sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

A imprensa brasileira, coalhada de petismo bocó, agora deu para flertar com práticas que, no limite, a destroem. Veja o que é fascismo com punhos de renda ou como se dá um chute no traseiro moral dos vigaristas

Rasgando o verbo do óbvio contra a conversa mole dos cretinos. Ou: Abaixo o fascismo com punhos de renda. Ou: Chute no traseiro moral dos vigaristas
Por Reinaldo Azevedo no blog www.veja.abril.com.br/blog/reinaldo/

Recebi de um cretino uma mensagem violentíssima, acusando-me de estar a serviço, deixem-me ver, de Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado. Que exótico! A tese é a seguinte: como foi a Avaaz que abrigou a petição contra Renan, se critico o chefão da Avaaz, então estou a favor do presidente do Senado. É juízo espelhado daqueles que sustentam que defender direitos humanos para presos é se alinhar com a bandidagem.

Venho de longe, bestalhão! Já superei essa fase. O PT chegou ao poder criando e malhando alguns judas para depois se aliar a eles. Ou não é assim? O próprio Renan é um desses “conquistados”. Os casos mais notórios são Delfim Netto e José Sarney.

A favor de Renan uma ova! O que penso sobre este senhor está no blog! Aliás, mais no meu do que em qualquer outro. O arquivo está aí. Mas o combate a Renan ou a outro qualquer não me fará condescender com práticas fascistoides. Até os nazistas podiam dizer uma coisa ou outra com as quais todos concordam. No seu “manifesto” de exigências ao estado alemão, constam coisas como estas:
11. A supressão dos rendimentos a que não corresponda trabalho ou esforço, o fim da escravidão do juro;
14. Exigimos participação nos lucros das grandes empresas;
15. Exigimos que se ampliem generosamente as aposentadorias;


Quem podia ser contrário? Quem é contrário ainda hoje? Mas saibam: a minha inteligência, havendo alguma, é especialmente talhada para perceber o mal que vem embrulhado no bem. Uma das tarefas que me impus na vida é desembrulhar e desembaralhar as coisas. A confusão sempre é útil às tiranias.

Não conheço o senhor Renan Calheiros. Nunca falei com o senhor Renan Calheiros. Por mim, o sr. Renan Calheiros jamais seria presidente do Senado — quem o apoia, entre outros, é Dilma Rousseff, não eu. Por mim, o sr. Renan Calheiros não teria nem mesmo sido eleito senador.

Quem é quadro político e intelectual de um modelo de poder que depende de Renan para se sustentar é Pedro Abramovay. Ele foi secretário nacional de Justiça de Lula. Tivesse um pouco mais de coerência, teria dito: “Não! De governo que conta com o apoio de Renan e que depende do PMDB, Pedrinho não participa”. Ocorre que o poder era importante para Pedrinho usar o seu bodoque contra seus adversários. Pedrinho acha que os petistas devem usar os “Renans” a serviço da causa e depois jogá-los fora, como bagaço. Ocorre que os Renans também não são idiotas, não é? Lamento! Eu tenho mais legitimidade para combater Renan do que esse cara. A razão é simples: não me beneficiei de um arco de poder de que Renan faz parte. Abramovay sim!

A petição contra Renan ganhou a adesão de 1,6 milhão de pessoas, é verdade. Não depende da vontade do sr. Pedro Abramovay. As pessoas estavam e estão de boa-fé. Ele está é faturando politicamente com a causa, isto sim! O que dependeu de sua vontade foi manter no ar uma petição cobrando a cassação do registro profissional de alguém — no caso, Silas Malafaia — e retirar do ar uma petição contrária a essa demanda. Vale dizer: no site desse cara, é permitido esmagar pessoas, mas é proibido defendê-las — a menos, claro, que tanto massacre como defesa coincidam com as vontades do Juiz Supremo: o próprio Abramovay.

Não há Renan deste mundo que me faça condescender com isso! Eu me opus e me oponho a Renan Calheiros porque, entre outras coisas e por óbvio, rejeito coisas ainda piores do que ele. E esse fascismo ilustrado de que se mostra partidário o sr. Abramovay é pior do que Renan.

Falei? Falei. O segredo de aborrecer é dizer tudo, como escreveu Voltaire. Vejam vocês: eu sou um papa-missa que cita Voltaire, radicalmente anticlerical. Eu estou preparado para viver num mundo em que as pessoas divergem de mim e para tentar vencer as suas teses (e não as pessoas) com argumentos, não com gritaria, pancadaria e censura.

A imprensa brasileira, coalhada de petismo bocó, agora deu para flertar com práticas que, no limite, a destroem. Eles podem até obter a vitória final, mas não será com a minha conivência. Vamos ver quanto tempo vai demorar para que Avaaz e congêneres comecem a fazer petições contra jornalistas e veículos de comunicação. Eu não gosto de fascistas. Eu chuto a bunda — a bunda moral (não agrido ninguém) — de fascistas.

Espero que Malafaia processe Abramovay, como anunciou, e que ganhe. O juiz que estiver encarregado de julgar a causa certamente levará em conta que ele próprio, juiz, pode ser objeto de uma petição na Avaaz se não fizer o que “a comunidade” do site exige. Ou por outra: o próprio juiz terá de considerar que permitir a demonização de alguém, sem direito de defesa, corresponde a ele próprio, juiz, anular-se e se entregar ao tribunal de Pedro Abramovay.
Há alguma falha lógica no que escrevo?

Tags: fascismo de esquerda, Renan Calheiros, Pedro AbramovayDelfim Netto, José Sarney, Avaaz, Silas Malafaia, Voltaire, Fascismo do PT, governo do PT, petições da Avaaz

Nenhum comentário: