domingo, 6 de janeiro de 2019

HORÁRIO DE VERÃO: é medida adotada por governos com tendências totalitárias

A primeira vez que o horário de verão foi adotado foi em 30 de abril de 1916 pela Alemanha. Era uma medida de apoio ao esforço de guerra alemão contra a França e a Inglaterra. Em seguida, o império austro-húngaro, aliado da Alemanha, aderiu à ideia, coisa que foi seguida pela França e Inglaterra. Isto é, os quatro primeiro estados que adotaram essa ideia eram totalitários, haja vista que estados em guerra têm um único líder que visa a centralizar esforços bélicos. No Brasil, o horário de verão foi imposto pela primeira vez pelo ditador Getúlio Vargas, em 1931, bem como pelo governo militar na crise de energia de 1970. Porém, as desvantagens são muito maiores que as vantagens, principalmente em períodos não bélicos, 

Pretensas vantagens (ao estado):
  • 1)Economia de energia no horário de pico (quem economiza é o estado); 
  • 2)Os sistemas interligados podem compensar energias entre si de maneira a economizar energia no global e manterem-se mais estáveis com menor potência instalada (o estado ou a empresa monopolista obtém vantagem na administração do sistema); 
  • 3)Aqueles que forem obrigados a levantar mais cedo têm a vantagem de desfrutar de uma hora a mais de lazer ainda com luz do sol (o estado diz que proporcionou mais lazer ao seu cidadão (escravo)); 
  • 4)Preservação do nível das hidrelétricas, bem como por medida de economia para o Brasil que, se em termos proporcionais não é muito, em números absolutos é bastante elevado, totalizando centenas de milhões de reais em economia (Mentira: Se assim fosse não teríamos as crises de energia depois que os horários de verão foram impostos) 
Desvantagens (São desvantagens reais ao cidadão): 
  • 1)Problemas de adaptação para o entretenimento do entardecer e para as atividades que não podem ter seu horário solar alterados, como a agricultura, por exemplo; 
  • 2)Existem muitas reclamações quanto ao horário de verão. Muitos possuem dificuldade em se adaptar a ter que dormir e acordar mais cedo, outros têm que acordar de madrugada para trabalhar, quando ainda é escuro. Isso produz insônia, sonolência durante o dia, cansaço e até mesmo falta de apetite; 
  • 3)O chamado relógio biológico das pessoas, principalmente das mais velhas, é afetado com prejuízos à saúde. O corpo humano precisa de duas semanas para se adaptar a essas alterações de rotina horária. Os infartos aumentam de 5% a 8,5% segundo alguns estudos acadêmicos; 
  • 4)Problemas de uso de aparelho de refrigeração que têm seus padrões de uso alterados e eficiência prejudicada, bem como faturamento de viagens atrapalhados por problemas de cronometragem. A falta de sincronização de dispositivos eletrônicos ou de sistemas informatizados pode facilitar a atividade dos “cibercriminosos”, bem como provocar problemas de interrupção de sistemas programados para não trabalharem vinte e quatro horas por dia. E isso tudo ocorre duas vezes por ano. 
Na verdade, os elogios dados à prática do horário de verão vêm da imprensa áulica ou dos bajuladores governamentais típicos das ditaduras ou daqueles socialistas que sempre pensam no estado antes do cidadão. As críticas não são muitas por que o povo nunca afronta governos por pouca coisa.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Veja quais os problemas da política brasileira. Assista à entrevista de Olavo de Carvalho.

A ENTREVISTA DO ANO: OLAVO DE CARVALHO NO PROGRAMA "PINGO NOS IS" DÁ UM SHOW. IMPERDÍVEL!
O vídeo que ilustra esta postagem é a gravação completa da entrevista concedida pelo filósofo, jornalista e escritor Olavo de Carvalho ao programa Pingo nos Is, da rádio Jovem Pan. Poderia ter passado batido sem publicar esta postagem se não fosse a minha querida irmã Maria da Graça, que embora não seja profissional da área, já que é pedagoga, tem um feeling super afiado. Dificilmente passa batida e me visou. 

Entrevistam Olavo de Carvalho os jornalistas Felipe Moura Brasil, da nova safra e os veteranos Augusto Nunes e José Maria Trindade. O time é da pesada, um ponto fora da curva em se tratando da grande mídia.

A entrevista tem 1 hora de duração mas é imperdível. Recomendo muito que vejam. Tanto os entrevistadores como o entrevistado Olavo de Carvalho estavam super inspirados. O resultado dessa feliz coincidência resulta numa das melhores entrevistas de Olavo de Carvalho que pode também ser qualificada como uma aula sobre política nos níveis nacional e internacional.

Tanto é que a dica da minha irmã derrubou a pauta que vinha trabalhando agora à noite. No entanto, também será uma excelente postagem e o assunto é o fenômeno migratório.

Fiquem atentos e o blog pode ser seguido também pelas chamadas que edito na minha página do Facebook e também no Twitter eGab, a mais recente rede social. Embora ainda com sua interface em inglês, Gab já tem uma seção "Gab Brasil" A proposta dessa rede social é garantir a liberdade de expressão e não perseguir usuários e jornalistas conservadores como faz a concorrência.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

sábado, 15 de dezembro de 2018

LIÇÕES INESPERADAS DA CHINA. A economia chinesa não é forte.

 Escrito por Péricles Capanema e publicado na ABIM.
Bret Stephens [foto], reputado colunista, em 29 de novembro escreveu no “New York Times”, a China declinará rapidamente, como aconteceu com o Brasil. O jornalista lembrou, em 2009 o “The Economist” previu um novo poder global, o Brasil, que logo estaria na quinta posição econômica do mundo, ultrapassando Reino Unido e França. E São Paulo seria a quinta cidade mais rica do mundo. Foram palavras vazias do semanário inglês; hoje o Brasil patina para sair do que talvez seja a pior recessão de sua história.

Vai suceder parecido com a China, avisa Stephens. E faz uma boutade, tendo como pano de fundo o conhecido adágio “Quos vult Jupiter perdere, prius dementat” (Júpiter, a quem quer perder, antes enlouquece). Na versão de Stephens: “Os deuses, quando querem destruir um país, enaltecem-no antes como país do futuro”. Recorda, foi assim com União Soviética nas décadas de 50 e 60, Japão nos anos 70 e 80, União Europeia nos anos 90 e na primeira década do século 21.

Bret Stephens alinha razões para o declínio chinês. A primeira delas, a liberalização econômica é insuficiente, o controle estatal é enorme. Isso nunca dá certo. Segunda, realidade largamente oculta, existem milhões de trabalhadores forçados (escravos, em outra linguagem). O articulista recorda como sintoma gritante mensagem desesperada encontrada em bolsa vendida pela Walmart, confeccionada numa prisão de Yingsham no sul da China: ali os detentos padecem 14 horas diárias de trabalho, entremeadas de surras. Depois de afirmar que tiranias não favorecem o progresso econômico (lembra que em 2020 o controle estatal chinês será minucioso), o jornalista norte-americano empilha outros dados que fundamentam sua previsão de declínio chinês.

Em 2014, estimativa do grupo suíço UBS, fuga de capitais de 324 bilhões de dólares. 2015, 676 bilhões. 2016, 725 bilhões. O que é isso? Medo do futuro. Mais, a dívida pública e privada é gigantesca: 34 trilhões de dólares. Outros sintomas: 46% dos chineses ricos querem emigrar, a maioria para os Estados Unidos. Mais uma vez, insegurança quanto ao futuro. Finalmente, põe em dúvida a credibilidade de estatísticas chinesas, ninguém conhece ao certo o que acontece lá. Termina prognosticando, a China é tigre ferido. E poucas vezes um tigre ferido é plácido.
O ataque ao modelo chinês veio de jornalista Prêmio Pulitzer (2013), antes colunista do “Wall Street Journal”, agora no “New York Times”. O governo chinês julgou necessária resposta contundente. Escalou para o contra-ataque Ding Gang [foto ao lado], articulista do “Diário do Povo”, jornal oficial do Partido Comunista chinês, o que ele fez, publicando crítica ácida no “Global Times”.

Interessam-nos especialmente as razões da diferença entre o Brasil e a China, destacadas pelo chinês. Fala de cátedra: “Trabalhei na Europa, Estados Unidos, Ásia e América do Sul por quase vinte anos. Morei no Brasil por três anos e sei bem por que a economia brasileira se enfraqueceu”.

Segundo o virtual porta-voz do PCC, a razão principal é o sistema de crenças diferente dos dois países. Ao explicar, esmiuçar os motivos, falará em cultura e tradição. De modo diverso, costumes baseados em princípios. Nada mais tradicional enquanto análise, passa longe do marxismo, mas foi a única justificação plausível encontrada por ele para fazer frente ao bombardeio de Stephens.

Afirma o membro do PCC: “Talvez os brasileiros e o autor [Stephens] acreditem no mesmo deus [em minúscula no texto], mas este não é, de forma alguma, aquele deus em quem os chineses creem. O deus mencionado por Stephens não é funcional para a China, nem existe no sistema de crenças do povo chinês”.

Entra na análise: “Por que o Brasil nunca teve um sistema manufatureiro forte e sofisticado? Mais, por que decaiu e caminha no rumo oposto?”. Isto é, aos poucos deixa de ser país industrializado e volta a ser fornecedor de matéria-prima. Responde: “Não é questão de economia ou de instituições, é de cultura”.

Trombeteia: “Os brasileiros não são aplicados nem trabalham duro como os chineses. E nem poupam para a geração seguinte, como os chineses. Apesar disso, querem para si os mesmos benefícios sociais existentes em países desenvolvidos”.

Melhorando, a educação chinesa tradicional forma pais preocupados com o futuro dos filhos, gerações habituadas ao trabalho, que não se agarram ao Estado. A educação brasileira moldaria pessoas preguiçosas, que almejam viver de benesses estatais, torna os pais irresponsáveis.

Ding Gang então alardeia: “A cultura dominante no Brasil faz o país inadequado para a economia manufatureira. Sem industrialização, é impossível o desenvolvimento sustentável. Por isso, o Brasil depende de matérias-primas e commodities”. E pontifica sobre o motivo principal para a pobreza do Brasil: “é a tradição cultural do país”. Para ele, Bret Stephens esqueceu dois pontos em seu olhar sobre a China: cultura e tradição. E são os aspectos principais no raciocínio econômico. O desenvolvimento chinês tem como base a tradição cultural chinesa e estimulará o desenvolvimento das potencialidades do país.

Para que o país se industrialize, resume Ding Gang, a cultura é o fator mais importante. “Isto inclui como o povo considera o trabalho, a situação da família, a educação das crianças e a acumulação da riqueza”. Família, educação infantil, formação de patrimônio. O que trará, com o tempo, garante ele ainda “felicidade familiar e pessoal”. De passagem, reconhece o óbvio, mas não se importa: “Pode parecer racista diferenciar tipos de desenvolvimento com base na cultura”.

Vida morigerada, hábitos de poupança, responsabilidade familiar, educação infantil séria. Em suma, sanidade da família, cadinho da cultura nacional, o grande fator de progresso de um povo. Para Ding Gang, a China não fracassará porque a tem. E o Brasil já fracassou, porque não a tem ou tem pouco. Se Ding Gang atormentasse o leitor com embaralhados argumentos marxistas, todo mundo ia achar que era apenas mais uma saraivada de disparates. Fundamentou sua defesa em terreno diverso, o que é muito revelador. De passagem, se um conservador brasileiro escrevesse sobre o mesmo assunto um décimo do que o comunista chinês apregoou, receberia pedradas de todos os lados. Como é comunista chinês quem escreveu, garanto já de saída, todos vão se calar.

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

CHINA: A realidade macabra de uma sociedade totalitária ao estilo 1984 de George Orwell

BBB, realidade macabra, nenhum show
Escrito por Péricles Capanema e publicado na ABIM em 22/11/2018.

O BBB (Big Brother Brasil) é um programa de televisão que mostra cenas da vida real de participantes confinados por certo tempo. É um reality show. A expressão Big Brother tem origem no romance 1984 de George Orwell. O Big Brother (Grande Irmão ou Irmão Mais Velho) é o ditador que vigia o povo 24 horas por dia num estado mítico Oceania. O idioma oficial era a newspeak (fala nova) em que o expresso queria dizer exatamente o oposto. No livro, Orwell prevê o totalitarismo sombrio que ameaçava o mundo. Não vou tratar do BBB, programa da televisão.

Orwell foi visionário, acertou. Vou comentar um totalitarismo moderno. Na China comunista, especialmente mediante a ação da ZTE, estatal de telecomunicações, vem sendo implantado celeremente o programa intitulado oficialmente (e eufemisticamente) “construção de um sistema de crédito social”. Em 14 de junho de 2014 o Conselho de Estado determinou medidas que o tornaria inteiramente efetivo em 2020. Trata-se de vigilância intensa. O país já tem 200 milhões de câmeras ligadas a programas para interconectar dados. Terá 600 milhões em 18 meses. E informações de todos os lados alimentam os computadores dos órgãos de segurança do regime comunista.
O que é o crédito social? É um sistema de pontos (créditos), já largamente empregado na China (chegará a um primeiro nível de perfeição em 2020). Recolhe dados continuamente sobre cada chinês: locais onde está, renda, tempo que passa jogando games, fumante ou não, alcoólatra ou não, multas de trânsito, velocidade do carro, rotas, atraso em pagamento de prestações, desfalques, fraudes nos negócios, frequência em igrejas, se o vigiado (todos) ou parentes dele manifestaram opinião contrária à linha do Partido em comentários de sites, tanta coisa mais. E pontua a seguir. A exata metodologia de coleta e avaliação é secreta (chamada por alguns de sistema de pontuação psicométrica), mas todos sabem, com base em bilhões e bilhões de referências, recolhidas, conectadas e classificadas, a contagem vai subindo ou descendo no crédito social de cada um; e ali está seu futuro. De outro jeito, pioram ou melhoram as perspectivas do vigiado e de sua família. Por vezes, são totalmente destruídas.

Com base nos pontos, os filhos podem frequentar ou não escolas de elite, são concedidas ou não passagens para trens-bala e aviões, permissão para ou veto a viagens ao Exterior, acesso ou interdição a bons empregos, transferências, demissões, descontos nas contas de água e luz, internet mais rápida ou mais lenta, e vai por aí afora. Até melhoram ou pioram as possibilidades de casamento nos sites especializados. Num segundo estágio, a pessoa entra para uma lista negra, ostracismo, fim de qualquer perspectiva de ascensão na vida social e econômica. É forma nova e minuciosa de controle da conduta e da vida econômica. Trata-se de um totalitarismo sem as nuvens de agentes secretos e das brigadas de defesa da revolução, comuns décadas atrás em países comunistas. Na prática, é um totalitarismo mais asfixiante e mais minucioso. Aqui o BBB é realidade macabra e nenhum show.
Saio da China e entro na Venezuela. O governo venezuelano contratou a ZTE, a estatal chinesa que está no centro do programa do crédito social para implantar no país um sistema semelhante ao que vem sendo posto em prática na China inteira. Só em 2017, é o que se divulga, a ZTE recebeu 70 milhões de dólares por esse trabalho. E muitos venezuelanos já não estão recebendo os pacotes de alimentos subsidiados, nem remédios de órgãos estatais, por causa de pontuação que obtêm no “carnet de la pátria”.

O senador Marco Rubio, dos mais destacados homens públicos norte-americanos advertiu a respeito: “A China está exportando seu totalitarismo. A crescente dependência do regime Maduro em relação à ZPE na Venezuela é apenas o último exemplo da ameaça que as estatais chinesas representam para os interesses de segurança nacional dos Estados Unidos”.

Não tenhamos ilusões, é programa prontinho para ser aplicado no Brasil. Desencaixotam-no, logo que voltem ao poder os derrotados no último pleito. Para isso, trabalha o PT, auxiliados por inocentes úteis e companheiros de viagem. As linhas auxiliares do PT são políticos de esquerda em partidos burgueses, PSOL e a miuçalha de partidos de esquerda, movimentos sociais, acadêmicos e empresários de esquerda ou “progressistas”, gente assim. Em 2010, em artigo intitulado “Inocentes úteis e companheiros de viagem, expressões banidas nas eleições de 2010”, lembrei: “O inocente útil é o que, sem se dar conta, facilita a execução do programa, do qual ele é real ou supostamente adversário. Ajuda a tomada do poder por alguém que, no futuro, vai trucidá-lo, moral ou fisicamente. O companheiro de viagem é o que caminha junto até um ponto da estrada. Ajuda o parceiro a chegar a um ponto determinado de seu programa. O maior exemplo de companheiro de viagem e inocente útil das últimas décadas é a CNBB. Ninguém mais que ela foi companheira de viagem e inocente útil do programa de fazer do Brasil um país libertário e coletivista”.

domingo, 18 de novembro de 2018

Sobre OLAVO DE CARVALHO: O maior filósofo brasileiro atual

SOBRE OLAVO DE CARVALHO (Fonte: http://www.olavodecarvalho.org/sobre-olavo-de-carvalho/)
“Conheço o trabalho de Olavo de Carvalho e devo dizer que quanto mais eu aprendo, mais profundamente impressionado eu fico com ele. Não apenas como filósofo. É difícil encontrar a palavra, porque toda a palavra que me vem à mente é insuficiente. Eu poderia dizer, patriota, defensor da civilização humana. Eu entendo que ele causou um tremendo impacto no Brasil. Seus milhares de seguidores tiveram grande influência na direção correta. Sinto-me honrado em saber que Olavo de carvalho tem interessse nos meus escritos e penso que temos o mesmo ‘comprimento de onda’.

Olavo de Carvalho é um craque. Mais do que isso, é um homem de coragem e força de vontade ímpar. Assim, ele é um exemplo de conhecimento, inteligência, preparo acadêmico, e coragem para enfrentar desafios. Alertou sobre os perigos do socialismo, sobre o Foro de São Paulo, sobre o PT, sobre o problema da deterioração da alta cultura quando estes problemas sequer eram imaginados seja na academia ou nas redações de jornais e revistas brasileiras.”

Fascismo, comunismo e nazismo são de esquerda ou: São sistemas irmãos quase gêmeos.

COMUNISMO, FASCISMO E NAZISMO: MAIS SEMELHANÇAS DO QUE DIFERENÇAS.
Escrito por Aluizio Amorim no Blog do Aluizio

A sempre excelente página Embaixada da Resistência no Facebook traduziu e legendou o excelente vídeo que ilustra esta postagem. Trata-se de uma sintética alocução de Dan Hannan, um eurodeputado britânico que desmonta a falácia esquerdista de que o comunismo nada tem a ver com o nazismo e o fascismo. 

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Meninas de 11 e 12 anos de idade planejavam matar QUINZE outras meninas menores que elas.

Meninas satanistas planejavam crime
Escrito por Plinio Maria Solimeo e publicado na ABIMStates
Escrevemos há dias um artigo mostrando como estão crescendo no mundo a bruxaria e o culto ao demônio, dando como exemplo os Estados Unidos.

Grave em si mesmo, o problema adquire agora gravidade ainda maior, pois está atingindo inclusive as crianças.

Com a popularização da internet, a propaganda satânica ficou acessível a todas as idades. É o que explica o caso que vamos narrar, ocorrido recentemente na terra do Tio Sam.

sábado, 3 de novembro de 2018

THANOS: O tirano que queria eliminar metade da humanidade pelo "bem dela".

Escrito por Aluizio Amorim e publicado no Blog do Aluizio
Mais um vídeo traduzido pelos Tradutores de Direita que vale a pena ser visto. Quando vocês ouvirem idiotas abrindo a boca para proferir idiotices com "sustentabilidade", aliás, conceito criado pela engenharia social da mega ONG comunista "ONU", (vejam a tal "Agenda 2030") cuspam na cara deles.

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

O calendário atual, chamado de gregoriano, foi idealizado e implantado pelo Papa Gregório XIII

Como o Papa Gregório XIII elucidou e corrigiu o erro do calendário
Escrito por Luis Dufaur em 25/10/2018 e publicado na ABIM
Há mais de 430 anos que o mundo se rege pelo calendário “gregoriano”, uma das maiores conquista da civilização.

O nome de “gregoriano” vem do Papa Gregório XIII, que no século foi o príncipe italiano Ugo Buoncompagni, eleito como o 225º Papa da Igreja.

Gregório XIII decidiu adotar o novo calendário para substituir o antigo, conhecido como “Juliano”, que se utilizava desde o ano 46 a.C., tempos do imperador romano Júlio César.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Digamos um NÃO definitivo ao lulopetismo

Reproduzo o MANIFESTO do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira distribuído na manifestação em apoio ao Bolsonaro no dia 21/10/2018 em Curitiba.

Grandes manifestações populares tomaram as ruas do Brasil nos últimos anos, resultantes de uma profunda inconformidade com os treze anos de governo petista.

Com efeito, os brasileiros sentiram-se agredidos por uma ideologia anticristã, o Comunismo, condenado reiteradas vezes pelos Papas. Hoje está patente que a Seita Vermelha, mascarada de petismo e com promessas enganadoras, levou-nos à beira do precipício. Não fosse a alma profundamente cristã e o imenso potencial do Brasil, teríamos sido arrastados para a mesma situação em que gemem nossos irmãos venezuelanos.

Não permitamos que o PT volte ao poder e consuma sua obra nefasta. O ex-ministro José Dirceu, em entrevista ao jornal El País, declarou que é uma questão de tempo para o PT tomar o poder”.1

No dia 28 de outubro os brasileiros irão novamente às urnas para escolher o seu chefe de Estado.

O resultado desta eleição decidirá se o Brasil resvalará ou não para o comunismo, pois:

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

CONTRADIÇÕES DO MOVIMENTO FEMINISTA: As feministas alegam defender os interesses das mulheres, mas os fatos as desmentem.

As feministas alegam defender os interesses das mulheres, mas os fatos as desmentem
Escrito por Paulo Henrique Américo de Araújo e publicado na ABIM
Simone de Beauvoir

Uma das iniciativas mais funestas, na tarefa em que se empenham os destruidores da Civilização Cristã, é o chamado feminismo. As raízes relativistas, hegelianas e marxistas desse movimento se encontram, em boa medida, nas ideias de Simone de Beauvoir, “companheira” de Jean Paul Sartre, o criador da escola existencialista.1 Beauvoir baseou-se no princípio da luta de classes, arma que Marx inventou contra a “opressão” dos ricos sobre os pobres, e estendeu o conceito à “opressão” do homem sobre a mulher. Assim, deve ser combatidoqualquer aspecto da convivência humana que não seja regido pela igualdade entre os sexos, mesmo em questões cujas diferenças biológicas são flagrantes.

sábado, 13 de outubro de 2018

Famílias pequenas, materialismo e uso de anticoncepcionais para não ter filhos é seguir a religião de Satanás. Nesse caminho, cristãos serão exterminados da face da terra.

Egoísmo, esterilidade e sacrilégio: a antirreligião de Satanás 

Assim como a Igreja existe para a salvação eterna de todos, Lúcifer construiu aos poucos uma antirreligião, um catolicismo falsificado, que tem como propósito a condenação de todos os homens ao inferno. 



Nós já vimos como Lúcifer, recusando-se a servir ao Deus da fertilidade e do amor sacrificial, mereceu sua própria isolação e esterilidade eternas, e como ele sempre procura conduzir as almas dos homens ao seu reino de egoísmo. Em particular, a recusa de subordinar o natural ao sobrenatural é o traço que o define. Isso explica o porquê de ele odiar o celibato e a virgindade mais do que qualquer coisa neste mundo. 

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

BOLSONARO denuncia o Foro de São Paulo e os asseclas de Lula.

PRIMEIRO PROGRAMA DA PROPAGANDA ELEITORAL DE BOLSONARO REVELA O SÓRDIDO PLANO DO FORO DE SÃO PAULO PARA TRANSFORMAR O BRASIL NUMA REPÚBLICA COMUNISTA
Escrito por Aluizio Amorim e publicado no Blog do Aluizio Amorim
Vai ar neste sexta-feira o primeiro programa eleitoral do fenômeno Jair Bolsonaro, o presidenciável que fez sua campanha eleitoral boicotado pela grande mídia nacional e internacional, com uma legenda pequena e desconhecida, o PSL, recusando a verba partidária e se valendo tão somente dos recursos da internet, das redes sociais e do corpo a corpo com seus eleitores.

No vídeo acima o primeiro programa eleitoral de Bolsonaro que irá ao ar nesta sexta-feira revelado com exclusividade pelo site O Antagonista. Pode-se notar também que embora bem feito, esse programa que será exibido no horário da propaganda eleitoral nas televisões nesta sexta-feira não teve em sua retaguarda grandes equipes de cinegrafistas e de fotógrafos e nenhuma grande agência de publicidade e muito menos marqueteiros famosos.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

ELEIÇÕES 2018. O brasileiro não se deixou levar pelas mentiras do esquerdismo.

Eleições: Brasil, Terra de Santa Cruz
Escrito por Pe. David Francischini e publicado na ABIM em 7 de outubro de 2018.
Na sua labuta diária, o agricultor adquire habitualmente um grau de conhecimento e perspicácia que poucas pessoas em outros ofícios conseguem obter. Ele conhece a sua terra, sabe o que ela pode produzir ou não. No contato com a ordem estabelecida por Deus na natureza, o homem do campo conhece o tempo, as estações, o momento de semear e de colher, sabe tratar a terra como propriedade sua, pois a mão que semeia é a mesma que cuida.

A variedade do plantio obedece a algumas regras claras, baseadas até há pouco na experiência. Mesmo cuidando da terra, o agricultor é obrigado a ter os olhos voltados para o céu, pois se guia pelas estrelas, pelo sol, pela lua, pelas nuvens ou a ausência delas. Ouve e sabe interpretar o canto dos pássaros, a voz dos animais nas matas, o coaxar dos sapos nas lagoas, o movimento das formigas. Sabe sentir a secura ou a umidade do ar, a direção do vento. Os menores sinais emitidos pela natureza lhe servem de orientação.

domingo, 30 de setembro de 2018

SITE AMERICANO ANALISA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL NO BRASIL AFIRMANDO QUE BOLSONARO É O ÚNICO CANDIDATO CAPAZ DE DETONAR O SISTEMA MALIGNO QUE ADMINISTRA O BRASIL.

Escrito e publicado por Aluizio Amorim no Blog do Aluizio

O conhecido site conservador norte-americano American Greatnesspublicou uma ampla matéria sobre a eleição presidencial no Brasil destacando o Presidenciável Jair Bolsonaro como o único candidato capaz de detonar o crime organizado e o sindicato do crime que administra o Brasil que qualifica como "sistema maligno".
Afirma também que a comparação de Bolsonaro com Trump é adequada. E observa: "Enquanto Trump luta valentemente - quase sozinho nos círculos políticos, mas apoiado pelas multidões - contra a elite corrupta que quer destruir nossas nações, nossa fé e nossa cultura, o Bolsonaro também luta contra outra cabeça da mesma Hidra, o poderoso esquema criminal do Brasil, dominado pela esquerda."

sábado, 29 de setembro de 2018

Civilização Ocidental está a caminho do desaparecimento. Só Deus para nos salvar!

Cinco lições de Sara e Tobias para os casais de hoje.
Escrito por Padre Paulo Ricardo e publicado em 27/9/2018
Não é preciso ser lá muito observador para se dar conta de que o mundo que nos rodeia está saturado de sexo. Mas estará também saturado de amor?

Em certo sentido, parece até que as duas coisas são inversamente proporcionais: quanto mais desimpedido, livre e hiperativo se vive o sexo, menos espaço se encontra para o amor pessoal, ou seja, para a amizade entre duas pessoas, queridas em si mesmas, e não pelo prazer que podem oferecer. A castidade (ou seja, a virtude de contrariar os desejos sexuais com o fim de construir relações humanas maduras) é valiosa justamente por proteger e potencializar a capacidade de amar as pessoas como elas merecem.

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

TODO ANTICONCEPCIONAL ATUAL É ABORTIVO. O efeito do comprimido só ocorre após a concepção. O anticoncepcional não evita a concepção.

TODO ANTICONCEPCIONAL ATUAL É ABORTIVO. O efeito do comprimido só ocorre após a concepção. O anticoncepcional não evita a concepção. Ele só funciona como a pílula do dia seguinte. Quem usa anticoncepcional atual sabendo disso é assassina.
Veja o vídeo do Padre Paulo Ricardo no link a seguir.
https://www.youtube.com/watch?v=VXcpiktmYfM

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Será que a providência divina revidou à "mudança de paradigma" implementada pelo Papa Francisco?

Revide da Providência à subversiva “mudança de paradigma”?
Escrito por Luis Dufaur* e publicado na ABIM em 29 de agosto de 2018.
As tendências vêm mudando há séculos. Na moda, nos costumes, na linguagem, e até no pensamento. Sempre num mesmo sentido, apontado pela Revolução gnóstica e igualitária, cujo início foi a Revolução Protestante, seguida pela Revolução Francesa laica e igualitária, e continuada pela Revolução Comunista, requintada pelo anarquismo gramsciano e sorboniano. Quem não as acompanha pode até ficar complexado, sentir-se diminuído, pois é sempre rotulado de “atrasado”.

sábado, 11 de agosto de 2018

ABORTO é um dos crimes mais horrendos da humanidade. Os comprimidos anticoncepcionais são sempre abortivos.

Aborto, o "antissacramento".
Escrito por Padre Paulo Ricardo em 14/8/2018.
Em 1997, em uma livraria, deparei com uma obra que me impactou e deixou horrorizado. Uma teóloga feminista havia escrito um livro no qual argumentava que as duas grandes “cruzes” que as mulheres católicas tinham de carregar eram — você já pode suspeitar — a oposição da Igreja à ordenação de mulheres e ao aborto. Eu mal podia acreditar que o pecado de blasfêmia pudesse chegar a tal nível, mas aquilo estava ali, diante dos meus olhos, e não era um pesadelo.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Papa Francisco erra mais uma vez. Há permissão da pena de morte na fé católica.

A liceidade da pena de morte é uma verdade de fé católica. 
Escrito por Roberto de Mattei e publicado na ABIM em 8 de agosto de 2018

Esta pintura de Francisco Rizi (1683) representa um julgamento na Plaza Mayor (Madrid), em 1680. Nesses julgamentos públicos, os criminosos, hereges e apóstatas poderiam se converter. Abandonando a heresia, recebiam penas leves ou graves conforme as circunstâncias. Os empedernidos poderiam ser sentenciados com prisão perpétua ou mesmo com a pena capital.


A liceidade da pena de morte é uma verdade fide tenenda, definida de modo constante e inequívoco pelo Magistério ordinário e universal da Igreja. Quem afirmar que a pena capital é em si mesma um mal, cai em heresia.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

A eleição para Presidente do Brasil será de Jair Bolsonaro contra todos os outros partidos. Assista ao vídeo abaixo

A PROVA IRREFUTÁVEL: JAIR BOLSONARO É O ÚNICO PRESIDENCIÁVEL QUE DETONA O JOGO DE CARTAS MARCADAS MONTADO PELO 'ESTABLISHMENT'

Neste vídeo o professor José Westphalen mostra de forma extremamente didática que esta eleição é um jogo de cartas marcadas. O ponto fora da curva é só e apenas Jair Bolsonaro. 


Aliás, um fato que tenho me referido em artigos que escrevi aqui no blog. Todavia neste vídeo curto, simples e didático Westphalen ajuda a compreender que esta eleição presidencial é de fato um jogo de cartas marcadas, uma armação meticulosamente produzida pelo establishment, velho de guerra na arte de iludir, confundir e enganar os incautos, para deter o poder total e irrestrito, fato que levou o Brasil à falência!

Quem até agora não entendeu esta deletéria armação dos donos do poder vêm aplicando desde o golpe da Proclamação da República, irá compreender tudo. De forma simples e ligeira. Afinal, como professor, José Westphalen revela-se um excelente mestre na arte da didática.

E mais não precisa ser dito. Não deixem de ver este vídeo e compartilhar pelas redes sociais.

terça-feira, 31 de julho de 2018

IDEOLOGIA E CONSERVADORISMO: Capitalismo, cristianismo e conservadorismo não são ideologias, mas o socialismo é pura ideologia marxista.

O conservador considera que recebeu corpo e vida de Deus que o criou uma única vez na matriz que começou com Adão e Eva. Não houve evolução desde a única vez que ocorreu a criação divina do ser humano. 

Sendo assim, todos são iguais por terem a mesma natureza imutável. Então não há razão para que se aceitem sistemas ideológicos que se propõem a mudar o ser humano como é o caso dos sistemas que se opõem ao conservadorismo.

O conservador considera que o ser humano nasceu capitalista e a sociedade é capitalista por que assim é o ser humano. O capitalismo não passa de uma descrição de como todo ser humano se comporta. Não existe homem socialista por que isso é incompatível com a descrição da natureza humana.

terça-feira, 26 de junho de 2018

SUICÍDIO — mais uma loucura do mundo moderno

Suicídio — mais uma loucura do mundo moderno
Escrito por Plinio Maria Solimeo e publicado no site ABIM em 26 de junho de 2018
Ultimamente têm saído notícias de suicídios de atores famosos e de pessoas do mundo das artes. Para não falar do número sempre crescente de jovens em todo o mundo, principalmente no Japão.

Ora, afirma o 5º Mandamento da Lei de Deus: “Não matar”. Isso não se refere somente a tirar a vida do próximo, mas sobretudo a não tirar a própria. Por isso o suicida era visto como pessoa que cometera uma grande ofensa a Deus, Autor da vida. A Igreja, para manifestar seu horror a esse ato extremo, não lhe concedia cerimônias fúnebres públicas — como Missa de 7º Dia ou enterro no campo santo. (Ao mesmo tempo, como Mãe misericordiosa, não lhe negava os sufrágios em privado, desde que o escândalo fosse evitado).

terça-feira, 12 de junho de 2018

Ditadura chinesa já implantou o "Big Brother". O estado grande irmão chinês já pune todos aqueles que se manifestam contrários à alguma corrupção dos dirigentes chineses.

Escrito por Luis Dufaur* e publicado em 12/06/2018, às 05:30,  no blog Pesadelo Chinês

A rama financeira de Alibaba, o maior conglomerado de comércio eletrônico do planeta, aliás chinês, já passou a incluir em seu sistema o 'Zhima Credit'.

Esse apresenta no smartphone um inexplicado número de três cifras, entre 350 e 950.

O jornalista de “La Nación” de Buenos Aires constatou que seu número era 654, uma qualificação considerada 'excelente'.

Muito poucos sabem o que significa. Trata-se da entrada no sistema de pontuação social aplicado por Alibaba, para julgar seus clientes.

domingo, 3 de junho de 2018

"AQUECIMENTO GLOBAL": A maior "fake news" da história.

Escrito por Luís Dufaur* e publicado no blog "Verde: a cor nova do comunismo", 03/06/2018.

Timothy Ball, prof. emérito da Universidade de Winnipeg, Canadá:
“Aquecimento global” é a maior “fake news” da História

O aquecimento global antropogênico é a maior, mais espalhada e mais persistente ‘fake news’ veiculada até o presente, observou o Dr. Timothy ‘Tim’ Ball, professor emérito no Departamento de Geografia da Universidade de Winnipeg, Canadá, autor de diversos livros sobre as questões climatológicas em artigo para o especializado blog “Watts up with that”

Em parte essa enganação persiste porque os apelidados “céticos” – cientistas objetivos que recusam a “fake news” – não explicam o problema do aquecimento global em termos acessíveis para as pessoas simples.

domingo, 27 de maio de 2018

GREVE DOS CAMINHONEIROS - Emílio Dalcóquio é um empresário bem informado. Sabe de onde vem o mal do sistema político brasileiro

EMPRESÁRIO EMÍLIO DALÇOQUIO APOIA GREVE DOS CAMINHONEIROS E DETONA PROFESSORES DA UNIVALI ACUSANDO-OS DE DOUTRINAR ALUNOS COM BASE EM TEORIAS COMUNISTAS.
Escrito por Aluizio Amorim e publicado em 4/5/2018 no Blog do Aluizio Amorim
Neste vídeo o youtuber Ludiley Aguilar entrevista o empresário Emílio Dalçoquio, cuja empresa está sediada na cidade portuária de Itajaí, em Santa Catarina.

Dalçoquio que começou a vida trabalhando como caminhoneiro solta o verbo desferindo críticas ao professores da Univali - Universidade do Vale do Itajaí, acusando-os de fomentar o comunismo no âmbito universitário doutrinando os alunos com base em teorias marxistas.

Vale a pena ver este vídeo.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

A cultura brasileira é muito rica de religiosidade herdada de Portugal

Expressões autênticas da religiosidade popular

Escrito por Carlos Sodré Lanna e publicado no site da ABIM em 16 de Maio de 2018.


Celebração da festa do Divino Espírito Santo em Florianópolis (SC), remonta às origens de nossa História. Na sala denominada Império do Divino, senta-se em tronos o Rei e a Rainha após o cortejo pelas ruas da cidade.


Em todas as regiões brasileiras, mesmo nos mais remotos rincões, são realizadas anualmente festas religiosas fixas e móveis, nas quais, não raro, de forma até pitoresca, se manifesta a alma católica da Nação.

Certos pormenores desses festejos refletem costumes tradicionais de festividades análogas da Europa, sobretudo realizadas em nossa mãe-pátria, Portugal.

domingo, 13 de maio de 2018

OS NAZISTAS ERAM AMBIENTALISTAS RADICAIS: Ou: As raízes anti-humanas do movimento ambientalista (2)

Escrito por Luis Dufaur* às 05:30, domingo, 13 de maio de 2018, no Blog Verde: A cor nova do comunismo
Os nazistas foram pioneiros
Sempre soubemos que, em termos econômicos, os nazistas eram esquerdistas (Nazi vem de Nationalsozialismus ou Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães), mas hoje - graças aos estudos de Robert N. Proctor, que os compilou em seu livro Racial Hygiene: Medicine Under the Nazis (Higiene Racial: a Medicina dos Nazistas) - sabemos que eles eram fanáticos por saúde, maníacos por exercícios físicos, ecologistas radicais, entusiastas de comidas orgânicas e defensores ferrenhos dos direitos dos animais, além de nutrirem profundo menosprezo por álcool e tabaco.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

AS RAÍZES ANTI-HUMANAS DO MOVIMENTO AMBIENTALISTA(1)

Escrito por Luis Dufaur* e publicado no Blog Verde: A cor nova do comunismo

Lew Rockwell

Lew Rockwell, presidente do Ludwig von Mises Institute, em Auburn, Alabama, e editor do website LewRockwell.com, autor dos livros Speaking of Liberty e The Left, the Right, and the State, escreveu relevante matéria sobre a substância do movimento ambientalista.

No momento em que as grandes tubas da publicidade, mais ou menos eivadas de esquerdismo, rememoram até com saudades a explosão anárquica de Maio de 68, ou da Sorbonne, em Paris, o artigo volta à tona.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Se o estado assume o papel de Deus ou se não há valorização da família, então os representantes estatais arrancam os olhos dos vossos filhos para fazer comércio.

Escrito por Luis Dufaur*. Posted: 01 May 2018 01:30 AM PDT no Blog Pesadelo Chinês

Protesto no mundo livre contra o comércio chinês de órgãos humanos.


A Pontifícia Academia das Ciências Sociais, cujo chanceler é Mons. Marcelo Sánchez Sorondo, bispo muito próximo do Papa Francisco, voltou a albergar um encontro com a China sobre o tráfico de órgãos humanos. 

A China é o maior e mais desumano fornecedor de órgãos humanos “frescos”. Esses são extraídos de dissidentes, presos ou simples cidadãos “caçados” a dedo em locais públicos para atender uma encomenda da elite do Partido Comunista ou de estrangeiros muito ricos.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Como construir a felicidade da família. Ou: 14 filhos, todos varões, todos bem-vindos

14 filhos, todos varões, todos bem-vindos
Escrito por Plinio Maria Solimeo e publicado na ABIM em 2 de Maio de 2018.
Neste mundo tão egoísta, no qual só se pensa em gozar a vida, os filhos são vistos quase sempre como empecilhos. Por isso deve-se tê-los no menor número possível, ou nenhum, para evitar preocupação.

Por isso é edificante ver uma família que aceita como dom de Deus todos os filhos — já vieram 14 e, surpreendentemente, todos varões.

terça-feira, 17 de abril de 2018

A ditadura chinesa e a repressão aos fiéis católicos chineses facilitada pela administração do Papa Francisco.

O drama dos católicos fiéis: “O Vaticano está vendendo a Igreja Católica na China”
Escrito por Luis Dufaur e publicado em 17/4/2018 na ABIM

O acordo entre a Santa Sé e Pequim é o modelo do novo relacionamento do Vaticano com governos de esquerda no mundo inteiro: Rússia, Ucrânia, América Latina, entre outros.

Em outubro de 2017, diplomatas vaticanos tentaram convencer bispos instituídos canonicamente pela Santa Sé a entregarem suas dioceses a bispos ilegítimos, submissos ao Partido Comunista Chinês. Dom Pedro Zhuang Jianjian, de Shantou (Guangdong), foi convidado por carta a entregar sua diocese a um bispo excomungado. Mas se recusou, declarando: “Aceito levar a cruz por desobedecer”.

Em dezembro, Dom Zhuang foi retirado da sua diocese no sul do país e escoltado até Pequim, limitando-se a polícia a informar que “um prelado estrangeiro” o aguardava. Ficou “sob controle” — leia-se: preso. Apesar de sua idade avançada (88 anos), sua debilidade física e intenso frio em Pequim, foi-lhe negada assistência de um médico ou de um sacerdote.

Conduzido à sede da Associação Patriótica e do fictício Conselho dos Bispos da China — uma espécie de CNBB instituída pelo regime comunista —, Dom Zhuang foi interrogado pelos bispos ilegítimos Ma Yinglin, Shen Bin e Guo Jincai, presidente, vice-presidente e secretário-geral dessa “CNBB chinesa”. Foi também levado perante três representantes da Administração Estatal de Assuntos Religiosos.

Não obtendo os resultados visados, os agentes o conduziram até onde se encontravam o “bispo estrangeiro” e três sacerdotes do Vaticano. O “bispo estrangeiro” era Mons. Claudio Maria Celli, encarregado pela diplomacia vaticana das negociações com o Partido Comunista. Explicou que a Santa Sé deseja um acordo com o governo marxista, mediante a entrega de dioceses aos designados por Pequim, e pediu que Dom Zhuang entregasse sua Sé episcopal ao bispo ilegítimo José Huang Bingzhang, deputado no Parlamento (Assembleia Nacional do Povo). Dom Zhuang manteve sua recusa. Todas estas informações são de AsiaNews em 22-1-18.
________
Na foto abaixo: Dom Lucas Li Jingfeng, Bispo de Fengxiang (Shaanxi), faleceu com 95 anos, após sofrer uma vida de perseguições
Uma carta ao Papa Francisco
Enquanto Dom Zhuang era chantageado em Pequim, a delegação vaticana se deslocava até Fujian, no sul do país, para tentar convencer o legítimo bispo diocesano de Mindong, Dom José Guo Xijin, a permitir que sua diocese fosse ocupada por Vicente Zhan Silu, bispo ilegítimo a serviço do regime comunista. Dom José Guo havia passado quase um mês encarcerado antes da Semana Santa de 2017, tendo os agentes do governo feito de tudo para que ele assinasse um documento aceitando “voluntariamente” a imoral proposta.

Após a mencionada tentativa de outubro, o Cardeal Zen, arcebispo emérito de Hong Kong e figura de maior destaque do episcopado chinês, fez chegar a Dom Sávio Hon Taifai, responsável na Cúria Romana dos assuntos chineses, um relatório sobre os brutais fatos. Dom Sávio levou o caso ao Papa Francisco, que prometeu estudar o assunto. O próprio cardeal, em carta publicada por AsiaNews (29-1-18), descreveu as violências que sofrera.

Ficava assim a impressão de que a investida tenderia a arrefecer, mas em dezembro ocorreu a nova pressão policialesca que relatamos acima. Dom Zhuang, em lágrimas, pediu ao Cardeal Zen que levasse ao Papa um relatório, na esperança de que ele interviesse. O cardeal aceitou a incumbência, apesar de recear que o Pontífice pudesse não querer receber a correspondência do prelado resistente.

Doente e debilitado, o cardeal Zen, de 85 anos, viajou de Hong Kong a Roma para chegar na hora da audiência geral do Papa, no dia 10 de janeiro. Ingressou inesperadamente durante a cerimônia, ocupando o lugar reservado aos cardeais. Num momento dramático, pôs a carta nas mãos do Santo Padre, acrescentando que viajara só para isso, e esperava que o Pontífice consentisse em ler a carta.

Rezar em locais não autorizados pelo governo comunista passou a ser crime
O Vaticano não quer um novo “caso Mindszenty”
O cardeal ficou surpreso quando, no mesmo dia, o Papa Francisco mandou chamá-lo para uma audiência privada. Informou que havia lido a carta, e se explicou: “Eu falei para eles [seus colaboradores na Santa Sé] que não criem outro caso Mindszenty!”. O próprio cardeal divulgou esses fatos na citada carta de 29 de janeiro, e concluiu: “Ou se rende ou se aceita a perseguição. Pode-se imaginar um acordo entre São José e o Rei Herodes?”. Perguntado se “acredita que o Vaticano está vendendo a Igreja Católica na China”, respondeu: “Sim, absolutamente”. Segundo o jornal britânico “The Tablet” de 30-1-18, a sala de imprensa da Santa Sé reagiu de modo fora do comum e contradisse as palavras do Cardeal Zen.

Yi-Zheng Lian, professor na Universidade Yamanashi Gakuin, de Kofu (Japão), escreveu no “The New York Times” (8-2-18) que a política do Papa Francisco ante um governo ateu e comunista “não é inteiramente transparente”. Para o “The Wall Street Journal” (2-2-18), a imagem do Pontífice como “defensor dos oprimidos” está ficando sem sentido, e acrescenta que ele não ajuda os ucranianos invadidos pela Rússia, dá as costas aos católicos chineses perseguidos e se alia aos seus algozes. Um grupo de intelectuais católicos influentes de Hong Kong lançou uma petição internacional, visando impedir o iníquo acordo entre a Santa Sé e Pequim (Hong Kong Free Press, 15-2-18).

Simultaneamente, Dom Marcelo Sánchez Sorondo, chanceler das Pontifícias Academias de Ciências e Ciências Sociais, voltou da China afirmando que “os chineses são os que melhor aplicam a doutrina social da Igreja”. O Dr. Samuel Gregg, professor de filosofia política e diretor de pesquisas do Acton Institute, comparou a atual diplomacia do Vaticano com a moda dos anos 20 e 30. E acentuou que nessa época intelectuais progressistas e esquerdistas voltavam de viagem à URSS comemorando com elogios a “primeira grande experiência do comunismo”, enquanto a realidade era bem outra, com muitos milhões morrendo de fome. O escritor comentou as longas declarações de Dom Sánchez Sorondo (argentino muito próximo do Papa) como um sinal de que “a irrealidade e a incoerência reinam no Vaticano” (Law & Liberty, 8-2-18).
____________
Abaixo, fotos da Igreja Católica de Xinjiang, antes e depois de ser profanada por agentes do regime comunista

Uma nova Revolução Cultural
Em publicação no “The Catholic Herald” (31-8-17), o Pe. Alexander Lucie-Smith, doutor em moral e teologia, perguntou: “Como é possível que o Vaticano negocie com a China, que continua demolindo as igrejas?”. A destruição sacrílega mais recente foi documentada em Yining, diocese de Urumqi, no noroeste do país. Cruzes, estátuas, torres dos sinos, relevos religiosos, cruzes do cemitério e do interior do templo, incluindo a Via Sacra — tudo isso foi destruído. Análogos atentados foram perpetrados contra as igrejas de Manas e Hutubi, na mesma diocese, segundo noticiou UCANews (1-3-18). Em Yining tudo foi destruído enquanto as delegações chinesa e vaticana preparavam um “histórico acordo” para a nomeação dos bispos católicos pelo regime anticristão.

As profanações obedecem ao projeto do ditador Xi Jinping de “achinesar” a Igreja, submetendo-a às políticas do Partido Comunista, e ele o deixou bem claro no XIX Congresso do PC, em outubro de 2017: “A cultura […] deve ser aproveitada para a causa do socialismo, de acordo com a orientação do marxismo”. Acrescentou que a religião deve ter por isso uma “orientação chinesa” e se adaptar à sociedade socialista guiada pelo partido (“The Washington Post”, 18-10-17). O ditador definiu “achinesar” como a obrigatoriedade de “aderir e desenvolver as teorias religiosas, mas com características chinesas”. Um comentário se tem generalizado, enquanto se multiplicam esses episódios de perseguição religiosa: “É uma nova Revolução Cultural”, batizada agora de “achinesar”.

Perseguição religiosa e Igreja clandestina
Essa posição anticatólica de Xi Jinping deve ser avaliada não apenas como uma série de violências de caráter transitório, pois ele acaba de reformar a Constituição comunista, proclamando-se ditador sem prazo de mandato. Estaríamos assim diante de uma nova revolução cultural, cujas características não podem diferir muito do verdadeiro genocídio praticado por Mao Tsé-Tung. No campo religioso, tal revolução implicaria:
Aplicar o princípio da “independência”, significando ruptura com a Santa Sé;
Adaptar a religião à sociedade socialista, transformando-a numa força de propulsão comunista;
Resistir às “infiltrações religiosas do exterior”, banindo os símbolos religiosos, os missionários e as Ordens religiosas vindos de fora.

Assim sendo, já se podem ver com antecipação exemplos do que acontecerá aos católicos chineses, com a nova orientação comunista:
O Cruzeiro, símbolo da Redenção, é qualificado agora como “infiltração religiosa proveniente do exterior”, e foi arrancado com satânico impulso na igreja de Yining;
O princípio de “independência” proíbe rezar, inclusive no interior dos lares. Se a polícia encontrar duas pessoas rezando juntas em sua casa, vai prendê-las e obrigá-las a passar por uma “reeducação”, que implica reclusão num campo de concentração.
Hoje só está permitido o culto nas igrejas registradas na burocracia marxista, e nos horários fixados pelo governo. Um ato piedoso em outro lugar é tido como feito em “local ilegal” e sujeito a prisão, multas, e até expropriação do prédio.
Nas residências particulares, toda conversa religiosa ou oração ficou proibida.
Na porta das igrejas deve ser legível a proibição do ingresso aos “menores de 18 anos”. Crianças e jovens não podem participar nos ritos, receber catequese, instrução religiosa nem preparação para os sacramentos, explicou o Pe. Bernardo Cervellera, diretor da agência AsiaNews (2-3-18), do Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras.

Diplomacia vaticana favorecendo os carrascos
O Partido Comunista ficou como “guia ativo” das religiões. Sob a inspiração suprema de Xi Jinping, dependerá do PC a vida ou morte de qualquer entidade religiosa cristã, para o que não lhe faltará o apoio dos seus amigos do Vaticano, sempre tendentes à concessão. O controle ditatorial e asfixiante está sendo exercido através do medo. No passado recente, os católicos chineses já haviam enfrentado esse medo assassino e o venceram, mas desta vez a diplomacia vaticana se põe do lado dos carrascos.

Há uma renascença religiosa na China. Mais de 80% da população tem religião, e pelo menos uma quinta parte dos membros do Partido Comunista pratica alguma delas em segredo. Incapaz de convencer o povo com as ideias comunistas, o regime recorre a medidas de força. Mas, sendo essas insuficientes, apela para eclesiásticos ligados de um modo ou de outro à “Teologia da Libertação”. Disse um fiel de Urumqi à AsiaNews: “Estou muito triste pelo fato de o Vaticano se rebaixar ao fazer pactos com este governo. Agindo desse modo, ele se converte em cúmplice de quem quer a nossa aniquilação”.
____________
Fonte: Revista Catolicismo, Nº 808, abril/2018.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

IDEOLOGIA. OU: O CONSERVADOR VERDADEIRO NÃO TEM IDEOLOGIA

O conservador considera que recebeu corpo e vida de Deus que o criou uma única vez na matriz que começou com Adão e Eva. Não houve evolução desde a única vez que ocorreu a criação divina do ser humano. 

Sendo assim, todos são iguais por terem a mesma natureza imutável. Então não há razão para que se aceitem sistemas ideológicos que se propõem a mudar o ser humano como é o caso dos sistemas que se opõem ao conservadorismo.

O conservador considera que o ser humano nasceu capitalista e a sociedade é capitalista por que assim é o ser humano. O capitalismo não passa de uma descrição de como todo ser humano se comporta. Não existe homem socialista por que isso é incompatível com a descrição da natureza humana.

Mas quem foi que inventou essa história de que o capitalismo e o conservadorismo são ideologias? Foi Marx e todos os socialistas que não conseguem ver o mundo sem que seja pela viseira da ideologia comunista. Se eles têm ideologia então os outros também têm! É o que pensam. 

A história humana sempre foi a descrição dos humanos que agiram conforme seus instintos, mas teve um marco que ficará para sempre: A vinda de Jesus Cristo que mostrou a todos a igualdade da natureza humana e a necessidade de servir a Deus.

Isto é, o conservador tem história. Toda história humana prova a verdade cristã e prova o comportamento capitalista e conservador do ser humano.

Mas o marxista não tem história, haja vista que o manifesto comunista foi publicado em 1848 e o livro “O Capital” foi publicado em 1865 e todo o passado foi reinventado conforme a viseira marxista.

No entanto, aqueles que não aceitam a verdade dizem que Cristianismo é uma ideologia. Será? Se você está convencido que cristianismo é uma ideologia então você terá que se convencer que carrega os seguintes conceitos: 

1- A verdade é relativa.Mas se a verdade existe então ela é uma só para sempre.

2- Cristo ou Deus não é a verdade. - Isto é, você acha que Deus não existe.

3- Que o homem nasceu a partir do big-bang. Primeiro foi o big-bang e depois, por uma série de acasos fortuitos, houve o aparecimento do ser humano. - Você precisa ter mais fé que o cristão por acreditar nisso.

4- Não há igualdade de natureza humana por que todos foram criados de maneira diferente. - O conservador tem certeza que a natureza humana é igual, mas imperfeita.

5- E, por último, se você acredita que a verdade cristã é uma ideologia, que o conservadorismo é uma ideologia e que o capitalismo é uma ideologia, então você é um comunista e tudo a sua volta deve ser entendido conforme a viseira marxista. 

O conservador é negação da ideologia. Ele não acredita em big-bang. Por isso, conclui-se que o conservador está firmemente convencido que Deus criou o ser humano e que o criou de natureza igualitária, capitalista e conservadora. 

Isto é, o conservador não tem ideologia por que não foi inventado por um ser humano qualquer, mas o socialista, o comunista, o liberalista, o marxista e outros não conservadores consideram que há ideologia no conservador por que não conseguem livrar-se da viseira ideológica marxista.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

SITUAÇÃO MILITAR E CONTROLE DAS FRONTEIRAS BRASILEIRAS

Os traficantes de drogas, os membros de máfias e os terroristas entram livremente no Brasil. Se por acaso forem contidos nos portos e aeroportos, então podem entrar livremente pela fronteira terrestre por que as forças armadas brasileiras falham por falta de recursos e de pessoal na fiscalização de 16.145km da fronteira terrestre nacional.

Os governos comunistas do PSDB e do PT não fizeram nada para proteger as fronteiras. Aliás, fizeram o contrário. Ao invés de aumentar os efetivos dando emprego e profissão aos jovens, preferiram diminuir os efetivos militares.

Isto é, havia uma população de 149,4 milhões em 1990 e um efetivo ativo de 296.334 soldados e oficiais. Em 2016, de uma população de 207,7 milhões havia um efetivo ativo de 228.751 soldados e oficiais. Quer dizer, o Brasil que em 2016 deveria ter um efetivo militar 80% superior ao de 1990 (aproximadamente 540.000) tem um efetivo 45% inferior (menos da metade).

Os dados de 1990 foram retirados da Lei 7.150 de 17 de julho de 1990 e os dados de 2016 foram retirados de exposição do Ministro da Defesa Raul Jungmann (Ex-PCB e atual PPS) em 25/11/2016. Na exposição, o Ministro da Defesa estava junto com o Ministro Aloyzio Nunes (ex-motorista do terrorista Marighella (PSDB)). Vejam quem está controlando os militares!

O Governo Temer, por sua vez, aprovou essa nova Lei de Imigração (Lei 13.445/2017) que escancarou as portas de entrada do pior tipo de migrante, bem como reduziu a metade o efetivo de policiamento das fronteiras terrestres. Além disso, os oficiais reclamam do progressivo e quase total sucateamento dos equipamentos militares.

Outro fato é o número de recrutas incorporados a cada ano ao serviço militar obrigatório. Em 2002, aproximadamente 70 mil jovens de 18 anos eram recrutados para o serviço militar, mas em 2018, o número máximo de recrutas foi fixado em 32.000. Esse número máximo não será atingido por contingenciamento financeiro. O policiamento de fronteira também terá os efetivos reduzidos de aproximadamente 24.000 para 11.000 em 2018.

Quer dizer, os governos comunistas de FHC e seguintes até o atual querem destruir a economia, destruir as forças armadas nacionais e eliminar fronteiras. Isso é exatamente um dos propósitos do Governo Mundial comunista que está em estágio adiantado de implantação no Brasil.

O Partido Conservador pretende aumentar vinte vezes o efetivo das forças armadas. Isso empregará grande maioria dos jovens em idade do serviço militar. Aumentará também em vinte vezes a segurança das fronteiras do Brasil.

Os recursos financeiros necessários a isso viriam do fechamento dos ministérios cabide de empregos como os Ministérios da Cultura, Esporte, Meio Ambiente, Reforma Agrária, Funai e muitos outros dentre os mais de trinta que existem atualmente.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Opinião do Presidente do PACO sobre parlamentarismo e monarquia: GOVERNOS BONS NÃO FAZEM, MAS DEIXAM O POVO FAZER.

Escrevi o livro denominado “Proposta de Constituição de um Novo País Chamado Brasil”. O sistema eleitoral proposto é o de eleição do Presidente por dois anos, sem reeleição, por intermédio do voto dos parlamentares do Congresso Nacional que votariam em um candidato surgido entre os parlamentares.

Sou monarquista e parlamentarista. Considero que o período governado pelo Monarca Dom Pedro II foi o melhor da história do Brasil tanto em liberdade política quanto em liberdade econômica. 

O Brasil era a quarta economia do mundo, bem como era uma potência militar. Basta analisar a Guerra do Paraguai para se concluir sobre o poderio militar brasileiro à época.

A república, que foi um golpe, acabou com a liberdade política, acabou com a liberdade econômica, desestruturou a economia brasileira que hoje está lá pela décima do mundo e, em termos militares, parece que até a Venezuela pode invadir o país e prevalecer militarmente.

Apesar de ser parlamentarista, vejo alguns defeitos no sistema. Por exemplo, a Senhora Ângela Merkel governa a Alemanha desde 2005. Há quatorze anos que aquela comunista, abortista e simpatizante da invasão islâmica governa a Alemanha. Aquilo é uma ditadura travestida de parlamentarismo.

Assim também já ocorreu na França que teve o comunista François Miterrand dirigindo o país por quatorze anos, já ocorreu na Espanha com o socialista Felipe Gonzales, na Inglaterra com o trabalhista (que é socialista) Tony Blair ou com a conservadora Margareth Thatcher. Isto é, o parlamentarismo não está imune às ditaduras.

Por isso, a proposta que está escrita no meu livro "Proposta de Constituição de um novo país chamado Brasil" é parlamentarista, mas o mandato do presidente do Brasil é fixado em dois anos sem reeleição. 

Por que só dois anos? Por que os governos nada fazem. Governos bons são aqueles que não aparecem. Governos bons são aqueles que deixam a economia e a vida florescerem. Governos bons não “fazem”, mas deixam o povo fazer e, por isso, não precisam de mandatos maiores que dois anos. 

Aqueles que querem grandes mandatos com reeleição são os comunistas, mas não é para fazer e sim para se perpetuarem no poder. Dizem que em quatro anos não daria para fazer nada. 

Ora, não daria para fazer nem em oito anos por que governos nunca fazem, mas apenas são necessários para pacificar conflitos entre cidadãos livres.

O Senhor Fernando Henrique Cardoso aliciou com cargos e vantagens os votos dos parlamentares para aprovar a própria reeleição dizendo que precisava fazer mais, mas o segundo período acabou até por desfazer alguma coisa boa que ele, por descuido, tinha deixado que o povo fizesse. 

Se o Senhor Fernando Henrique Cardoso fosse democrático não teria imposto a própria reeleição que acabou por possibilitar a ditadura petista que o povo brasileiro sofre até hoje.

Portanto, deixo o meu recado aos conservadores que se interessam pelo PACO. Somos monarquistas. Queremos a volta da família real de Dom Pedro II porque seus membros são conservadores. Somos parlamentaristas, mas com limitação do mandato do presidente em dois anos.

terça-feira, 3 de abril de 2018

SOBRE EMANCIPAÇÃO DO ÍNDIO, DEMARCAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS, DEMARCAÇÃO DE QUILOMBOLAS

O ser humano é igual. Deus criou o índio, o europeu e o africano ao mesmo tempo e os criou iguais. Portanto, restringir o índio ou o negro de participar com igualdade da vida civil é discriminação praticada por esquerdistas.

Está certo que o português chegou ao Brasil em condições tecnológicas superiores ao índio que aqui já estava, mas isso não o torna um ser humano superior ou inferior ao índio ou ao negro escravizado que veio depois dele.

Portanto, os artigos 231, 232, 216, § 5º e 68 da ADCT da Constituição do Brasil que tratam das questões indígena e quilombola deveriam ser revogados.

Esses artigos submetem e escravizam a vida do índio à Funai – Fundação Nacional do Índio - que os marginaliza e os discrimina. 

Veja o que diz o artigo 8º da Lei 6.001/73 (Estatuto do índio): Art. 8º São nulos os atos praticados entre o índio não integrado e qualquer pessoa estranha à comunidade indígena quando não tenha havido assistência do órgão tutelar competente.

O índio não pode comprar nem uma geladeira a crédito sem autorização da Funai! E há pessoas más que se aproveitam dessa condição do índio colocando-o como mero ser subserviente para invadir áreas rurais cultivadas. Quem faz isso são os esquerdos do CIMI – Conselho Indigenista Missionário - e outras organizações como o MST, por exemplo. 

A emancipação dos índios está na mão do Presidente da República que a pode fazer mediante um simples decreto, como disposto no artigo 11 do Estatuto do Índio:
  • Art. 11. Mediante decreto do Presidente da República, poderá ser declarada a emancipação da comunidade indígena e de seus membros, quanto ao regime tutelar estabelecido em lei, desde que requerida pela maioria dos membros do grupo e comprovada, em inquérito realizado pelo órgão federal competente, a sua plena integração na comunhão nacional.
Portanto, o Partido Conservador, acaso assuma o poder, não fará nenhuma demarcação de terra indígena. Ao contrário, propõe-se o fechamento da Funai.

O direito de propriedade será dado àqueles que tiverem a posse da terra, que foi o caso do Brasil desde 1500. Vocês lembram-se do Tratado de Tordesilhas? Foi um tratado assinado em 1494 entre Portugal e Espanha.

Pelo Tratado de Tordesilhas, a coroa portuguesa só seria dona das terras a Leste da Linha de Tordesilhas que é um meridiano que passa, ao Norte do Brasil, na capital do Pará – Belém – e, ao Sul, passa na cidade de Laguna em Santa Catarina. 

Porém, os portugueses avançaram muito além da linha e incorporaram toda a Amazônia e praticamente todo o Sul e Centro Oeste brasileiro. Os espanhóis, evidentemente, reclamaram tendo a questão sido decidida pelo Tratado de Madrid em 1750. 

Nas discussões do Tratado de Madrid, que versavam sobre de quem seriam as terras ocupadas pelos portugueses a Oeste da Linha de Tordesilhas, quem se destacou foi o Brasileiro Alexandre de Gusmão. 

Ele era um diplomata brasileiro que trabalhava em Portugal. Venceu a discussão alegando o direito de posse. Portugal seria dona de todas as terras a Oeste da Linha de Tordesilhas. Isto é, o Brasil triplicou o território em relação àquilo que teria a Leste de Tordesilhas pelo direito de posse. 

E assim foram e são decididas as questões de propriedades de terra até hoje. Quem tem a posse é dono. Os índios que efetivamente ocuparem as terras receberão o título das terras ocupadas por eles.

Quanto à questão quilombola referente aos negros remanescentes de quilombos que se formaram durante a escravidão, a resolução da questão da terra é da mesma maneira que a indígena: Aquele quilombola que provar a posse receberá o título de propriedade da terra.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

CONTRA A LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS

Quem já viu pessoas drogadas consumindo crack nas ruas percebeu a tremenda dependência (doença) que acometeu aquelas vítimas. Se pensou um pouco mais na desgraça do drogado viu que a família dele sofre mais que se tivesse morrido um filho.

Mesmo assim, há esquerdos propondo a descriminação do tráfico de drogas alegando que a permissão diminuiria os crimes praticados pelos traficantes e pelos consumidores que furtam seus próprios pais ou pessoas desavisadas para comprar drogas.

Alegam também que seria mais fácil lidar com os danos à saúde, distúrbios psiquiátricos e psicológicos, causados pelo seu consumo do que empregar forças policiais em luta armada a quadrilhas de traficantes enriquecidos pelo comércio ilegal.

Os apologistas da legalização das drogas são esquerdos que sempre mentem para convencer o outro a entrar em desgraça. Parecem o próprio diabo querendo levar alguém para o inferno. 

Imagine você que, em função da descriminação das drogas, eles alegam que a legalização não é a liberação geral do uso, mas sim seria uma regulamentação acompanhada de ações de prevenção com diálogo dentro da família com decisão pelo uso ou não sempre por conta do consumidor de drogas.

Isto é, estão dizendo que quem quisesse ser drogado poderia pedir ao estado que visitasse a família e convencesse (impusesse) a família de que o filho tem liberdade de consumir e que tem também o direito de consumir.

É a mesma coisa que dizer aos pais que seus filhos morrerão ou que os perderão para as drogas, haja vista que o estado está lhe dizendo que "garantiria" o desejo do filho de consumir drogas ou que pagaria a cirurgia de mudança de sexo do filho ou que estariam proibidos de tratar o filho para deixar de ser gay. 

É muito grande a maldade desse pessoal esquerdista. Querem a desgraça completa das famílias e da sociedade só para que tenham poder de praticar políticas assistencialistas ou de simplesmente exercer o poder por intermédio da mentira.

Eles dizem ainda que a legalização das drogas levaria à desmobilização do crime organizado e da rede associada ao tráfico. 

Isso é mentira! O crime organizado, além de outras fontes de renda criminosas como prostituição, furto dos familiares da vítima e encomenda de assassinatos, continuaria a existir muito mais fortalecido e muito mais letal porque teria mais dinheiro advindo do comércio de drogas.

O traficante que vive em cima da desgraça alheia jamais iria querer legalizar-se. Jamais montaria uma farmácia para vender as drogas que hoje são ilícitas, haja vista que seria desmascarado como aquele que pratica o mal.

O Partido Conservador além de propor a mais absoluta perseguição e punição dos traficantes propõe também a criminação do consumidor das drogas ilícitas. A criminação do consumidor facilitaria o combate a esse crime que infelicita todas as famílias brasileiras. 

Não há nenhuma vantagem econômica na legalização das drogas por que nem o traficante é beneficiado, haja vista que se ele não tivesse vida facilitada no tráfico então poderia ser produtivo em outra atividade.