sexta-feira, 9 de setembro de 2011

RECORDANDO A GUILHOTINA DA REVOLUÇÃO FRANCESA


Nos anos anteriores à Revolução Francesa, havia isenção de impostos para clero e nobres. Quem pagava as despesas do rei absolutista era a maioria do povo capitalista trabalhador. Sustentavam-se gastos de guerra e supérfluos do rei Luiz XVI. O rei Luiz XVI foi pressionado para aliviar impostos do povo e, por isso, convocou os privilegiados da nobreza e do clero a pagarem impostos a partir de então.

Querendo continuar isentados de impostos, os privilegiados pediram ajuda à burguesia contra o rei. Apareceram os grupos burgueses girondinos e jacobinos. Os girondinos lideraram o início da revolução francesa. A revolta foi iniciada com a criação das convenções revolucionárias. Na mesa da convenção revolucionária, os girondinos sentavam-se à direita e os jacobinos à esquerda.

A convenção da revolução decidiu pela execução de Luís XVI e o guilhotinou. Exibiram a cabeça cortada ao povo que assistia. A Convenção também tomava outras decisões como o reconhecimento da existência do ser supremo e da alma imortal. Todo cidadão da república devia ser virtuoso.

A ameaça externa e a contrarevolução camponesa ameaçavam acabar com a revolução. Os jacobinos reagiram e organizaram comitês visando controlar o governo e prosseguir a revolução a qualquer custo. Foi um período radical de revolução. Julgamentos sumários de opositores eram frequentes. A guilhotina inventada pelo médico deputado Joseph Ignace Guillotin era uma lâmina que caia sobre o pescoço do condenado e o cortava instanteamente. A morte era indolor e rápida.

A economia deteriorou-se rapidamente. Por conta da crise econômica, foi decretada uma mobilização geral com economia de guerra e racionamento. A lei da escassez sempre imperou na economia e os preços subiam por conta disso. A solução dos revolucionários foi perseguição de especuladores que aumentassem preços.

Marat, um dos líderes jacobinos da revolução, foi assassinado pela namorada. Danton o substituiu. Por ser considerado excessivamente moderado, Danton foi substituído por Robespierre e expulso do partido jacobino. Com Robespierre, o terror jacobino foi iniciado. Os direitos individuais foram suspensos e, diariamente, realizavam-se execuções públicas na presença da multidão que aplaudia. O resultado foi a condenação à morte pela guilhotina de 35 mil a 40 mil pessoas.

Girondinos que sobreviveram ao período de terror jacobino aliaram-se aos deputados centristas e articularam um golpe. Numa rápida manobra, derrubaram Robespierre e seus partidários. Robespierre apelou para que as massas populares saíssem em sua defesa. Mas não havia mais mobilizadores jacobinos nas massas. Robespierre e os dirigentes jacobinos foram guilhotinados sumariamente. A pequena burguesia jacobina acabou e voltou a grande burguesia girondina ao poder. O cidadão burguês ou capitalista tomou conta do estado pela primeira vez na história.

A lei do preço máximo (congelamento da economia) inventada pelos jacobinos foi anulada. Também foram extintas prisões arbitrárias e julgamentos sumários. Uma nova constituição conservadora foi elaborada. Suprimiram-se o sufrágio universal e a convenção revolucionária. Clero e nobreza foram substituidos no poder pela burguesia capitalista. Em poucos anos, Napoleão Bonaparte tomou o poder e consolidou a revolução burguesa capitalista que passara por alguns momentos de ditadura socialista (jacobinos).
Fonte do texto: Enciclopédia Wikipédia

Nenhum comentário: