quinta-feira, 12 de agosto de 2010

IGUALDADE X LIBERDADE – NENHUMA LUTA PELA IGUALDADE VALE A PERDA DA LIBERDADE.


O Blog do Mister X publicou, em 27 de dezembro de 2007, o seguinte texto sobre liberdade versus igualdade:

De acordo com o filósofo Isaiah Berlin, a humanidade tem desejos incompatíveis. Por exemplo, queremos liberdade e igualdade, mas são ideais contraditórios: não é possível impor a igualdade social sem certa dose de autoritarismo, mas, ao mesmo tempo, nas palavras do próprio Berlin, "a liberdade dos lobos é a morte das ovelhas". Entre a liberdade e a igualdade, prefiro a liberdade mil vezes. As supostas "igualdades" obtidas na ilha de Fidel não valem nada se não se tem a liberdade de expressão ou de movimento.
Porém, a liberdade não tem também suas armadilhas?



O debate liberdade versus igualdade é antigo. Porém quero introduzir um novo conceito no meio destes dois termos. Trata-se do conceito de homem capitalista. Ou se os leitores preferirem, adiciono os conceitos de valores da vida e da propriedade para explicar minha posição entre liberdade e igualdade.

O homem capitalista nasceu com vida e com liberdade para ter propriedades e sempre se diferenciou entre si. Vida e liberdade são direitos naturais que nasceram junto com o homem capitalista, mas a igualdade nunca foi um direito natural porque os homens sempre foram e sempre serão diferentes.

Viver não é cair em armadilhas, mas sim errar e ser perdoado. A morte não é uma armadilha, pois também é um direito natural. Sem a morte, a vida não tem sentido. Socialistas defendem que o homem nunca morra. O conceito de igualdade veio apenas para garantir a liberdade e não para eliminá-la como desejam os socialistas que não prezam nem a liberdade, nem a democracia e nem a vida.

A igualdade tem armadilhas. Uma delas é prisão de todo o povo cubano numa ilha e outra é perda de liberdade do povo venezuelano em nome da igualdade chavista. A liberdade dos lobos é a morte das ovelhas, assim como a liberdade do Chavez ou do Fidel é a morte do povo aprisionado.

Isso significa que não é a liberdade que tem armadilhas. As armadilhas contra as ovelhas não foram armadas pelo lobo, mas as armadilhas contra povos cubanos e venezuelanos foram armadas pela igualdade. O sistema socialista cria lobos que consomem vidas humanas.

A liberdade não tem armadilhas. O Chavez não cairá em armadilhas porque ele é livre e apenas morrerá. Não se pode dizer que a pena imposta ao homicida é uma armadilha porque ela resulta apenas da aplicação de justiça entre homens que têm direitos iguais, mas que continuam sempre diferentes. Nos estados capitalistas, o criminoso recupera a liberdade depois de cumprida a pena.

Mas a recuperação da liberdade não ocorre com aqueles que a cedem para os socialistas. Morrerão sem tê-la de volta. O único poderoso homem capitalista cubano ou venezuelano será substituído por um filho ou um neto que sempre serão carcereiros daqueles que perderam a liberdade em nome da igualdade. Uma vez perdida a liberdade perde-se também a vida.

Portanto, o homem nasceu capitalista e assim sempre será. Até mesmo quando preso nas masmorras socialistas nunca perderá o desejo de propriedades e nunca será igual. O estado socialista é um sistema igualitário inventado contra o homem livre e o estado capitalista jamais será um sistema porque não passa de um reflexo do homem capitalista como ele é.

Jamais perca sua liberdade em nome da igualdade porque nenhuma luta pela igualdade vale a perda da liberdade. Tenha propriedades que possam garantir sua liberdade e sua vida. Não se deixe iludir pelas promessas socialistas. Vale a pena lutar contra a igualdade imposta pelos socialistas porque senão perderemos nossa liberdade e nossa vida.

Vale a pena lembrar que Cristo nunca foi socialista e que a pregação da igualdade em nome dele é uma mentira que nos aprisiona. Cristo nos aceitou com nossos defeitos de homem capitalista. Nunca nos considerou iguais e sempre defendeu o livre arbítrio.

Tags: liberdadeigualdadesocialismocapitalismoCristolivre arbítriopropriedade

Nenhum comentário: