sábado, 6 de março de 2010

O HOMEM CAPITALISTA, O BDI E O MEIO AMBIENTE.


O homem socialista não existe, mas o comportamento do homem capitalista em relação ao meio ambiente é de destruição total. O homem capitalista é consumista e materialista. Quanto mais consome mais se considera rico. Quanto mais possui mais feliz se acha.

Não há como mudar esse comportamento, mas há maneiras de se preservar meio ambiente equilibrado e autosustentável. Uma das maneiras seria a criação de um imposto ambiental. Quem extrair algo diretamente da natureza deve indenizar toda a sociedade para que essa tome providências em nome da defesa do meio ambiente desejável.

A Administração Pública do Brasil obriga que empresários façam propostas acrescentando BDI (bonificações e despesas indiretas) ao custo direto (que é o preço de mercado). Acrescentam-se lucro, impostos diretos a serem devolvidos ao empresário, seguros e outros custos indiretos que são incorridos por qualquer homem capitalista que queira vender trabalho ou algum produto material.

O BDI da obra (que é um superfaturamento de monopólios) tornou-se obrigatório por algum descuido ambiental (desculpe: burocrático). São descuidos ocorridos por conta de se dar importância à preservação do lucro de grandes empresas em detrimento da concorrência cruel do mercado. Esclareço que a concorrência é cruel contra o empresário, mas é a favor da sociedade consumista.

Por outro lado, a concorrência abaixa o custo direto (o preço) em detrimento de extração de matéria prima de nosso planeta. O capitalismo cada vez mais depreda a natureza, faz buracos, destroi florestas e mata seres humanos. Se o deixarmos livre para correr conforme sua natureza nada sobrará nesse planeta a não ser lixo e ausência de vida vegetal ou animal.

No entanto, a Administração não se preocupa com o custo ambiental em termos daquilo que o empresário extrai da natureza para baixar custos. Só há preocupação de garantir lucro e devolução de impostos ao empresário, quando se deveria taxar o empresário por ele estar extraindo recursos do meio ambiente. Essa taxa deveria ser criada em nome de um imposto ambiental (BDI ambiental).

Seria um imposto direto sobre o empresário que lucra com execução de obras públicas em nome da preservação do meio ambiente e para amealhar recursos em defesa do nosso planeta. Pergunto: Você considera que esse imposto direto (BDI ambiental) que seria criado para o empresário pagar por conta da obra contratada deveria ser devolvido no BDI (superfaturamento) da obra? Faça um comentário sobre isso.

Tags: homem capitalista, BDI, meio ambiente, custo direto, custo ambiental, depredação da natureza, direito de propriedade

Nenhum comentário: