colaborador da KGB. Essa conduta colaborativa na União Soviética era normal entre acadêmicos de origem judaica, especialmente dentre aqueles que atuavam nas ciências naturais. A URSS era um país que vigorava oficialmente o antissemitismo e, sendo assim, era muito difícil para um acadêmico judeu conseguir um Ph.D. Entretanto, em 1983, Berezovsky se tornou Doutor em Ciências Técnicas, que é um título mais elevado que um Ph.D.! E isso foi no ano da luta de Andropov contra os dissidentes, especialmente os judeus que estavam tentando ser repatriados por Israel. Sob tais condições, um acadêmico judeu simplesmente não poderia conseguir seu doutorado sem contatar a KGB e provar sua lealdade à União Soviética".

Deveríamos estar chocados com a afirmação de Preobrazhenskiy? Como já foi explicado várias vezes nesta coluna, a queda da União Soviética não foi um evento simples e direto. A nova economia russa, o então novo clima empresarial e os novos homens de negócios não eram similares aos do Ocidente, pois eles não haviam sido escolhidos pelo mercado. Na verdade, eles foram escolhidos pela KGB. Segundo Preobrazhenskiy, "no começo dos anos 1990, Berezovsky tornou-se um dos primeiros oligarcas russos. Como? Ninguém sabe. Até onde eu sei, os oligarcas eram, em grande parte, agentes de confiança da KGB que receberam dinheiro do Partido Comunista para servirem de vacas leiteiras da KGB".

É óbvio apenas àqueles que entendem como funcionou o velho sistema soviético o fato de o novo sistema ter sido fundado pelo próprio sistema anterior. E se Boris Berezovsky era um agente da KGB antes de ser um oligarca, ele não estava só. Ele era parte de um transplante sistemático em que agentes da KGB foram feitos bilionários porque a Rússia precisava de bilionários da mesma forma que uma agência de modelos precisa de modelos. "Ou você pensa que o oligarca Vladimir Gusinsky não era um agente da KGB?" perguntou Preobrazhenskiy como se testasse minha credulidade. "Caso pense assim, então por que um dos líderes do conselho de uma das suas companhias (MOST) era um velho General do Exército chamado Philip Bobkov, que também era ex-chefe do Quinto Diretório da KGB? O Quinto Diretório estava combatendo os dissidentes — particularmente os judeus — e tinha uma lista de colaboradores judeus. Nos anos 1990 eu ainda vivia em Moscou e meus amigos me disseram que Gusinsky estava pagando para Bobkov cerca de 10 a 12 mil dólares mensais. Para quê? Poderia ser um tipo de "gratificação" para o seu recrutador da KGB".

Então Preobrazhensky começou a listar os oligarcas russos, destacando suas conexões com a KGB e suas relações especiais: "Outro famoso oligarca russo, Roman Abramovich, é um agente da KGB também. Quem me disse isso foi o falecido Alexander Litvinenko. Este era um agente da FSB que foi envenenado [com polonium-210] em 2006 na cidade de Londres. Ele me disse que a KGB recrutou Abramovich como soldado durante seu alistamento voluntário no Exército Soviético. A KGB estava apoiando todos eles: Berezovsky, Gusinsky, Abramovich e todos os demais oligarcas russos. Eis o porquê é tão difícil saber a razão da morte de Berezovsky. Na verdade, ser um colaborador da KGB não lhe dá qualquer garantia de vida! Na maior parte das vezes é o oposto: se você é um colaborador da KGB, é muito fácil para você morrer."

Evidentemente, um agente secreto teria segredos. E algumas vezes, segredos são melhores guardados nos túmulos. O que estava fazendo Berezovsky nos últimos anos de sua vida? Como ele entrou em desacordo com o Kremlin? Há um mistério em torno desse homem e esse mistério é impenetrável como a própria Rússia. "Na Rússia", disse Preobrazhensky, "poucos gostavam de Berezovsky e, aqui na América, alguns dos meus amigos pensaram que Berezovsky ainda estava do lado de Putin. Contudo, Berezovsky pôde cumprir tarefas de grande importância histórica. Foram atos que pouquíssimos mortais poderiam ter levado a cabo. Dentre eles, a ascensão de Putin, a guerra na Chechênia e a construção da estrutura política da Rússia, além de vários outros projetos empresariais impressionantes."

Em uma matéria escrita pelo Washington Post em 2000, Berezovsky argumentou que por conta da Rússia quase não ter classe média, cabia aos magnatas russos "interferir diretamente" no processo político russo e impedir os "ex" comunistas de retomarem o controle total. Mas o humilde acadêmico judeu não era páreo para o não-tão-humilde senhor da KGB, Vladimir Putin. Em 17 de julho de 2000, Berezovsky se demitiu da Duma dizendo que não queria ser parte de uma restauração autoritária. Ele usou seu império de mídia para criticar o Kremlin até que o presidente Putin avisou publicamente: "O estado tem um porrete nas mãos que, para usá-lo bem, basta um golpe na cabeça. Ainda não usamos esse porrete, apenas o brandimos... No dia que realmente ficarmos irritados, não hesitaremos em usá-lo". Esse era o sinal para o exílio de Berezovsky.

Lembro de ter conversado com a embaixadora sul-coreana na Rússia em uma conferência em abril de 2001. Eu perguntei a ela sobre suas experiências em Moscou e ela estava positivamente hipnotizada por uma pessoa: Boris Berezovsky. "Acho ele um gênio", disse ela. E de fato, ele deve ter sido um homem extraordinário. "Como cristão ortodoxo", disse Preobrazhenskiy, "gostei muito da conversão dele à ortodoxia em 1994. Eis o porquê, agora, Berezovsky está sofrendo o julgamento de Nosso Senhor Jesus Cristo, que é muito mais justo que qualquer corte humana".

Publicado no Financial Sense.

Tradução: Leonildo Trombela Júnior

Tags: Rússia | comunismo | KGB | história | socialismo | União Soviética | movimento revolucionário | globalismoKonstantin PreobrazhenskiyBoris Berezovsky, Vladimir PutimLeonid Zaitsev, Yuri AndropovVladimir Gusinsky, AbramovichPhilip BobkovAlexander Litvinenko, milionários russos, oligarcas russos, espiões russos, herdeiros do socialismo russo

Nenhum comentário: