sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

O PREÇO É ESTABELECIDO PELA RELAÇÃO ENTRE OFERTA E PROCURA E NÃO PELA RELAÇÃO ENTRE CUSTOS E LUCRO

A RELAÇÃO ENTRE O LUCRO, O PREÇO E O CUSTO É DADA PELA EQUAÇÃO : (lucro = PREÇO - custo). Ou seja: (y = K - x)

Schumpeter, no livro “Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico”, escreveu: “O lucro empresarial é um excedente sobre os custos”. Ou seja: o lucro é dependente dos custos, o preço é uma constante do mercado e não se pode dizer que o preço é dependente do lucro.

Sobre preço de mercado e preço de monopólio, Adam Smith, no livro “A riqueza das nações: uma investigação sobre sua natureza e suas causas” escreveu:

O preço de monopólio é em qualquer ocasião o mais alto que se possa conseguir. Ao contrário, o preço natural, ou seja, o preço da livre concorrência é o mais baixo que se possa aceitar, não em cada ocasião, mas durante qualquer período de tempo considerável e sucessivo. O primeiro é, em qualquer ocasião, o preço mais alto que se possa extorquir dos compradores, ou que supostamente eles consentirão em pagar. O segundo é o preço mais baixo que os vendedores comumente podem aceitar se quiserem continuar a manter seu negócio.

Schumpeter e Adam Smith escreveram sobre o mesmo assunto, mas um usou o termo custo e outro usou o termo preço. Um escreveu sobre lucro e empresário e o outro citou vendedores extorquindo compradores e vice-versa.

O fato curioso da história é que a Ciência Econômica prova que o preço de mercado em equilíbrio é igual ao custo mínimo (o mais baixo que se possa aceitar). Mais que isso, a ciência econômica prova que preço de mercado é igual ao custo marginal mínimo, sem lucro garantido.

Note bem: Em Economia de mercado equilibrado, o termo preço é a mesma coisa que custo, pois o lucro tende a zero. E o mercado no qual se insere a licitação pública é um mercado que deveria ser ideal. Se esse é o mercado da licitação que, além de equilibrado, é um mercado composto por indivíduos e empresas que se pautam pelos melhores princípios da convivência humana, então o preço é igual ao custo marginal mínimo e, nesse caso, não há lucro garantido e nem direito a receber por despesas e custos indiretos de produção.

Deve-se esclarecer que: Custo marginal é o custo incorrido somente e exclusivamente na unidade a mais fabricada. É aquele custo calculado para uma empresa já instalada que já produziu mil unidades e vai produzir mais uma unidade. O custo marginal é o custo exclusivo desta última unidade, sem considerar os investimentos anteriores. Só se considera o material e a mão-de-obra aplicada na última unidade para se calcular o preço de mercado.

O que se ressalta nessa relação entre preço, custo e lucro é que o preço não é uma variável. Ele é uma constante (fixo) e sinaliza ao empresário a possibilidade de lucro. Se o empresário produzir por custo menor que o preço, então terá lucro. Caso contrário, não deverá entrar no mercado.

Por último, conclui-se que a equação que representa a relação entre lucro, preço e custo é unívoca. Não se pode colocar o lucro como variável independente. A única variável independente é o custo. O preço é uma constante que não depende das outras duas variáveis. Logo, não se pode fazer a equação P = C + L porque o lucro não é variável independente.

A variável dependente denominada lucro deve estar sempre como variável dependente do custo e limitada ao preço constante fixado pelo mercado. O preço é estabelecido pela relação entre oferta e procura e não pela relação entre custos ou lucros.

Nenhum comentário: