sábado, 6 de março de 2010

NÓS, OS BRASILEIROS, NA LUA?


A fotografia foi tirada no Morro do Funil, Pouso Redondo, Santa Catarina
Meu filho perguntou-me se um dia poderia ir à lua em nave brasileira. Respondi-lhe que não porque o Brasil nunca teria dinheiro para gastar em programas espaciais.

Inconformado, ele perguntou se poderia ir à lua em nave americana. A resposta foi negativa novamente porque só americanos viajam naquelas naves. Ele pediu-me para ser Presidente da República e administrar um programa espacial que tivesse como objetivo chegar à lua.

Pergunto ao leitor se algum candidato a Presidente seria eleito se tivesse tal objetivo? Não vou dar a minha resposta porque o futuro é tão imprevisível que não me atrevo a dizer se alguém com tal promessa seria eleito.

No entanto, sei que é possível chegar à lua porque em 1969 americanos foram ao ícone dos enamorados. Conseguiram a proeza porque juntaram trabalho e recursos materiais num programa eficiente e bem planejado de nove anos (1961-1969).

José Renato Salatiel (jornalista e professor universitário) escreveu em “Lua 40 anos -Atualidades UOL Educação” que o custo daquela aventura foi de US$ 25,4 bilhões da época (US$ 100 bilhões atuais ou R$ 195 bilhões).

Percebe-se há até R$ 100 bilhões de obras por ano no orçamento da União. Aqueles que acompanham o preço das obras públicas sabem que o preço com BDI (superfaturamento) representa R$ 40 bilhões de prejuízos no total de R$ 100 bilhões que a União gasta por ano. Isso significa que o total superfaturado no Brasil dá para pagar dois programas espaciais de chegar à lua em nove anos e que a corrupção e a compra de votos destroem nossos sonhos.

Nesse caso, um honesto candidato vencedor poderia realizar o sonho de meu filho e de muitos outros vossos sonhos somente com eficiência e probidade no manuseio do dinheiro público.

Somos otimistas. Acreditamos no homem capitalista. Um dia chegaremos lá.

Tags: viagem espacial, Morro do Funil, SolLua, homem capitalista, corrupção, custo de viagem espacial

Nenhum comentário: