segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O FUTURO DO ESTADO BRASILEIRO É TRISTE PORQUE SERÁ SEM LIBERDADE.

O homem sempre capitalista (e conservador) organizou um estado para dirimir conflitos de propriedade. Logicamente que todo estado organizado pelo homem é capitalista. Até o estado cubano é capitalista. No entanto, o ditador cubano implantou o capitalismo de um homem só. Tudo é do dono do estado e todo cidadão trabalha para o estado. O ditador cubano conserva tudo para ele com muita força.

Há aqueles que pensam que há meio termo. Dizem que no socialismo o cidadão ainda é dono de alguma coisa. Ledo engano, haja vista que se a propriedade não é protegida pelo estado, então não se é dono de nada. Tudo é do dono do estado. Os donos de canais de televisão na Venezuela não são donos de mais nada. Trabalharam sim pensando que seria deles, mas perderam tudo para o único dono da Venezuela.

Porém, se todos trabalham para o estado, então só tem vontade de trabalhar quem é o único dono, haja vista que ninguém quer trabalhar a não ser para consumir ou amealhar algum bem. Em Cuba, o cidadão comum perdeu o ânimo de trabalhar porque nada lhe retorna como propriedade. O resultado é o empobrecimento do povo e desaparecimento da democracia.

Na Venezuela, Chavez trabalha cada vez mais porque mais coisas lhe pertencem. O cidadão comum trabalha cada vez menos porque menos coisas lhe pertencem. O resultado do socialismo bolivariano é o empobrecimento da Venezuela e o desaparecimento da democracia.

No Brasil, aqueles que se dizem socialistas querem implantar o estado socialista a qualquer custo. As coisas do estado são usadas para comprar votos. Nada do estado é do cidadão. Tudo do estado é do candidato oficial. O uso de dinheiro público para sustentar campanhas dos detentores do poder é um absurdo.

O resultado já é visto nesta campanha de 2010. Vencerá a eleição quem mais tiver acesso a dinheiro público. Em 2011 virá o preço a ser pago pelos cidadãos sempre capitalistas. Pagaremos o preço de sustentar um estado maior e mais ineficiente. Chegaremos a sustentar um estado que se apropriará de até 50% da renda gerada para não fazer nada.

De cada cem reais produzidos, o gigante parasita chamado governo consumirá cinqüenta. Como resultado, o trabalhador privado perderá o estímulo de trabalhar e a crise socialista mostrará a cara. A crise será socialista sim. E não haverá salvação pelo estado porque ele não poderá garantir a si mesmo.

Além disso, o político socialista que vencer a eleição começará a fase de eliminar outros cidadãos proprietários. Mentirá dizendo que o culpado da crise são os proprietários capitalistas. Os proprietários de imprensa, os parceiros da eleição e aqueles que se venderam porque não poderiam vencer o maior dono da coisa pública serão os primeiros a perceber a ausência da democracia.

Estou pessimista porque PT, PSOL, PCB, PCdoB, PV, PDT, PSDB e até PMDB e PP são partidos socialistas. Não há salvação. Não há lado a escolher. Nenhum é conservador. Nenhum preza a liberdade. Os políticos conservadores estão longe de se elegerem comandantes do estado que inventamos para defender nossa liberdade, dirimir nossos conflitos e, principalmente, para conservar nossas coisas e nossa vida cristã. O futuro parece próximo do inferno ou do juízo final.

Tags: conservadorismo, capitalismo, partidos políticos, crise socialista, liberdade, governo do PT, estatismo, socialismo, concessão de televisão, futuro do estado, Brasil, esquerdismo

Nenhum comentário: