sábado, 12 de maio de 2012

DIA DAS MÃES VERDADEIRAS 2012

"Não tenho uma experiência pessoal do que seja uma infância socialista: nunca andei no colo do Estado, não fui cuidado por técnicos nem apascentado por mocinhas de frivolidade pedante. Não conheço no meu tempo esse tom de voz convencional da falsa maternidade, essa meiguice eficiente que se ouve no rádio, durante o quarto de hora infantil, ou nas escolas municipais da nova pedagogia. A voz que eu ouvia era franca e forte, voz de mãe cheia de filhos que sabia distribuir os tapas necessários, cortar o pão, e providenciar os agasalhos (CORÇÃO, Gustavo. A descoberta do outro)"

Nenhum comentário: