sábado, 30 de julho de 2011

SOBRE O ESTADO ORGANIZADO PELO HOMEM CAPITALISTA


O homem capitalista organizou um estado para dirimir conflitos de propriedade. Logicamente que todo estado organizado pelo homem é capitalista. Até o estado cubano é capitalista. No entanto, o ditador cubano implantou o capitalismo de um homem só. Tudo é do dono do estado e todo cidadão trabalha para o estado. Ninguém tem nada e o estado deveria ter tudo.

Porém, em Cuba só quem tem vontade de trabalhar é o único dono. O cidadão perdeu o ânimo de trabalhar porque nada lhe retorna como propriedade. O resultado é o empobrecimento do povo e desaparecimento da democracia.

Na Venezuela, Chavez trabalha cada vez mais porque mais coisas lhe pertencem. O cidadão trabalha cada vez menos porque menos coisas lhe pertencem. O resultado do socialismo bolivariano é o empobrecimento da Venezuela e o desaparecimento da democracia.

No Brasil, aqueles que se dizem socialistas querem implantar o estado socialista a qualquer custo. As coisas do estado são usadas para comprar votos. Nada do estado é do cidadão. Tudo do estado é do PT. A fase atual é a de eliminar aliados da eleição de 2010. O PT usa órgãos públicos para apontar corrupção dos políticos dos partidos aliados de véspera.

Os proprietários de imprensa, os parceiros da eleição e aqueles que se venderam porque não poderiam vencer o maior dos proprietários da coisa pública são os primeiros a perceber a ausência da democracia.

O país americano está perto do estado ideal. Mesmo lá ainda há dirigente enganado pela doutrina socialista. Pensa em enriquecer o estado ao invés do cidadão. Usa recursos públicos como se fosse dono deles. Mas o recurso público, assim como o agente público, deveria estar sempre colocado à disposição somente do cidadão capitalista.

Como nada é perfeito, até mesmo nos Estados Unidos, há políticos usando recurso público em troca de voto. É uma prática típica de homem capitalista, mas com viés socialista, como é o caso do Obama.

A foto inicial é de Madrid, Capital da Espanha. Esse país europeu está em crise socialista depois de muitos anos de administração que se diz socialista. Como consequência, o estado endividou-se para pagar benefícios a quem não trabalha e o povo deixou de trabalhar porque a riqueza construída não era para si próprio. Até empregados de hotel se consideram funcionários públicos. O atendimento é péssimo. Na verdade, a crise espanhola não é capitalista e sim do modelo socialista. Não há como aumentar a intervenção do estado para minorar a crise. A solução é diminuir o estado e isso é uma crise socialista.
NAVARRO

Nenhum comentário: