terça-feira, 30 de março de 2010

A EDUCAÇÃO DA ESCOLA PRIVADA ENSINA PROFISSÃO E TRABALHO. A ESCOLA PÚBLICA ENSINA SOCIALISMO E ÓCIO.


A educação no Brasil pode ser pública ou privada. Deveriam ser quase iguais, mas são completamente diferentes. Os professores de escolas privadas ensinam profissões cuja mão de obra é demandada no mercado. Os professores públicos ensinam ideologias que não são aproveitadas no trabalho construtivo.

As greves são freqüentes nas públicas e inexistentes nas particulares. As lideranças sindicais têm fins corporativistas e políticos. O movimento grevista público visa eleições e domínio da máquina pública. Se o governo é sindicalista, as greves são poucas porque os líderes sindicais estão no governo. Mas se o governo não veio dos movimentos socialistas, então as greves são tantas que não há aulas.

Professores socialistas dizem que têm a tarefa extenuante de inocular na cabeça da criança cinco mil anos de cultura ocidental, mas só ensinam socialismo, ócio e ódio de classes sociais. Dizem que as classes conservadoras são egoístas (como se eles não fossem) e que a educação é uma guerra contra a ignorância dos homens capitalistas. Dizem que o professor socialista ama o aluno, mas que não é mole enfrentar pestinhas. Na verdade, não é um professor, mas é um aproveitador do ócio permitido pelo estado grande, balhofo, ineficiente e socialista porque absorve quarenta por cento da produção do bom homem capitalista. É um alto percentual do trabalho produtivo surrupiado pelo estado “socialista” que engorda professores socialistas descomprometidos com o cidadão e subservientes ao ditador socialista.

O professor socialista desconhece técnicas de ensino porque não lhe interessa ensinar profissão ou o valor do trabalho. A vítima desse ensino claudicante é o contribuinte. É o jovem estudante que fica sem a profissão necessária para obter emprego.

Nivaldo Cordeiro (www.nivaldocordeiro.net) propõe privatização total das escolas públicas, leilão dos prédios escolares e doação de bolsas para alunos carentes nas escolas privadas. Os bons professores seriam aproveitados pelo mercado e os maus que se arranjem na militância socialista. Chega de pagar salários para professores arruaceiros que queimam livros conforme foto do blogue do Reinaldo de Azevedo (www.veja.abril.com.br/blog/reinaldo/).

Tags: escola pública, escola privada, queima de livros, movimentos socialistas, estado ineficiente, greves, professores, ditador socialista

Nenhum comentário: