sábado, 17 de abril de 2010

KEYNES E A INTERVENÇÃO DO ESTADO NA ECONOMIA


Em 1936, o economista John Maynard Keynes publicou o livro “Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda”. Ele teorizou como seria a intervenção do estado na Economia.

Segundo Keynes, o estado deveria interferir na economia para minorar crises capitalistas ou desequilíbrios do mercado. Ele reformulava a economia smithiana e admitia a intervenção do governo para regular o mercado e promover o desenvolvimento.

Entre a primeira e a segunda guerra mundial do Século XX, o desequilíbrio de mercado estava do lado da oferta, pois o mercado apresentava oferta maior que a demanda. Isto é, as empresas produziam mais que a sociedade demandava. Era um reflexo do estado mínimo estimulador do empreendedorismo e do trabalho produtivo.

A grande crise de excesso de oferta (1929) provocou reações nos governos para resolver o problema. O governo nazista construía muitas estradas; o governo americano intervinha no mercado por intermédio do New Deal e o governo brasileiro comprava e queimava café. Mirando-se nos exemplos, Keynes disse que seria bom o governo abrir e fechar valas, desde que produzisse emprego. Isso resolveria o problema da falta de demanda.

Quanto ao preço, Keynes teorizou que deveria continuar variando segundo as leis da oferta e da procura e da Lei do Custo de Produção. No entanto, ressaltou, o governo deveria interferir no mercado com obras e serviços públicos para distribuir dinheiro no mercado e eliminar os desequilíbrios do sistema capitalista.

No entanto, como o trabalho do governo é improdutivo, a inflação passou a ser o principal problema dos estados intervencionistas na produção. Depois de Keynes, os poderosos que controlavam a estrutura do estado não largaram mais a mania de intervir no mercado por qualquer motivo. Doação de dinheiro para os mais pobres ou para salvar empresas da falência motivavam a imediata intervenção do estado.

No entanto, a intervenção proposta por Keynes era diferente da promovida com o intuito de distribuir renda ou de aumentar o tamanho do estado, pois o que se queria era retirar a economia da crise.

Hoje em dia, os estados interventores alegam problemas de distribuição de renda e de injustiças sociais para se tornarem cada vez mais socialistas ou maiores. É uma mentira porque ensinam que não se precisa trabalhar para comer o pão de cada dia. Nesse início do Século XXI, a sociedade do homem capitalista sofre as agruras e os horrores do estado totalitários (máximos) da primeira metade do Século XX.

Tags: Keynes, Teoria Geral do Emprego, intervenção do estado, crise de 1929/1930, New Deal, estado improdutivo, estado inflacionário, inflação

3 comentários:

Anônimo disse...

Hi, i think that i noticed you visited my website so i got here to return the prefer?
.I'm attempting to to find things to improve my site!I guess its ok to use a few of your ideas!!
My page - http://www.crystalsspot.com/Alina0J

Anônimo disse...

This post will assist the internet viewers for creating new
website or even a weblog from start to end.
Have a look at my page : diablo 3 guide

Anônimo disse...

This is the perfect website for anyone who wishes to understand this topic.
You understand a whole lot its almost hard to argue with you (not that I personally will need to…HaHa).

You certainly put a new spin on a subject that has been written about for ages.
Wonderful stuff, just wonderful!
My web site > How To Get Rid Of Acne Fast And Easy