sábado, 21 de agosto de 2010

PERMANÊNCIA NOS CARGOS COMISSIONADOS POR DÉCADAS É MOTIVO DE CRESCIMENTO DO ESTADO


Foto Setor Bancário Sul – Brasília – Junho 2010

Lew Roockwell descreveu o processo de crescimento do estado por intermédios da permanência nos cargos comissionados como uma desvirtuação na democracia que deveria impedir reeleição tanto de políticos quanto de recondução de agentes públicos.

Segundo ele, liberais clássicos, como Thomas Jefferson, queriam que todo o aparato do governo fosse demitido de seus cargos após cada eleição, para impedir que alguns indivíduos se entrincheirassem perpetuamente na máquina.

Contudo - e apesar de a democracia ter a idéia da renovação -, a maioria dos funcionários estatais se torna permanente, assim como os próprios políticos que são constantemente reeleitos.

Os chefes das repartições públicas ficam nos cargos por trinta anos ou mais. Não sabem fazer outra coisa e têm medo de serem humilhados após deixarem o cargo. Para evitar isso, fazem negociatas com os políticos que indicam os ocupantes dos cargos e ficam ali até se aposentarem.

Os auxiliares dos deputados também se tornaram perenes, sendo que as contratações não param de subir. Agarram-se ao emprego porque recebem bem e, no caso de o deputado virar executivo, ainda podem ocupar eventual cargo comissionado.

Todo chefe do executivo assume com compromisso de aumentar a máquina pública para atender alguma necessidade inventada. Por isso, criam novos departamentos para dar emprego aos auxiliares de campanha. O resultado é um estado paquiderme enorme, lento, ineficiente e sem recursos para atender às verdadeiras necessidades do povo.

Com isso, os trabalhadores do setor privado precisam trabalhar cada vez mais para sustentar toda essa mamata. Trabalham muito e recebem pouco e os burocratas trabalham pouco e recebem muito.

Como Jefferson temia, criou-se uma classe que melhora de vida à medida que rouba a todos nós. E o estado cada vez aumenta mais. Qual é o limite? O limite depende do nosso voto. Não votem em políticos que defendem aumento da máquina pública.

Tags: funcionário permanente, cargo comissionado, necessidade inventada, aumento da máquina pública

Nenhum comentário: